O Ministério da Saúde lançou uma campanha nas redes sociais para reduzir o estigma em torno da prostituição

prostitutas-lat

Campanha federal marca Dia Internacional das Prostitutas

A campanha foi lançada na rede social com o slogan: “Eu sou feliz sendo prostituta”

O Ministério da Saúde lançou uma campanha nas redes sociais para reduzir o estigma em torno da prostituição que deve causar discussão. Uma das peças diz: “Eu sou feliz sendo prostituta” e tem profissionais do sexo como protagonistas.

Composto por vídeos e banners, o material é fruto da oficina de profissionais do sexo realizada em março em João Pessoa, que tem como mote “Sem vergonha de usar camisinha”. Nas peças, mensagens contra o preconceito, sobre o desejo de ser respeitada e a necessidade de prevenção contra DST-aids. Feita para marcar o Dia Internacional das Prostitutas, 2 de junho, a campanha – que retrata positivamente a profissão – foi bem recebida por feministas e grupos que trabalham com prevenção.

prostitutas campanha_ministerio_saude_

 

“Quem sabe seja um sinal de que o governo possa retomar uma política de prevenção em aids e saúde pública sem discriminação, lançando até mesmo as campanhas censuradas dirigidas aos gays, que gastaram dinheiro público e não foram utilizadas”, afirmou o professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), Mario Scheffer.

O especialista da USP ressalta que as ações para redução do preconceito são essenciais para estimular a prevenção. Daí, completa, a necessidade de que iniciativas semelhantes sejam feitas com outros grupos.

Público-alvo

“A valorização é o primeiro passo para a prevenção”, afirmou a presidente da Rede Nacional Feminista de Saúde e Direitos Reprodutivos, Santinha Tavares. Para ela, o governo acertou em trazer mensagens para prostitutas. “Outros grupos já haviam sido contemplados. Era essencial a mensagem para essas profissionais.” Os cinco vídeos agora exibidos foram feitos pelas próprias participantes da oficina. Além de prostitutas, fizeram parte do encontro representantes de organizações não governamentais, associações e movimentos sociais.

Fonte: Agência Estado

prostituta_campanha_ministerio_saude

 

Categorias:Cidadania

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.31.24.27 - Responder

    Esse governo petista é mesmo composto por gente imbecil e sem rumo. Tempos atrás uma das ministras da dillma criou o maior caso por causa de uma campanha da modelo Gisele Bundchem , alegando que ela incentivava a visao da mulher como objeto sexual ; agora fazem uma campanha para dizer que quem é prostituta pode ser feliz????
    É mesmo um governo de patifes.

  2. - IP 189.10.40.35 - Responder

    Tá atrasado, hem enock…o ministro da saúde já demitiu o diretor que lançou essa pérola aí e a tal campanha nem saiu do papel…ou seja, nem era campanha de governo, era da cabeça de um (ex) subalterno que esqueceu de avisar a chefia do que andava fazendo;

  3. - IP 187.116.184.36 - Responder

    Pois é Enock, agora, pelo governo do PT chamar o outro de FILHO DA PUTA passa a ser elogio com direito a bolsa esmola.

  4. - IP 201.24.175.92 - Responder

    É de lasca!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

treze − 5 =