(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

AGITO CULTURAL: Ruas e praças de Cuiabá se tornam palco do Festival Zé Bolo Flô

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

Circo Escola Leite de Pedras

Entre os dias 30 de setembro e 02 de outubro, ruas e praças de Cuiabá serão palco da 4ª edição do Festival Zé Bolo Flô, que espalha arte em suas diversas expressões no Centro Histórico, no CPA 1 e Pedra 90. A programação é gratuita, ao ar livre, e conta com performances, espetáculos itinerantes, teatro em caixinha, dança, orquestra de percussão com latas, poesia musical, circo e hip-hop. O festival foi contemplado no edital Circuito de Mostras e Festivais, realizado pelo Governo de Mato Grosso via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

Mantendo a tradição do teatro de rua e, ao mesmo tempo, adaptando-se às medidas de segurança sanitária contra a contaminação da covid-19, a edição especial também será transmitida ao vivo pelo Youtube, no canal Festival Zé Bolo Flô. Assim, o festival realizado pelo Grupo Tibanaré desde sua primeira edição, em 2013, segue com a proposta de promover diálogos e reflexões sobre desafios do teatro de rua, agora diante de um contexto delicado, fomentando a produção local.

Segundo Jefferson Jarcem, idealizador da iniciativa junto à produtora Fernanda Gandes, a programação é um convite para se deixar acolher a cada momento de apresentação. Esse formato de acolhimento proposto pelo festival também tem relação com precauções e experimentações relacionadas à pandemia, já que, conforme o artista, as ações serão itinerantes e realizadas em cortejos, possibilitando encontros com distanciamento.

“Atualmente, um grande número de artistas de rua estão elaborando e reformulando o seu pensar dentro do processo criativo de como chegar ao público nesse momento, e o festival acaba abraçando isso. Então nossos artistas convidados também toparam adaptar suas obras para o campo afetivo. Por isso a gente fala que essa é uma edição especial, não estamos voltados somente à qualidade artística, mas à qualidade da arte como campo de humanização, encontro e esperança”, destaca Jarcem.

Leia Também:  FILÓSOFO FRANCO BIFO BERARDI: Acredito que a financeirização é essencialmente o suicídio da humanidade

Ao todo, serão 12 performances híbridas, todas presenciais e com transmissão online. A cada dia, se apresentam quatro grupos/artistas mato-grossenses em uma região da capital. As ações de acolhimento também repercutem em entrevistas com os (as) artistas participantes, que irão compor, junto aos vídeos das apresentações, um registro de toda a experiência.

“Durante os intervalos das ações, os artistas serão entrevistados, antes ou depois de suas apresentações. O foco dessas entrevistas será justamente a vivência do formato proposto pela edição nesse momento de retomada dos espaços da rua. Como o evento será transmitido, teremos um material gravado que será compactado em resumos de cada dia. Essa foi a forma encontramos de reunir um bom material para potencializar a discussão de maneira diferente”, explica Jefferson Jarcem.

Em 2021, A curadoria é de Jarcem e Jeferson Bertoloti, proponente do projeto que, em um segundo momento, também promoverá uma residência artística. Informações e inscrições podem ser acompanhadas nas redes sociais do Grupo Tibanaré (@grupotibanare) no Instagram e Facebook.

Festival Zé Bolo Flô de Teatro de Rua

Idealizado e produzido pelo Grupo Tibanaré em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso, o Festival Zé Bolo Flô de Teatro de Rua foi realizado pela primeira vez em 2013 e teve mais duas edições em 2015 e 2016. A iniciativa carrega o nome do poeta andarilho que ficou conhecido em Cuiabá na década de 1960 e foi eternizado no imaginário popular da cidade.

A primeira edição, com foco na promoção e valorização da cena local, reflexão crítica sobre as produções e formação de plateias, alcançou aproximadamente 3.500 pessoas. A segunda fez do festival um espaço de referência e contribuição para o enriquecimento e difusão da produção nacional de Teatro de Rua em diálogo com a produção local, fortalecendo a pesquisa como estímulo para a criação de novos trabalhos. Na terceira, tomou as ruas provocando o olhar do artista para as comunidades de sua cidade.

Leia Também:  "A ALMA MAIS HONESTA DO BRASIL": Presidente Lula promete vir a Cuiabá encarar olho no olho jornalista que questionou sua honestidade

Diante do contexto de distanciamento social, a quarta edição do Festival Zé Bolo Flô busca criar momentos íntimos entre artista e público, verdadeiras trocas de afeto proporcionadas pela arte. “Em um movimento continuado de fortalecer o elo entre artistas locais e público, artistas regionais e nacionais, bem como entre as pessoas e a cidade, o evento percebe a necessidade de promover na rua um espaço mais intimista, de caráter especial”, destacam os realizadores.

Programação:

30.09 (quinta-feira), no Centro Histórico

17h: Anjos da Lata – Ritmos de Lata

Local: começa no Museu de Imagem e Som de Cuiabá (Misc) e encerra na Praça da República.

17h30: Cia Vostraz De Teatro – Conversas de botas e batidas

Local: começa na Praça do Rasqueado e encerra na Praça Ipiranga.

18h00: Theatro Fúria – Histórias ao pé do ouvido com as Furiosas Macchinas Historiadoras

Local: Praça Ipiranga

18h30: Grupo Variações – Dançar na rua, por que não?

Local: começa na Praça Ipiranga e encerra na Praça República

01.10 (sexta-feira), no bairro CPA 1/Morada da Serra

9h: Nhantumbo’space – Memórias

Local: Terminal do CPA 1

9h30: Grupo Limacs – Olha o palhaço no meio da rua

Local: Terminal do CPA 1 e comércios

10h: Juliana Graziela – Performance Índia Ró

Local: Terminal do CPA 1 e comércios

10h30: Sabiá – Canta e Conta Sabiá

Local: Terminal do CPA 1

02.10 (sábado), no bairro Pedra 90

19h: Spectrolab – Epif Nia

Local: Praça Cultural do Pedra 90

19h30: GORA – Grafite

Local: Praça Cultural do Pedra 90

20h: BBoys VG e CBA – Cypher dos BBoys

Local: Praça Cultural do Pedra 90

21h: Leite de Pedras – Espetáculo Estórias de Jardim

Local: Instituto Casarão das Artes

A programação é gratuita, itinerante e ao ar livre.

Transmissão completa: https://bit.ly/zeboloflo

Resumos de cada dia: https://bit.ly/grupo-tibanare e no Instagram @grupotibanare.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O melhor detergente é a luz do sol

Famílias mais pobres sofrem inflação 20% maior que as mais ricas em setembro

Publicados

em

 

 

source
Famílias mais pobres sofrem inflação 20% maior que as mais ricas em setembro
Fernanda Capelli

Famílias mais pobres sofrem inflação 20% maior que as mais ricas em setembro

O Indicador de Inflação por Faixa de Renda acelerou para todas as faixas no mês de setembro, mas revelou uma inflação mais acentuada para as famílias de renda muito baixa, com índice de 1,3%, enquanto o grupo de renda alta ficou em 1,09%, diferença de 20%. Os dados foram divulgados hoje (15) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

No acumulado de 12 meses, a inflação para o grupo de renda muito está em 10,98%; a renda baixa acumula 10,72%; a renda média baixa está em 10,64%; a média tem alta de 10,09%; o grupo de renda média alta tem inflação em 12 meses de 9,32% e o grupo de renda alta teve inflação de 8,91%.

A inflação para o segmento de renda baixa foi de 1,2% no mês, para a renda média baixa, 1,21%, e para o segmento de renda média alta foi de 1,04%.

Segundo o instituto, o grupo habitação exerceu a maior pressão inflacionária para as famílias dos três segmentos de renda mais baixa. Para as famílias de renda muito baixa, pesaram os reajustes de 6,5% das tarifas de energia elétrica, de 3,9% do gás de botijão e de 1,1% dos artigos de limpeza. Já os alimentos em domicílio foram puxados especialmente pelas frutas (5,4%), aves e ovos (4%) e leites e derivados (1,6%).

Leia Também:  Governo de Mato Grosso entrega novo complexo Esportivo da Escola Liceu Cuiabano

Leia Também

As três faixas de renda mais alta repetiram o impacto sofrido em agosto, com peso maior no grupo de transportes, influenciada pelos reajustes de 2,3% da gasolina, de 28,2% das passagens aéreas e de 9,2% dos transportes por aplicativo.

O Ipea aponta que para as famílias de renda muito baixa pesaram no acumulado do ano o aumento nos preços dos alimentos no domicílio, como carnes (24,9%), aves e ovos (26,3%) e leite e derivados (9%), além dos reajustes de 28,8% da energia e de 34,7% do gás de botijão.

Para as famílias com maiores rendimentos, a inflação acumulada sofreu impacto das variações de 42% dos combustíveis, de 56,8% das passagens aéreas, de 14,1% dos transportes por aplicativo e de 11,5% dos aparelhos eletroeletrônicos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA