(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

“A ALMA MAIS HONESTA DO BRASIL”: Presidente Lula promete vir a Cuiabá encarar olho no olho jornalista que questionou sua honestidade

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

 

A entrevista do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a Rádio Capital FM de Cuiabá na terça-feira (29), foi marcada pelo enfrentamento do petista com o jornalista mato-grossense, ora tucano, ora bolsonarista, mas sempre atuando pela direita, Rafael Costa. Foi o único momento quente em uma entrevista levada em fogo brando pelos demais participantes.

 

O jornalista conhecido pelos seus posicionamentos reacionários e pelos xingamentos que distribui, nos ambientes privados, contra o PT, questionou Lula a respeito da coragem do petista em percorrer o Brasil e afirmar que se considera “a alma mais honesta do Brasil” e que também se considera ser o mais preparado moralmente para assumir a presidência da República, a partir de janeiro de 2023, na sucessão do enlouquecido presidente Bolsonaro.

 

Lula respondeu de pronto que não basta apenas moral para ser presidente, mas que é fundamental conhecer as mazelas do povo brasileiro. Também reafirmou que se considera, sim, o mais preparado moralmente e que também está disposto, quando a vier a Cuiabá, a conceder uma entrevista ao jornalista Rafael Costa e, conversando mais longamente, com olho no olho, atestar que é, sim, honesto e um político preparado para governar o Brasil voltado para os interesses da maioria empobrecida do seu povo.

 

Na entrevista com pouco mais de uma hora de duração conduzida pelo jornalista e pastor Andersen Navarro, personagem do jornalismo mais tradicional da capital, o ex-presidente Lula, líder nas pesquisas de intenção de voto para ser consagrado novamente presidente em 2022, respondeu a perguntas de jornalistas como Pedro Pinto, Julia Munhoz, Amanda Simeone, Adão de Oliveira e outros, sempre pontuando que a gestão do atual presidente da República, o capetão Jair Bolsonaro, é um desastre político administrativo e reforçou sua preocupação com a área social do país.

Ao contrário de Rafael Costa, que desafinou o coro dos contentes, assumindo sua postura direitista, os demais entrevistadores se mostraram respeitosos, tratando o velho metalúrgico, muitos deles, como “presidente Lula”.

 

Presidente Lula e o jornalista Rafael Costa

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  LAURO DA MATA: Posso dizer que me sinto privilegiado porque estive nas praças (não apenas de Cuiabá), na virada da década de 1970, nos anos de 1984 e 85, fui ver os “cara pintadas” no início da década de 1990 e volto novamente à praça, com muito prazer, nesta década de 2010.
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Procon-RJ multa iFood em R$ 1,5 milhão por troca de nomes de restaurantes

Publicados

em

 

 

source
Empresa deverá pagar indenização por não prestar informações sobre alteração em nomes de restaurantes
Sophia Bernardes

Empresa deverá pagar indenização por não prestar informações sobre alteração em nomes de restaurantes

O iFood foi multado R$ 1.508.240 pelo Procon-RJ por não prestar informações necessárias que garantirassem que os dados dos clientes estavam seguros, após uma pane no sistema que levou os nomes de vários restaurantes listados pelo serviço de entregas serem substituídos por mensagens políticas, antivacina e dados de app rival no último dia 2 de novembro.

Segundo o Procon Carioca, o IFood chegou a informar que as alterações teriam sido feitas por uma empresa prestadora de serviço, mas que não houve vazamento de dados pessoais dos consumidores nem de informações sobre cartões de débito ou crédito cadastrados como meios de pagamento.

Leia Também

No entanto, como o aplicativo declara em sua política de privacidade compartilhar dados com empresas terceirizados, incluindo os meios de pagamento, o Procon Carioca pediu ao iFood esclarecimentos sobre a vulnerabilidade de exposoção de dados dos consumidores, como CPF, endereço, cartões.

O Procon Carioca solicitou também informações sobre quais estabelecimentos foram afetados por esse acesso indevido, por quanto tempo os nomes ficaram alterados, qual foi o prazo para correção do sistema, quantas compras foram realizadas durante o acesso indevido e qual a identificação da empresa prestadora de serviços que deu causa ao acontecimento e suas atribuições na gestão da plataforma.

Segundo o órgão de defesa do consumidor a ausência de documentos comprobatórios de que não houve vazamento de dados e sobre o incidentes em si levou à multa. A empresa ainda pode recorrer.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA