(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

MÁRIO NADAF: Neste Estado de Mato Grosso o agronegócio se expande de forma assustadora e a força do capital passa por cima de qualquer projeto ambientalista.

Publicados

Brasil, mostra tua cara

Com seu Programa de Arborização Comunitária, vereador Mário Nadaf sonha contribuir para reverter a destruilção do verde em Cuiabá


É tempo de plantar
por MÁRIO NADAF
Incomodou-me demais ver as árvores dos canteiros de algumas das principais avenidas da cidade serem eliminadas.
Inexoravelmente o VLT, numa atitude maquiavélica, derrubava tudo o que via pela frente, para atingir seu objetivo. A ordem é modernizar a cidade e, como apregoava Niccolò Machiavelli, mas para muitos, “os fins justificam os meios”.
É notório que Cuiabá não está mais tão verde assim. Agora a Cidade Verde está sendo transformada em Cidade de Pedra.
Há um leve conforto saber que o projeto inicial do VLT inclui a rearborização de todo o trecho onde a obra está passando, mas existem ainda muitas áreas degradas em decorrência das construções de arranhásseis, residências e outros.
Como educador não posso deixar de ficar com um pé na frente e outro atrás. Basta lembrar que grandes eventos a nível mundial, foram boicotados pelos países industrializados, que viram nesses programas um empecilho ao seu desenvolvimento. A ECO-92 teve que ser “reeditada” com a Rio+20, ocorrida no Rio de Janeiro em 2012. O objetivo era resgatar o conceito de Desenvolvimento Sustentado e criar novas estratégias para sua definitiva implantação. O Protocolo de Kioto, realizado no Japão em 1997, só foi assinado em 2005, justamente em função dos óbices criados pelos grandes, especialmente pelos Estados Unidos da América.
Em nível de Brasil, posições ideológicas diferenciadas, envolvendo políticos, empresários, especuladores e ruralistas, quase impediram a aprovação do Novo Código Florestal Brasileiro, pois a Geopolítica da cobertura vegetal, já tinha traçado estratégias para exploração desse importante recurso natural, tanto para a produção da madeira industrial, como para expansão da área agricultável.
Em Mato Grosso, programas que tinham componentes ambientais também lutaram contra interesses de grupos políticos e econômicos. O Prodeagro/Padic foi palco de maracutaias e logo volatilizou-se, enquanto que o Zoneamento Agroecológico nem chegou a ser implantado. Neste Estado o agronegócio se expande de forma assustadora e a força do capital passa por cima de qualquer projeto ambientalista.
Ainda bem que do MT Legal, um programa que parece que vai dar certo, foram retirados 7 pontos e incorporados ao Novo Código Florestal Brasileiro.
Sabemos que Cuiabá já perdeu muito da sua cobertura vegetal, especialmente por pressão do crescimento demográfico. Essa pressão fez com que mais recentemente, muitos bairros surgissem sem a preocupação com o verde. Por isso , em parceria com uma equipe de colaboradores, formulamos o
, chamado carinhosamente de “Movimento Plantar. A intenção é plantar para melhorar a qualidade do ar. Pretendemos repor na cidade de Cuiabá, a cobertura vegetal de onde ela foi retirada e arborizar os bairros novos. Com isso contribuir para a melhoria da saúde e da qualidade de vida da população desta cidade.
O pontapé inicial já foi dado no dia 03 de fevereiro, num evento em que foram distribuídas e plantadas centenas de mudas no bairro Residencial Nova Canaã. A segunda etapa do projeto acontece 10 de março (domingo)”Venha somar conosco. Vamos fazer com que Cuiabá continue sendo chamada com orgulho de Cidade Verde”.
(*) MARIO NADAF é cuiabano, advogado, professor no Colégio São Gonçalo e vereador de Cuiabá pelo PV.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  RAFAEL COSTA:José Antônio Borges vai à Justiça para impedir que Mauro Mendes e Beto Dois a Um façam repasse inconstitucional e imoral de 3,5 milhões do dinheiro do contribuinte para o Cuiabá Esporte Clube - LEIA INTEIRO TEOR DA ADIN

Propaganda
2 Comentários

2 Comments

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Brasil, mostra tua cara

Roberto Jefferson registra candidatura à Presidência no TSE

Publicados

em

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) apresentou hoje (12) registro de candidatura à Presidência da República no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A chapa terá Padre Kelmon, do mesmo partido, como candidato à vice-presidente.

Jefferson declarou à Justiça Eleitoral lista de bens avaliados em R$ 745 mil – valor investido em aplicações financeiras. Kelmon declarou R$ 8,5 mil aplicados em caderneta de poupança.

Na proposta de governo enviada ao TSE, a chapa defende a liberdade como princípio fundamental, direito à legítima defesa, ao porte de arma de fogo, a criminalização da “cristofobia”, o agravamento da pedofilia como crime hediondo e a proibição da legalização, venda e cultivo da maconha.

Na educação, os candidatos defendem a remuneração digna aos professores, ensino universitário gratuito, mas reembolsado pelos formados, e a erradicação do analfabetismo.

No meio-ambiente, propõe a exploração racional dos recursos naturais e equilíbrio entre desenvolvimento econômico e proteção à natureza.

Até o momento, o TSE recebeu 11 pedidos de registros de candidatura à Presidência. Para os cargos de deputado estadual, federal, distrital, senador e governador, o registro é realizado nos tribunais regionais eleitorais.

Leia Também:  CAIUBI KUHN: Você já se perguntou qual a importância dos estudos técnicos, fiscalizações e análises desenvolvidas por órgãos públicos nas áreas de geologia, engenharia e meio ambiente? Algumas pessoas insistem em dizer erroneamente que estes trabalhos são mera burocracia

O pedido de registro é uma formalidade necessária para que a Justiça Eleitoral possa verificar se os candidatos têm alguma restrição legal e não podem concorrer às eleições de outubro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Política Nacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA