(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Janaina Riva, presidente da Assembleia? Boa ideia pra varrer Botelho, Maluf e toda tranqueira

Publicados

É bem Mato Grosso

Janaina


 
Terminado o primeiro turno, começa-se a discutir o novo governo do Mauro Mendes, que virá. E também a nova estrutura de poder na Assembleia.
A renovação na Assembleia foi expressiva. 14 deputados novatos. Somente 10 deputados reeleitos.
Os primeiros movimentos dão conta de que Eduardo Botelho e Guilherme Maluf, que já se revezaram na Mesa Diretora, estão sonhando renovar novamente o seu poder.
Eu, Enock Cavalcanti, defendo uma Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso sem essas tranqueiras que participaram da pior e mais desmoralizante legislatura que a AL-MT já teve. Botelho e Maluf, não.

O tempo é de renovação. O povo, nas urnas, já varreu um bando enorme. Agora cabe à boa negociação interna fazer o resto da faxina.

E 14 é maior que 10, então só a covardia justificará uma derrota dos novatos nesta disputa.
Um comentarista lá no Facebook,   Paulo Cesar Pereira , quando levantei o assunto em meu perfil, argumentou que os novatos podem se bastar e eleger um novato.
Mas digo que  se os novatos atrairem a Janaina Riva, eles deixam de ser 14 e passam a ser 15. É que a Janaina também já foi  mídia dizer que pensa em renovação e que questiona a volta seja de Botelho, seja de Maluf.
O professor Alan Kardec também estaria se mexendo, se bem que ele ainda precisa da confirmação de sua eleição como deputado, pendente de uma decisão do TSE com relação ao inacreditável Gilmar Fabris.

Mais vejam que ainda tem o Barranco, o Max Russi, o Wilson Santos
Então, o debate o debate só está começando a rolar…Tem muita água para rolar debaixo desta ponte. E talvez muito dinheiro, como sempre acontece em conchavos de bastidores. Mas seria bom que a escolha do comando da Assembleia de Mato Grosso deixasse de ser um conchavo.

E será melhor se for um debate pela mudança completa já, quem sabe estabelecendo um comando colegiado, com estreita relação com os orgãos de controle, introduzindo a Tribuna Livre e a participação popular, dando fim nos gastos exorbitantes, nos cabides de emprego e tal e tal.
Ah, sim, democratizar a TV Assembleia também será fundamental, transformando-a numa opção efetiva aos monopolios da TVCA e da TV da Gazeta, já que ela chega em todo o Estado.
Mas esse é um debate que conta com mil outros componentes. Deve se esperar uma forte intervenção do Mauro Mendes – e pelo perfil do Mauro, será uma intervenção a favor do Botelho e quejandos.
Só que Janaina tem um outro fator a seu favor. Ela pode buscar o poder garantindo que a delação do seu pai, o corrupto confesso José Geraldo Riva, finalmente virá à tona. Sim, vejam que contraste cruel: Riva, agora, pode vir a contribuir fortemente para que aconteça uma limpeza completa nos porões da Assembleia, com auditoria pública, audiências públicas, e tudo mais. Riva se mostra disposto a falar e não se sabe porque o MP vem retardando esta delação. Com Janaina no poder, o Geraldo Riva convertido terá sua chance de fazer a confissão que está presa na garganta, trazendo à luz anos e anos de podridão nos bastidores da Assembleia. Certamente que Botelho e principalmente Maluf tremem diante de uma possibilidade dessas.
Fiquemos atentos.
 

Eduardo Botelho, na foto com Mauro Savi, quer continuar em onde está, mandando na Assembleia. Pode isso?


 
 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Nesta 2ª, Pedro Taques debate aborto com religiosos

Propaganda
1 comentário

1 comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

É bem Mato Grosso

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata

Publicados

em


A cobrança da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso, a partir de janeiro de 2022. A Lei 708/2021, do maior pacote de redução de impostos do país foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, nesta terça-feira (07.12).

O impacto dessa redução poderá significar contas de luz até 12% mais baratas. Isso porque, a carga tributária do imposto, será de R$ 36,50 no consumo de 400 kWh e de até R$ 117 no consumo de 1000 kWh. Um corte de 39% e 45% no ICMS, respectivamente.

O presidente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), Tiago Vianna de Arruda, afirmou que o pacote de redução de impostos sancionado pelo governador Mauro Mendes vai trazer justiça econômica para a sociedade.

A avaliação de Vianna passa pelo impacto que a medida irá produzir no setor da energia elétrica. No total, com a lei, o Governo de Mato Grosso deve deixar de arrecadar cerca de R$ 1,2 bilhão por ano, valor que permanece no bolso dos contribuintes, aliviando o orçamento doméstico de milhares de pessoas e também de empresas.

Leia Também:  Pedágios em MT poderão ser pago pelo sistema PIX

“Essa medida chega em boa hora, no momento em que os brasileiros mais estão precisando, trazendo liquidez tributária para toda a população. E é importante frisar que dos R$ 1,2 bilhão de redução que está previsto, R$ 732 milhões são referentes ao ICMS da energia elétrica. Ou seja, 60% do pacote de redução de impostos do Governo de Mato Grosso está circunscrito à taxa de ICMS sobre a energia. Isso é muito importante porque a energia elétrica é um insumo caro, que está presente na vida de todo mundo – seja na nossa residência, no comércio, na indústria -, então qualquer redução de imposto nesse sentido vai incentivar e tornar a nossa economia mais justa para todo mundo”, avaliou Tiago Vianna.

A redução significativa também vai ser sentida nos setores da comunicação, do gás industrial e dos combustíveis.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA