(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

Em um mês, atletas do projeto social da PM ‘Jiu-Jitsu Rotam’. de Mato Grosso, conquistam 29 medalhas em São Paulo

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

 

Onze atletas do projeto social da Polícia Militar ‘Jiu-jitsu Rotam’ conquistaram 20 medalhas, no Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE), realizado nos dias 16, 17 e 18 de julho, em São Paulo. Em menos de um mês, os alunos da atendidos pela PM, já conquistaram 29 medalhas, em duas competições diferentes.

O bom desempenho dos 11 atletas treinados por policiais militares no tatame do CBJJE, é considerado um feito histórico, pois das 20 medalhas conquistadas no competição, 10 são de ouro, cinco de prata e cinco de bronze.

Com as novas medalhas, os alunos acumulam em menos de um mês, 29 medalhas, já que na última semana de junho, eles trouxeram para Mato Grosso nove medalhas conquistadas no Campeonato Sul-Americano de Jiu-Jitsu Esportivo, também em São Paulo.

Pela primeira vez, a Rotam conseguiu levar uma grande de atletas do projeto, para lutar fora do Estado. Outro feito foi a participação dos atletas no campeonato nas categorias GI e No GI (com quimono e sem quimono), os levando a conquistar duas medalhas na CBJJE.

Leia Também:  JOSÉ ANTONIO LEMOS RECORDA O PAPA FRANCISCO: A Política é uma das formas mais altas da Caridade

Dentre os medalhistas estão crianças e adolescentes entre 09 a 17 anos de idade, moradores dos municípios de Várzea Grande e em Cuiabá.   O coordenador do ‘Jiu-Jitsu Rotam’, sargento Roderick Cardoso que acompanhou junto com mais um policial os jovens atletas destaca que os alunos atendidos pela PM, apresentaram um alto nível de rendimento.

“Essas disputas no CBJJE, exigiram muito preparo físico e emocional dos nossos atletas, a cada desafio, nossos atletas mostraram competência, cada adversário exigia de cada um deles um alto nível técnico, o que foi muito satisfatório e ficamos orgulhosos em fazem destes momentos da vida deles”, conta o sargento e treinador.

A experiência de viajar para competir e ainda ganhar medalhas no Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu, marcou a vida dos atletas, pois para a maioria deles, viajar de avião e desembarcar em São Paulo foi uma experiência inesquecível.

O comandante do Batalhão Rotam, tenente – coronel Paulo Cesar relata que a viagem para São Paulo foi muito especial para os atletas do projeto social, pois além de entrar em um avião pela primeira vez, eles conheceram a atleta brasileira de MMA do UFC, Amanda Lemos.

Leia Também:  Novas acusações a Zé Dirceu expõe farsa do “mensalão”. Em 2005, a tática conservadora foi acusar sem provas José Dirceu e deixar o preconceito contra o PT fazer o resto - Dirceu acabou condenado e preso. Recentemente, em meio às acusações sobre corrupção na Petrobras, surgiram novas tentativas (sempre sem provas) de envolver Zé Dirceu no caso. O que fica óbvio é que o ataque ao PT é uma estratégia central do conservadorismo

“Na hora de embarcar, no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, a breve despedida com os familiares, nos emocionou muito. É gratificante fazer parte destes momentos da vida deles e ainda mais satisfatório saber que as famílias confiam na nossa equipe e nos entregam o bem mais precioso deles, que são seus filhos e filhas”, diz o tenente-coronel.

E o próximo desafio dos atletas do “Jiu –Jitsu Rotam” já está marcado. A próxima competição dos medalhistas será uma outra fase do Campeonato Brasileiro da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ) que ocorre entre 25 de setembro a 03 de outubro, no estado do Rio de Janeiro.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O melhor detergente é a luz do sol

CHOCOLATE CONTRA O PRECONCEITO: Nestlé muda nome de bombom para “acabar com racismo e discriminação”

Publicados

em

 

 

source
Negrita
Reprodução

Negrita

O bombom da Nestlé ” Negrita ” mudará seu nome para ” Chokita ” para evitar “atitudes racistas e preconceituosas”, diz a marca. O nome estampou o chocolate por 60 anos , e deixará de existir a partir de outubro .

Segundo a Nestlé, o novo nome “refere-se ao inconfundível sabor do chocolate, somado ao diminutivo que no Chile reflete o que tratamos com carinho. Esta modificação não afeta de forma alguma a receita do produto, que mantém sua qualidade e sabor característico de sempre.”

Para a empresa, chegou a hora de fazer a alteração, pois, há 60 anos, viviam num contexto completamente distinto. Hoje, o chocolate por vexes é utilizado de maneira jocosa com pessoas de pele preta.

A empresa diz que os consumidores receberam bem a mudança e concordam que era a hora certa.

Leia Também:  A MEMÓRIA É QUE FAZ A HISTÓRIA: Gláuber Rocha, Jean-Luc Godard, Luchino Visconti, Joan Miró e Jean Paul Sartre financiaram a guerrilha de Marighella contra a ditadura militar no Brasil

Caso parecido aconteceu com o bombom ” Feitiçaria “, da Lacta, que teve que trocar a estampa após teorias da conspiração.  Inspirado no clássico “feitiço”, famoso na década de 90, foi acusado de conter “mensagens malignas” na embalagem. A companhia então trocou o nome para “Lacta Chocolate” e “Lacta Morango”.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA