(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

Deputado Xuxu Dal Molin propõe criação de Ganha Tempo Rural em Mato Grosso para municípios ligados ao setor produtivo

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

 

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Os municípios mato-grossenses, cujo setor produtivo se consolidou como uma das principais fontes de geração de emprego e renda, poderão ser contemplados com a criação do Ganha Tempo Rural.

A proposta foi apresentada pelo deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC), na sessão plenária de quarta-feira (22), através da Indicação 6580/2021.

Ao defender a criação das unidades voltadas ao homem do campo, o parlamentar citou as dificuldades enfrentadas por pequenos e médios produtores rurais durante procedimentos como a busca por informações relacionadas à regularização fundiária, obtenção de licenças ambientais, emissão de guias, entre outros.

“O agrupamento de várias instituições em um único local facilita o trânsito desses produtores, em especial daqueles que residem em regiões de difícil acesso. Diante disso, é imprescindível os esforços conjuntos da União, governo do estado e prefeituras municipais”, explica Dal Molin.

Segundo o parlamentar, entre as instituições e autarquias que devem compor o Ganha Tempo Rural estão: Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Fundação Nacional do Índio (Funai), Secretaria Adjunta de proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), além de secretarias municipais de Agricultura e de Meio Ambiente, entre outras autarquias ligadas direta e/ou indiretamente ao setor produtivo.

Leia Também:  MIGUEL DO ROSÁRIO: Quatro famílias, quatro cavaleiros do apocalipse. Civita, Frias, Mesquita e Marinho. Todos crias da ditadura, de maneira que a luta contra eles configura a derradeira batalha contra o regime militar, do qual eles são herdeiros. É como se os filhos de Pinochet dominassem a mídia chilena

Na mesma indicação, o parlamentar sugere a implementação de uma unidade volante capaz de oferecer atendimento “in loco” nas propriedades, incluindo assentamentos rurais, glebas, comunidades agrícolas, e congêneres.

“Nossa proposta é garantir um atendimento de qualidade e igualitário. Desta forma estaremos incentivando toda cadeia produtiva, ou seja, desde aquele pequeno sitiante que se dedica a produção de hortaliças e piscicultura, até o produtor de grãos”, destaca Xuxu Dal Molin.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O melhor detergente é a luz do sol

CULTURA DE MATO GROSSO: Trajetória do artista Benedito Nunes é perpetuada em site e documentário

Publicados

em

 

Apelidado carinhosamente de Van Gogh do Cerrado, a trajetória do artista plástico Benedito Nunes está eternizada no site que leva o nome dele, e que conta com detalhes a história de vida e o legado cultural deixado pelo mato-grossense, que gostava de retratar a natureza da região e o cotidiano da cuiabania. Aprovado no edital Conexão Mestres da Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), o projeto ‘Tributo ao Mestre do Cerrado: Benedito Nunes’, conta também com o documentário ‘Se essa rua fosse Nunes’, com estreia para esta sexta-feira (26.11), na plataforma digital que homenageia o artista.

Falecido em março do ano passado, aos 63 anos de idade, Benedito Nunes é considerado um dos mais importantes artistas da famosa ‘Geração 80’. Nascido em 1956, era pintor, desenhista, professor e escultor. Ganhou reconhecidos prêmios nas artes visuais, participou de importantes exposições no Brasil e fora do país. E, os seus 30 anos de história com a arte, a biografia é contada pelo professor e crítico de arte Laudenir Antônio Gonçalves, disponível no site lançado pelo projeto.

Leia Também:  GABRIEL NOVIS NEVES: Voltei a escrever para fugir da solidão da pandemia e seus males, mas também para fazer a prevenção dos desarranjos dos meus neurônios e pelo prazer produzido pela serotonina

A plataforma traz também o documentário ‘Se essa rua fosse Nunes’, produzido a partir das imagens e narração sobre as obras do artista. Também estão disponíveis no site uma galeria virtual e uma oficina apresentada pela proponente do projeto ‘Tributo ao Mestre do Cerrado: Benedito Nunes’, a artista Tânia Pardo.

“Nunes, além de ser um artista acessível e carismático, era famoso por retratar o cenário mato-grossense. Assim ficou conhecido como o Van Gogh do Cerrado, deixando sua marca na arte brasileira. Foi um grande artista, premiado em vários salões, não só em Mato Grosso, mas também fora. Reconhecido no Brasil por seu estilo, nos deixou um grande legado”, destaca Tania Pardo.

Conexão Mestres da Cultura – O edital surgiu para compartilhar os saberes e fazeres artísticos e culturais do estado, reconhecendo o trabalho desenvolvido por pessoas impactaram a cultura mato-grossense, considerando sua contribuição para o fortalecimento da cultura do estado e sua importância para a comunidade que atua.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA