(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

Depois do vídeo didático da advogada Wellen Lopes, OAB-MT sai da inércia e faz desagravo à advogada Deise Canabria que sofreu agressão policial. Para Wellen faltou solidariedade

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

Demorou mas finalmente está acontecendo. Depois de meses de inércia, a diretoria da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso resolveu agir e se posicionar em defesa de uma advogada agredida em Cuiabá no exercício da sua profissão. Devo recordar que foi em 17 de dezembro de 2020 que a advogada cuiabana Wellen Cândido Lopes postou, em suas redes sociais, o vídeo que volto a exibir acima. Atacada ela mesma por uma nota da Associação de Delegados de Mato Grosso, Wellen alertava, naquele vídeo, para a importância de defender a sua atuação e a atuação de todos os advogados e advogadas brasileiras em face de um ataque recebido, já que os advogados tem garantia de atuação prevista em Lei.

Mais de meio ano depois, está previsto para esta sexta-feira (30/6), a partir das 8h30, um ato de desagravo público em favor da advogada Deise Cristina Sanabria Carvalho Alves, a ser promovido pela OAB-MT . O ato vai acontecer em frente à sede da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá, na Rua Ranulfo Paes de Barros, s/n – no bairro Verdão, ao lado da Arena Pantanal, onde, em maio deste ano, a advogada Deise Cristina Sanabria foi abordada de forma violenta, algemada e presa, no exercício da profissão. Realmente, um caso escandaloso de abuso de autoridade e de desrespeito às prerrogativas dos advogados brasileiros. Recentemente, para espanto de todo o País, vimos fato semelhante acontecer em Goiânia, onde o advogado Orcelio Ferreira Silverio Junior também sentiu a crueldade de uma injusta e violenta abordagem policial.

O que a vistosa reportagem do site Consultor Jurídico não conta é que essa mesma diretoria da OAB-MT – que em novembro próximo tentará se manter no poder – não prestou à advogada Wellen Cândido Lopes nenhuma espécie de solidariedade quando esta profissional expôs na mídia mato-grossense, e também através do vídeo que ela mesma produziu, o ataque que sofreu às suas prerrogativas por parte da Associação de Delegados de Mato Grosso e mais especialmente da delegada da Delegacia da Mulher, a sra. Nubya Beatriz Reis. Sim, a advogada Wellen Cândido Lopes, no dia 7 de dezembro de 2020, protocolou um pedido de providências junto à OAB-MT, entre as quais o pedido de realização de um desagravo público diante do SINDEPOl, em defesa das suas prerrogativas que são as prerrogativas de todos os advogados com atuação em Mato Grosso, além da habilitação da OAB-MT no PAD como Amicus Curiae no seu processo, para que o exercício da advocacia por parte dela, Wellen Candido Lopes, pudesse se desenvolver sem qualquer tipo de intimidação, sob a proteção corporativa da entidade à qual ela é associada ativa e de acordo com os preceitos constituionais.

Wellen protocolou seu pedido no inicio de dezembro, veio o enrolation, ela resolveu produzir então o seu video protesto. Em fevereiro de 2021 esta PAGINA DO E – mais uma vez talvez querendo bancar o Zorro, o Cavaleiro Solitário, sem contar com um Tonto sequer para atuar junto com ele, e sem o cavalo Silver “que fuja a galope”, como no poema do José – expôs à luz do Sol o drama vivido pela advogada Wellen.

Para sua melhor informação, leia o que escrevemos naquela oportunidade:

Presidente da ESA Bruno Cintra defende delegada Nubya Reis e processa Wellen Lopes, advogada de jornalista. OAB/MT em silêncio constrangedor – PÁGINA DO ENOCK (paginadoenock.com.br)

Tal qual na canção da Carolina, “o tempo passou na janela”, e Wellen ficou sem seu desagravo. Agora já estamos findando julho e a eleição para a renovação da diretoria da seccional mato-grossense da OAB-MT está logo ali à frente. Será que é isso, a proximidade da eleição, que motiva a mesma OAB-MT que se negou a estender então a sua poderosa mão solidária à advogada Wellen Cândido Lopes a preparar seu carro de som para protestar nesta sexta, diante da Delegacia de Roubos e Furtos, com os brados dos manifestantes ecoando no espaço imenso da Arena Pantanal?!

Já que a matéria do Conjur foi posta a circular intensamento, que se conte pelo menos a história toda das decisões e indecisões desta atual diretoria da OAB-MT com relação às prerrogativas dos advogados e advogadas de Mato Grosso. Afinal de contas, a valorosa categoria dos advogados precisa conhecer tudo e todos para fazer sua melhor reflexão na hora de escolher, muito brevemente, os rumos da entidade que os representa e representa, também, a sociedade mato-grossense para a preservação de nossas liberdades fundamentais.

A luta da advogada Deise

É importante relatar que a advogada Deise Cristina Sanabria, que será desagravada nesta sexta, foi acionada por um cliente idoso de 70 anos que seria preso. Os policiais pretendiam algemar o homem, e a advogada Deise citou a Súmula 11 do Supremo Tribunal Federal, segundo a qual o uso de algemas só é lícito em caso de resistência, risco à vida ou receio de fuga. A manifestação da advogada Deise Cristina Sanabria, todavia, foi estupidamente ignorada pelos policiais, e seguida por uma abordagem violenta contra a corajosa associada da OAB-MT. Os policiais, além de algemarem a advogada Deise Cristina Sanabria, como registra o Conjur, ainda lavraram ocorrência contra ela por suposta desobediência.

“Quando a advogada teve seus direitos violados, imediatamente recorreu à OAB e nós nos apresentamos prontamente para apoiá-la. Nosso papel é esse, estar sempre ao lado da advocacia, lutando para garantir o respeito às nossas prerrogativas”, explicou agora à reportagem do Conjur, a vice-presidente da OAB-MT, Gisela Cardoso – que, no caso da advogada Wellen Cândido não demonstrou agir com tanta prontidão, ao menos pelo que tivemos notícia.

Gisela – que desponta como possível candidata à sucessão do advogado Leo Campos – acompanhou a advogada Deise na delegacia durante a ocorrência, junto com membros do Tribunal de Defesa das Prerrogativas (TDP) da seccional. Deise prestou depoimento na própria Derf, fez exame de corpo de delito que comprovou a agressão e ainda registrou ocorrência na Corregedoria-Geral da Polícia Civil por abuso de poder. Neste caso, uma atuação oportuna e altamente meritória da advogada Gisela Cardoso.

O desagravo a advogado Deise Cristina Sanabria foi proposto pelo TDP e aprovado por unanimidade pelo Conselho Seccional no fim de junho. Ao contrário do pedido da advogada Wellen Cândido Lopes que se arrastou por meses, até ser negado.

“Convidamos toda a advocacia para, mais uma vez, juntos, mostrarmos que não toleraremos autoritarismo e condutas abusivas que visam cercear nossas prerrogativas profissionais. A atuação da advocacia é fundamental para a garantia dos direitos dos cidadãos e para a manutenção do Estado democrático de Direito e precisa ser respeitada”, declarou o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, à reportagem do Consultor Jurídico.

É importante que advogados e advogadas compareçam e fortaleçam, nesta sexta-feira, o desagravo à advogada Deise Cristina Sanabria Carvalho Alves. A categoria não pode deixar passar impune as manifestações de arbítrio que atentem contra as prerrogativas de todo e qualquer profissional da advocacia. Uma coisa é o repúdio aos policiais agressores nesta sexta-feira, que deve soar forte. Outra coisa será o possível repúdio aos dirigentes da OAB-MT que parecem selecionar por critérios muito pessoas aqueles profissionais da advocacia com os quais devem ou não se solidarizar – atitude sobre a qual iremos refletir mais adiante.

De qualquer forma, com matéria no Conjur e tudo, avalia que o jogo eleitoral interno, dentro da OAB-MT já está sendo jogado.

 

Deise Cristina Sanabria Carvalho Alves e Wellen Cândido Lopes advogadas em Cuiabá MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  ENOCK CAVALCANTI: Emanuel parece ter uma cabeça gastadora. Daí a decisão de criar secretaria “especial” para os festejos dos 300 anos, escanteando Chico Vuolo.
Propaganda

O melhor detergente é a luz do sol

MercedesBenz lança edição especial do SUV Classe G 63 AMG por R$ 2 milhões, com todas unidades já vendidas

Publicados

em

 

 

source

Mercedes G63 AMG vem com motor V8 biturbo, capaz de render 585 cv, potência transmitida para as quatro rodas
Divulgação

Mercedes G63 AMG vem com motor V8 biturbo, capaz de render 585 cv, potência transmitida para as quatro rodas

A Mercedes-Benz está lançando a versão limitada Magno Edition do Mercedes-AMG G 63 criada especialmente para o mercado brasileiro e que chega ao país com toda produção adicional já vendida, de acordo com a fabricante.

O SUV conta com motor V8 biturbo de 4.0 litros de 585 cv, tração nas quatro rodas (40:60), três bloqueios de diferencial, transmissão automática de 9 marchas, suspensão dianteira independente com duplo braço triangular e amortecimento ajustável adaptável.

O visual fica por conta a grade do radiador específica AMG pintada em preto fosco, arcos das rodas alargados, escapamento com saída lateral, rodas AMG forjadas de 22 polegadas, faróis, lanternas traseiras e indicadores de direção escurecidos , além de retrovisores, frisos, capa do estepe e adereços dos para-choques pintados em preto Magno.

Leia Também:  PARA O NOVO PROCURADOR DE JUSTIÇA LER, MEDITAR E AGIR: Publicamos artigo do promotor César Danilo e republicamos artigo do jornalista Ademar Adams. O MP não pode quedar-se omisso (e parecer acumpliciado) diante do abuso de governantes que lançam mão do dinheiro público para promoção indevida de suas imagens

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Na parte interna, o destaque é o acabamento ‘G Manufaktur Plus’ que consiste em revestimento em c ouro nappa com função massagem e layout de costura em padrão diamante, além de Volante em fibra de carbono com DINAMICA.

O Mercedes-AMG G 63 Magno Edition tem preço público sugerido de R$ 1.999.900 válido para todo o Brasil. E vale relembrar que todas as unidades disponíveis no país já foram vendidas.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA