(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

Debate na Band MT, exemplo para TVs de todo Brasil

Publicados

Brasil, mostra tua cara


ENOCK APRA MAHON E MAURELIO NO CONFRONTO DE IDEIAS
Foi um golaço da Band Mato Grosso. A tentativa de impeachment da presidenta Dilma Rousseff debatida com diversidade de opinião.Participei eu, o jornalista advogado e blogueiro Enock Cavalcanti, mais o advogado e poeta Eduardo Mahon, o jornalista, blogueiro e estudante de Direito Alexandre Aprá, o médico cirurgião e vereador Maurélio Ribeiro. A prática dos meios de comunicação, no Brasil, é veicularem o pensamento único, sem espaço para a diversidade de opiniões. A Band de Mato Grosso fez diferente por isso está colhendo tantos aplausos. Seria bom se, até o desfecho das votações, em Brasilia, debates como esse se desdobrassem pelo Brasil afora, em respeito ao cidadão telespectador. Por que a Rede Globo não tem coragem de promover uma discussão como essa, sequer na telinha da Globo News? Mais do que covardia editorial é comprometimento com o golpe. Já pensou, em um debate, Luiz Carlos Azenha e Tico Santa Cruz, argumentando contra o impeachment, e Reinaldo Azevedo e o roqueiro Lobão, argumentando pela cassação da Dilma Rousseff? Ia dar pique de audiência. Mas o jornalista Ali Kamel é um golpista covarde. O jornalista William Bonner é um golpista covarde. Os irmãos Marinho, que comandam a Rede Globo são golpistas covardes. Mesmo o Fernando Mitre, o Ricardo Boechat, que falam tanto da coragem da Rede Bandeirantes de Televisão de promoverem debates, não tiveram a coragem que tiveram os srs. Pedro Neves, Marco Polo Pereira e Vinicius Carvalho, de encararem esse desafio, nessa pequena emissora que é a Band Mato Grosso, em face dos oligopólios da comunicação que existem no Brasil. Com boa vontade e com respeito ao cidadãos e cidadãs brasileiras, debates como esses poderiam ser promovidos todos os dias, em face da situação que se vive no Brasil. Mas cadê a coragem? Cadê o compromisso com a verdade do jornalismo e com a garantia efetiva da liberdade de opinião. Destaque apenas para o jornalista Heródoto Barbeiro que através do Jornal da Record News tem conseguido fazer a diferença, se bem que com espaço de tempo menor e sem reunir as grandes figuras, montando confrontos como o que sugeri acima. Os juristas Wadih Damous e José Eduardo Cardozo, contra Janaína Paschoal e Hélio Bicudo, debatendo durante duas horas de televisão. Poder-se-ia formar dezenas de confrontos como esse, com a participação de nomes de peso nacional e internacional. Mas a covardia editorial e a falta de compromisso verdadeiro com a liberdade de expressão impede que isso aconteça e faz da nossa grande mídia um arremedo. A TV Brasil, o TV NBR e outras emissoras governamentais e estatais, como a TV Senado, a Tv Câmara e a TV Justiça também poderiam cumprir esse papel, promovendo estes debates, mas sobra incompetência por todos os lados.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Os votos de Joaquim Barbosa em discussão. Ricardo Noblat desmascara Ricardo Noblat

Propaganda
2 Comentários

2 Comments

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Brasil, mostra tua cara

Morre o prefeito de São Paulo, Bruno Covas

Publicados

em


O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morreu às 8h20 deste domingo (16), em decorrência do câncer da transição esôfago-gástrica e complicações do tratamento. O velório será fechado, com a presença apenas para a família, mas haverá também uma cerimônia na prefeitura.

Licenciado do cargo no início deste mês, Bruno Covas estava em tratamento no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista.

Filho de Pedro Lopes e Renata Covas Lopes e pai do jovem Tomás Covas, Bruno nasceu em Santos, no litoral paulista, no dia 7 de abril de 1980, e foi advogado, economista e político brasileiro.

Mudou-se para a capital paulista em 1995 e, dois anos depois, filiou-se ao PSDB, seguindo os passos do avô, o ex-governador Mário Covas (1930-2001), sua grande inspiração e influência política . No partido, chegou a ser presidente estadual e nacional da Juventude do PSDB e ocupou cargos na Executiva Estadual.

Sua carreira na política começou em 2004, quando se candidatou a vice-prefeito de sua cidade natal. Dois anos depois, foi eleito deputado estadual na Assembleia Legislativa de São Paulo e reeleito para o mesmo cargo e m 2010, com mais de 239 mil votos, sendo o mais votado d aquele ano.

Leia Também:  ARQUITETO JOSÉ ANTÔNIO LEMOS: 2018 chega com alguns gargalos sérios para o mundo e para o Brasil

No ano seguinte, assumiu a Secretaria Estadual do Meio Ambiente no governo de Geraldo Alckmin, permanecendo no cargo até 2014, quando foi eleito deputado federal para o mandato 2015-2019.

Edição: Nádia Franco

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA