(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

ADEMAR ADAMS: Ao ver na TV uma propaganda institucional da Assembleia Legislativa, onde o procurador geral, um promotor e o deputado presidente unidos rasgam a Constituição, que em seu artigo 37 proíbe a imagem de servidores e agentes políticos na publicidade oficial, só me restou gritar: Chamem o ladrão!

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

Promotor Roberto Turin

Promotor Roberto Turin



Chamem o ladrão – conluio AL e MPE

Por Ademar Adams
Ao ver na TV uma propaganda institucional da Assembleia Legislativa, onde o procurador geral, um promotor e o deputado presidente unidos rasgam a Constituição, que em seu artigo 37 proíbe a imagem de servidores e agentes políticos na publicidade oficial, só me restou gritar: Chamem o ladrão!
Faz mais de 20 anos que pessoalmente e através da Ong Moral temos combatido esse abuso dos chefes do poderes, prefeitos e governadores que impunemente violam a norma para fazer auto promoção com o dinheiro público.
Raramente tivemos sucesso, pois o próprio Ministério Público poucas vezes atendeu às nossas representações. Agora entendi porque. Eles também gostam de se autopromover.
De Paulo Prado e do deputado Maluf, não espero boa coisa mesmo, mas me senti triste e desprotegido ao ver o promotor Roberto Turim participando desta patranha.
Como pode? Virem propagar transparência usando de verba pública de forma ilegal. É uma desfaçatez, um chute na cara da sociedade! Tem de devolver o dinheiro!
A quem apelar? Ao governador que na primeira semana deu 500 mil para um evento esportivo de grupo milionário de mídia que faturou dois milhões.
À polícia que não dá conta do seu trabalho comezinho, que nem consegue conter essa onda de assaltos que toma conta da capital?
À justiça que solta assaltantes e assassinos com a velocidade inversa da que tem para julgar Riva e Bosaipo, contra que acaba ocorrendo prescrição?
Não vejo saída. A dignidade morreu, a vergonha na cara sumiu e os homens de bem se escondem.
Quer ver onde vai o dinheiro do seu imposto:
– Verba indenizatória para deputados, vereadores, conselheiros e servidores do Tribunal de Contas e em diversas carreiras do estado;
– Auxílio moradia para magistrados, promotores e procuradores, cuja maioria mora em mansões ou apartamento de luxo de sua propriedade.
– Defensores públicos que fizeram concurso para receber cerca de oito mil reais e do dia pra noite passaram a ganhar como juiz em promotor, cerca de 30 mil por mês. E agora passaram receber auxílio moradia e auxílio transporte de R$ 6.000,00 pro mês.
Dá pra suportar essa farra com o dinheiro público?
É um grande conluio, o órgão propõe, a Assembleia aprova e o governador sanciona, o MPE com regalias semelhantes se omite, a Justiça se provocada leva um século para julgar. A fora as esposas, filhos e apaniguados empregados sem concurso, em trocas vergonhosas de favor à custa do erário.
E nós? Nós pagamos…
Por que será que essa gente raivosa contra o governo federal, não vai às ruas contra estes abusos aqui na nossa casa?
E pensávamos que sem Riva o ambiente iria ficar mais respirável…
Não tem jeito: chamem o ladrão!
….
PS.: Um prefeito de Juara foi considerado ficha suja porque, por duas horas, ficou no site da prefeitura a imagem dele participando de uma inauguração. O MPE propôs a ação e Justiça o condenou. Só porque era adversário do Riva?
———–
ademar adams
Ademar Adams é jornalista em Cuiabá, Mato Grosso.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  SAÍTO, navegando nas águas de Heidegger,  recomenda que se adote a dúvida como a mais conveniente postura ideológica. “Duvide da cultura que se aprende, dos gestos que encanta, das palavras que enobrece e escandaliza, da vida e da morte como finitude, do absoluto e da tentativa de relativizar a tudo e a todos, e, acima de tudo, duvide de qualquer convenção social” – escreve o magistrado cuiabano

Propaganda
8 Comentários

8 Comments

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

O melhor detergente é a luz do sol

JORGE YANAI: Tem umas coisinhas que nós, médicos experientes, nunca vamos abrir mão: os exames clínicos e a boa e velha prosa com o paciente

Publicados

em

50 anos de Medicina

POR JORGE YANAI

 

 

Ano que vem completo 50 anos de Medicina mas quero hoje dividir um pensamento com você.

Nós médicos, somos notáveis pela mão de Deus e com o uso da ciência,  para prevenir, curar, intervir e salvar. Isso merece, sim, uma data e ela tá prontinha, 18 de outubro.

Mas e o dia do paciente, quando comemorar? Sem ele, não tem médico, enfermeiro, técnicos, recepcionistas, hospital, laboratório. É dele que depende o nosso sucesso e é por ele que trabalhamos, isso não pode ser esquecido. Jamais.

Então, todos os dias são dias dos pacientes, inclusive o 17 de setembro, Dia Mundial da Segurança do Paciente, algo mais amplo, conceitual mas ainda pouco pessoal, pouco humano, de verdade.

Na medicina moderna, andamos meio distantes desse protagonista. A internet, os exames, a tecnologia, nos tiram um pouco da proximidade, da intimidade, do toque e do abraço.

Nos últimos anos a pandemia também fez com que essa relação se tornasse mais “europeia” e o bom e velho tempo,  a tal  correria que usamos como desculpa, encurtam as consultas. Infelizmente.

Considero que o médico moderno, deve sim, usar todos os recursos para ser melhor, para fazer o  melhor. Só que tem umas coisinhas que nós, experientes, nunca vamos abrir mão: os exames clínicos e a boa e velha prosa com o paciente.

Muitas coisas são descobertas, ouvindo histórias, observando o tom de voz, gestos, olhares, postura, carências, excessos… porque, afinal, ser médico, também é: ler as pessoas.

Que a tecnologia, o tempo e o respeito aos bons métodos sejam uma forte corrente para que os atuais e futuros médicos possam unir-se às causas que vão além das datas comemorativas.

Um abraço do amigo,

Leia Também:  Força feminina e presença marcantes das rodas de samba de Cuiabá, cantora Deize Águena convoca mato-grossenses para conhecer sua nova música “Pra ser feliz”

Jorge Yanai, médico desde 1972… e eterno aprendiz das necessidades humanas.

Jorge Yanai

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA