(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

ADEMAR ADAMS: A cortina que roubou meu bife lá no Hotel Águas Quentes

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

Patacoada

A cortina que roubou meu bife

Por Ademar Adams

É verdade que nunca apreciei a comida do restaurante do Hotel Mato Grosso Águas Quentes. Falei isso nas muitas vezes que estive hospedado naquele local maravilhoso em eventos sociais, de trabalho, em cursos sindicais ou cooperativos que participei.

Nunca deixei de ir lá por causa da comida, o lugar compensa minha desdita com o cardápio. Se bem que uso de um dia, o chamado day use, eu nunca tinha feito.

Então neste começo de ano fomos passar um dia lá com a família, incluindo pela primeira vez os nossos netos. 

Lá pela tantas senti um aroma de carne suína assada ou frita que me permitiu augurar um primeiro almoço digno dos meus elogios.

Chegada a hora do almoço com a família todos fazendo “boca de rancho”, como se dizia na caserna de quem estava na primeira fila na hora do rango.

Todos se serviram e nos sentamos para almoçar. Nossa mesa ficava num canto junto ao guarda corpo no lado do restaurante que dá para as piscinas quentes.

Mal comecei meu almoço e uma lufada de vento fez uma cortina vermelha me envolver. Pela cor dela politicamente falando, bem-vinda. Mas, futebolisticamente, vade retro! Desvencilhei-me dela e senti que ela tinha um tipo de contra peso, joguei ela para o lado de fora e por lá ela ficou.

Minha cunhada Vanessa notou aquela coisa pendurada e eu didaticamente expliquei que era um peso para segurar a cortina. 

– Parece um bife, disse ela.

Respondi que deveria ser um tipo de cerâmica ou coisa que valha.

Voltei ao prato e terminada a salada resolvi provar o bife suíno, cujo olor eu havia sentido antes do almoço. Mas cadê o meu bife? Escrafunchei meu prato e não é que o bife tinha sumido.

– Está lá pendurado na cortina, insistiu a Vanessa.

Só então eu fui olhar com mais afinco aquilo que eu tinha definido como peso para manter a cortina. Era o meu bife enroscado num daqueles penduricalhos da cortina…

Rimos muito e virou a piada do almoço, o caso da cortina ladrona de bife.

Ainda fui fazer um repeteco da comida, mas os bifes de suíno não estavam disponíveis no momento. Voltei à mesa resmungando da comida como sempre. 

Fomos à busca da sobremesa para tentar suavizar o desprazer da comida. Vã esperança…a sobremesa também não era do meu gosto.

E assim mantive minha condenação ao almoço do hotel. Mas na verdade, em resorts e casas onde se faz comida para muita gente, a qualidade é sempre baixa. A única chance de mudar um pouco esta minha avaliação, me foi surrupiada pela cortina rubra. 

Pelo menos saí no lucro, pois a patacoada da cortina ladrona me rendeu esta crônica.

Ademar Adams é jornalista em Cuiabá, MT

Janeiro de 2022

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PT condena privatização da Eletrobras e diz que se eleito estatizaria novamente
Propaganda

O melhor detergente é a luz do sol

GABRIEL NOVIS NEVES: Se pensarmos que a população mundial está chegando aos 8 bilhões de pessoas, e que apenas 2 bilhões foram vacinadas, e que as distâncias entre as nações inexistem com a globalização, entenderemos que tão cedo não nos livraremos desta pandemia

Publicados

em

MAIS SAÚDE

Por Gabriel Novis Neves

Uma enquete popular realizada por um website de Cuiabá revelou que a principal prioridade para este ano de 2022 entre os votantes foi ter mais saúde. Ganhou disparado do 2º lugar que era ganhar dinheiro.

Isso demonstra a gravidade que passamos com a pandemia que parece não ter fim, preocupando toda a sociedade cuiabana. Com as necessárias medidas impostas pela vigilância sanitária, como num efeito dominó, todas as demais conquistas como ter dinheiro e comprar a casa própria ficam prejudicadas.

Houve uma frouxidão dessas medidas nas festas de final de ano. Agora, estamos colhendo os frutos dessa irresponsabilidade social com o número elevado de pacientes doentes.

Mesmo aqueles vacinados com as duas doses da vacina contra o Covid19 mais a dose de reforço, e ainda a vacina contra a gripe, estão se contaminando. A rede pública hospitalar está sobrecarregada, assim como os hospitais privados no atendimento a “essa gripe” que tem produzido óbitos em nosso Estado.

Enquanto a população mundial não acreditar que esse vírus sofre mutações, essa terrível pandemia não nos abandonará. Países do chamado 1º mundo como os EUA e muitos da Europa, estão com números assustadores desses doentes, elevando a taxa de contaminados no mundo.

Aqueles que apresentam fortes sintomas “gripais”, o tratamento é sintomático. Isolamento, uso de máscara, álcool em gel e um antiviral para tentar amenizar os sintomas e reduzir o tempo de permanência do H3N2 no nosso organismo.

O pior é que a indústria farmacêutica, de um modo geral, aproveita dessa situação. Durante essa onda de “gripe” o preço do antiviral quadruplicou e desapareceu do mercado. Claro que os pobres não terão acesso a eles, estrangulando ainda mais a rede pública de saúde.

Se pensarmos que a população mundial está chegando aos 8 bilhões de pessoas, e que apenas 2 bilhões foram vacinadas, e que as distâncias entre as nações inexistem com a globalização, entenderemos que tão cedo não nos livraremos desta pandemia.

Que os países mais ricos do mundo, forneçam vacinas aos mais pobres sem condições de adquiri-las! Só com vacinação em massa dos habitantes do planeta poderemos exterminar essa pandemia causada pelo Covid19.

Gabriel Novis Neves é médico e professor aposentado em Cuiabá, MT e titular do blogue Bar do Bugre

05-01-2022

 

Gabriel. Foto Secom MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  VALTER POMAR: Parece bonito: sacrificamos o PT (com a dobradinha Lula-Alckmin) mas salvamos o Brasil. Infelizmente, se a "operação chuchu" der certo, o sacrifício não será do PT, mas sim da presente e atual oportunidade de transformar profundamente o Brasil num sentido favorável à maioria do povo
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA