O JULGAMENTO DO JULGAMENTO DO MENSALÃO: Enormes massas de eleitores, apesar de expostos à chacina contra líderes petistas na corte suprema, não compraram gato por lebre. Desde às vésperas do golpe militar não se via tamanha operação de desgaste contra um partido. Como disse um eleitor na rede social: quem tem o domínio do fato, na democracia, é o povo.

Quem tem domínio do fato, na democracia, é o povo

O que ocorreu neste domingo, de certa forma, foi o julgamento do julgamento. E apesar das análises que apontam a fragmentação do poder, o PT avançou e seu maior adversário encolheu, a despeito do maior massacre midiático contra um partido já visto no País; artigo exclusivo para o 247 de Breno Altman

Por Breno Altman, diretor do Opera Mundi (especial para o 247)

Os resultados das eleições municipais, concluído o segundo turno, evidenciam sólido avanço do Partido dos Trabalhadores. Apesar de alguns importantes insucessos localizados (como Salvador e Fortaleza), a agremiação atingiu vários objetivos estratégicos.

O PT sagrou-se como a legenda mais votada do primeiro turno, com 17,3 milhões de sufrágios e um crescimento de 4% sobre 2008. Aumentou em 15% o número de prefeituras que irá governar (634 contra 550). Deu salto de 16% para 20% no total do eleitorado sob sua gestão municipal. Acima de tudo, pelo peso político e simbólico, reconquistou o governo da cidade de São Paulo.

Apesar de aparente dispersão da hegemonia sobre o poder local, com o surgimento do PSD de Kassab e a expansão do PSB de Eduardo Campos, a pedra de toque das eleições concluídas nesse domingo foi o fortalecimento do maior partido da esquerda, em contraposição ao encolhimento de seu principal antagonista à direita, o PSDB.

Os tucanos perderam massa de votos (queda de 5,02%, de 14,5 para 13,8 milhões), além de número de prefeitos (de 787 para 704) e vereadores (de 5,9 para 5,2 mil). Foram surrados no sul e sudeste do país, que antes consideravam sua fortaleza. E foram duramente golpeados na sua principal cidadela: além de perderem a capital paulista, estão cercados pelo cinturão vermelho que se consolidou na área metropolitana de São Paulo.

Muitos analistas da imprensa tradicional estão atônitos. Tentam atropeladamente fugir às óbvias conclusões sobre o processo eleitoral. Ora ensaiam dar ênfase a uma suposta fragmentação do voto, ora dirigem olhos para uma eventual terceira via na polarização nacional, com a ascensão do PSB. Não passam de manobras diversionistas. A aposta que faziam era derrotar o PT e diminuir gravemente seu peso político. Perderam, e feio.

A estratégia antipetista repousava no julgamento do chamado “mensalão”. Estabeleceu-se acosso midiático jamais visto sobre a corte suprema, para buscar a degola de líderes históricos da sigla governista, apresentados à opinião pública, diuturnamente, como bandidos com sentença transitada em julgado pelos mais impolutos homens e mulheres da nação.

O espetáculo de exceção foi além de seu limiar processual. Os votos de vários ministros, ao vivo e em cores, constituíram-se em declarações moralmente condenatórias contra o PT e o governo Lula.

À oposição de direita e aos grandes veículos de comunicação, somou-se, no palanque das denúncias contra dirigentes petistas, a maioria do STF. O centro da disputa política, com o julgamento, trasladou-se para o tribunal, com a expectativa de sacramentar institucionalmente a existência do esquema para compra de apoio parlamentar entre 2003 e 2005. Desde às vésperas do golpe militar não se via tamanha operação de desgaste contra um partido.

O que se esperava, quando a deliberação togada chegasse às ruas, era o derretimento do PT. Na pior das hipóteses, ao menos um sensível encolhimento e a derrocada na tentativa de conquistar a maior cidade brasileira. No auge da ofensiva, não faltaram vozes que vaticinavam o ocaso da liderança de Lula. Mas as forças de direita viram ruir seus sonhos e tomaram uma tunda histórica.

Os áulicos do reacionarismo ainda não entendem o que se passou. O porquê da patuleia não dar bola para o julgamento na hora de votar. A mídia corporativa é obrigada a engolir, pela terceira vez, o fel de sua progressiva insignificância na formação de almas e mentes. Não conseguem aceitar que os pobres da cidade e do campo, secularmente condenados pela oligarquia à ignorância, ao desespero e à exclusão cultural, sejam capazes de forjar sua própria consciência de classe.

Os dez anos de governo petista, com seus altos e baixos, mudaram a vida de milhões. De dezenas de milhões. Pela primeira vez a multidão de miseráveis viu sua vida melhorar, de forma estável e duradoura. Aumentaram a renda, a oferta de trabalho, o acesso à educação e moradia, o sentimento de autoestima. Os vínculos de identidade com o partido responsável por essas mudanças, e principalmente com seu maior líder, foram se consolidando.

Os despossuídos, que antes eram majoritariamente reserva de mercado para distintos projetos políticos das elites, vão passando a ter lado, o seu próprio lado. A identificar amigos e inimigos, lógicas em conflito, a verdade dos fatos. Esse processo dolorido, mas enraizado, fabrica um escudo contra a manipulação midiática. E serviu de vacina contra o julgamento do “mensalão”.

Enormes massas de eleitores, apesar de expostos à chacina contra líderes petistas na corte suprema, não compraram gato por lebre. Não aceitaram a agenda que a direita lhes quis impor. Mesmo sensibilizados com o discurso anticorrupção, intuem sua falsidade nesse episódio, sua utilização como instrumento político-eleitoral.

De múltiplas formas, compreenderam que seria algo contrário a seus interesses, que poderia ameaçar o partido e o governo que abriram as portas para a emergência dos pobres como protagonistas do desenvolvimento.

Os conservadores estão, assim, desacorçoados com a indiferença do povaréu diante do espetáculo no qual empenharam todas as suas energias. De alguma maneira, ao menos simbolicamente, foi o julgamento do julgamento. Como disse um eleitor essa madrugada, na rede social: quem tem o domínio do fato, na democracia, é o povo.

11 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.10.51.75 - Responder

    Não teve massacre nenhum, A imprensa até que pegou leve com os pilantras petistas. Massacre mesmo haveria é se fosse o contrário com os condenados pertencendo a partidos adversários do PT. Aí sim a petelhada que dominam as redações dos jornais (né meninos???) estaria babando em notícias e análises apocalipticas. Quanto ao suposto julgamento do julgamento, continuem dizendo que o voto no PT significa a absolvção dos mensaleiros, que não demora o mote a pegar, só que ao contrário, com votos contra o partido.

    • - IP 189.73.215.248 - Responder

      A Gande imprensa e até alguns suspetíssimos ministros so Supremo tentou passar aos desavisados que o julgamento era contra o Partido dos Trabalhadores, ao invés de contra os antigos líderes dessa sigla.
      Forçou-se a barra para que o julgamento do mensalão acontecessse nas vésperas das eleições, mesmo sabendo que haviam ministros que estavam se aposentando.Mesmo sabendo do problema de saúde do ministro relator, nada disso foi considerado. Prevaleceu-se o desejo da Grande Imprensa que precisava expor o julgamento, para que o fato pudsse ser explorado politicamente pelos partidos da oposição, aliados da Grande Imprensa: PSDB e DEM.
      Não faltou ai aqueles discursos moralistas dos opositores do Partido dos Trabalhadores, como se antes desses antigos lideres do PT, nenhum outro partido havia subornado políticos de outros partidos para votar matérias de seu interesse. Como se nunca tivesse existido suborno de deputados para se votar a reeleição de Fernando Henrique Cardoso, por exemplo.
      E a cobertura foi enorme. Na quarta-feira o Jornal Nacional dedicou fantásticos 18 minutos de sua programaçao para falar no julgamento do mensalão.
      Ocorre que o eleitor brasileiro é sábio e mostrou a Grande Imprensa e aos partidos da oposição que odeia ser manipulado.
      Assim, terminadas as eleições, se constatou que o PT, não encolheu, como tanto desejava a Grande Imprensa, mas cresceu 13% o número de prefeitura conquistadas, em relação as eleições de 2008, sendo prefeituras populosas, como São Paulo, de maneia que 1/5 da população brasileira estará vivendo em uma prefeitura administrada pelo PT. Sem contar o aumento de vereadores e vice-prefeitos.
      Em Cuiabá, por exemplo, se dobrou a bancada de vereadores do PT de 1 para 2 vereadores e o candidato a prefeito do PT perdeu as eleições, mas obteve 45% dos votos.
      Atrave’s do resultado das eleições o eleitor dá um recado a Grande Imprensa de que o povo brasileiro deseja o combate a corrupção, mas sabe que os candidatos a prefeito eleitos pelo PT não tem vinculadação nenhuma com o que fez ou deixou de fazer os antigos líderes da sigla. Até porque a quase totalidade dos candidatos do PT eram caras novas na politica. Assim, aconteceu uma renovação o que é ótimo para a democracia.
      E o povo espera que os antigos líderes do PT não sejam os ÚNICOS condenados pelo Supremo, mas que sejam apenas os PRIMEIROS políticos a serem julgados e condenados.
      Que depois desse mensalão, se julgue imediatamente depois também o mensalão mineiro do PSDB, envolvendo o senador Eduardo Azeredo, o mesmo Marcos Valério e outros.
      Se isso não acontecer, de fato, o julgamento do mensalão do PT vai ficar parecendo retaliação ou acerto de contas da direita reacionária com aqueles antigos líderes da esquerda que no passado remoto ousaram pegar em armas para defender a democracia.
      Vamos ver e torcer para que TODOS os corruptos sejam julgados, e com a mesma dureza, pelo Supremo.

  2. - IP 189.59.42.155 - Responder

    Essa desinformação e o descaso em relação ao mensalaõ,reflete apenas o brasileiro na sua essência,e dai? Todos fazem a mesma coisa,porque o pt ñ pode fazer?Enock você sabe disso tenho certeza, o brasileiro tem uma indole má , gosta de levar vantagem, é dissimulado e rouba com frequencia,o que puder,nos negócios, na rua , no comercio,nos supermercados, etc. Porque ele ñ votaria no pt? Só ñ aceito qu se fale que mfoi por idealismo, por admiração a Lula ,etc…. Aí é demais!

    • - IP 187.5.110.146 - Responder

      pense bem no que falou, com certeza falou por si e graças a Deus o povão é mais mais honesto

  3. - IP 201.41.112.119 - Responder

    Ledo engano, não houve massacre, houve exploração eleitoreira normal, mesmo porque a burguesia não pode pegar muito pesado, já que poderia expor a classe inteira, afinal de contas, trazer as grandes lideranças do antigo Partidos dos Trabalhadores, hoje ‘so uma sigla, PT, para o mundo da corrupção foi o maior dos feitos da burguesia, mas não pode aparecer que a burguesia como um todo é, e sempre foi, delinquente. Se fossem levar as investigações adiante iria aparecer toda a cúpula tucana e de todos os partidos, o que poderia levar as massas pras ruas. Então pode fazer o jogo, desde que dentro de certos limites. A burguesia, como sempre, sai ganhando, porque sempre tem dois candidatos seus. seja ele do do PT, ou do PSDB, ou do DEM, ou PDT etc, não importa, serão sempre candidatos a um cargo de gerência tão somente. Numa empresa, quem manda é o dono, o gerente faz o que tem que fazer, e acabou. Lulla gerenciou os negócios do capital com mais competência, até mesmo porque comandava o movimento social e a moeda de troca foi essa, vocês me entregam o poder gerencial e eu boto a patuleia do movimento social pra calar a boca, óbvio que deixando escorregar algun$ pras lideranças dessa mesma patuleia. Esse foi o tom da negociação em Washington, com Bush, em 2000. Ganha a corrupçao, ganha o sistema de representacao da burguesia, ganha o PT, ganha o PSDB, ganha o PMDB e outras quadrilhas afins, perde o povo trabalhador. A cada ano que passa, o povo está menos guarnecido, mais a mercê das bolhas que estouram e que são aplastadas com muito dinheiro público, como foi a de 2008 com injeção de 24 trilhões de dólares em todo o mundo nas economias privadas, principalmente bancos. O PT apenas cumpre esse papel ridículo de enganar o povo, parecer que há oposição, que há esperança. Mas tudo n!ão passa das velhas artimanhas da burguesia. O papel se presta ao papel histórico da maior traição à classe trabalhadora da história, coisa pouca, nem chega a escandalizar. Apenas me pergunto…mas até quando? Ah, quando vier a fatura, vai ser com juro, Lulla deve entrar nos livros de história do mundo todo como o maior lambe-botas do capital do mundo, o maior pilantra da história. Dificlmente vai aparecer outro, penso que, quando esse for desmascarado, a classe trabalhadora ficará mais atenta a demagogos de plantão como o Sr. Luiz Cabo Anselmo da Silva.

  4. - IP 189.59.37.240 - Responder

    Todas as correções importantes para a democracia brasileira vieram através de movimentos e de terceiros que têm operado fora das posições formais de poder. Estes movimentos construídos sempre tiveram impulso suficiente e apoio popular, para forçar a elite do poder responder às suas preocupações. As eleições deste ano não se inserem fora desta avaliação e a classe trabalhadora deve continuar se organizando para responder ao que vier pela frente de forma mais organizada ainda e não deixar as lideranças formais do PT falar em nome dela. Devemos sempre levar em conta que PT é maior que os seus líderes, enquanto partido e sua base militante deve acumular forças e expelir os quadros que compõem com o que há de mais sórdido em Cuiabá, Mato Grosso e Brasil.

    • - IP 187.5.110.146 - Responder

      É isso ai, parabéns pela coerencia de raciocinio

      • - IP 177.3.52.125 - Responder

        É isso aí, Pense Bem, é isso aí, Maria. Vote nos “cumpanherus para absover os mensalerus”.

        • - IP 187.5.110.146 - Responder

          Pense bem no que falou … vc não acompanhou o julagamento …

  5. - IP 201.67.0.176 - Responder

    Engraçado, Enock véi de guerra, recebi e-mail de nossa Sorg Nacional dando conta que a instabilidade de nosso sistema de filiação on-line se devia ao fato de já há algum tempo (antes do 2º turno) passarmos de 2.000 filiações mensais para a impressionante marca de 4.000 diárias.
    Será reflexo do mensalão? (dizem que se instalou aqui em 22 de abril de 1500 e o Supremo só agora achou ele…) Isto não garanto, mas sei que em breve teremos um número de filiados que superará a maioria das legendas.
    Abraço deste não mensaleiro que custeou suas despesas na eleições 2012 com seus próprios (e escassos) recursos.

    Saroba

  6. - IP 189.31.24.76 - Responder

    É deprimente ver estas tentativas de defender esses petistas escrotos. Enock voce precisa ver os fatos ; 8 dos Ministros do STF foram nomeados pelos petistas , que num JULGAMENTO os está condenando. Tudo dentro da lei. Enock meu caro ,não se faça menor que voce é.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 2 =