Enock Cavalcanti conversa com Sebastião de Moraes

Atual Corregedor Geral de Justiça de Mato Grosso, o desembargador Sebastião de Moraes Filho se apega à tese de que Diretas Já para a escolha do novo presidente do Tribunal de Justiça só é possível com alteração que seja feita na Constituição pelo Congresso Nacional. Mesmo assim, em qualquer que seja o ambiente, ele anunciou, na conversa com o blogueiro Enock Cavalcanti, que é pré-candidato e que pretende participar da disputa pela sucessão do atual presidente da Corte, desembargador Orlando Perri

Atual Corregedor Geral de Justiça de Mato Grosso, o desembargador Sebastião de Moraes Filho se apega à tese de que Diretas Já para a escolha do novo presidente do Tribunal de Justiça só é possível com alteração que seja feita na Constituição pelo Congresso Nacional. Mesmo assim, em qualquer que seja o ambiente, ele anunciou, na conversa com o blogueiro Enock Cavalcanti, que é pré-candidato e que pretende participar da disputa pela sucessão do atual presidente da Corte, desembargador Orlando Perri

“O homem é o homem e a sua circunstância”. José Ortega y Gasset (1883-1955), filósofo espanhol

Desembargador e atual corregedor geral de Justiça de Mato Grosso, Sebastião de Moraes Filho recebeu este blogueiro em seu gabinete para uma conversa das mais descontraídas. Uma conversa que começou abordando o episódio instigante da proposta de eleições diretas para o comando do Poder Judiciário e se espalhou por assuntos como o esforço que ele diz desenvolver para implementar um trabalho que faça da corregedoria uma estrutura de poder “não tão punitiva”.

A necessidade de participação dos magistrados de primeira instância nas decisões da Corte estadual é uma reivindicação premente, repressada através dos anos – e que Sebastião de Moraes entende que pode ser enfrentada não apenas através do instituto das eleições diretas. A democratização do generenciamento pode vir através da formação de conselhos que subsidiem o trabalho de quem comanda o Tribunal.

No vai e vem da conversa, o atual corregedor aproveitou para relembrar que ele, como tantos outros magistrados de carreira, também atuou durante muito tempo na primeira instância e lá “comeu o pão que o diabo amassou”, obrigado a responder a alguns processos administrativos que ele entende que tiveram motivação injusta.

Com bom humor relembrou também que só chegou ao Pleno do TJ promovido que foi por antiguidade – já que a promoções por merecimento no Tribunal de Mato Grosso, segundo ele, em um dos rompantes de ironia, só vem “por razões que a própria razão desconhece”. Notadamente nos velhos tempos, em que as escolhas dos promovidos se davam através de votações secretas.

O desembargador Sebastião de Moraes Filho fez questão de ressaltar sua origem humilde, filho do lavrador Sebastião Nazário de Moraes, pai de outros sete filhos que, pensando mais no futuro dos seus herdeiros do que nos seus próprios interesses, resolveu deixar a pequena cidade de Livramente e trazer a familia para Cuiabá, onde seus filhos puderam, então, estudar e ascender socialmente na vida.

“Quem poderia acreditar que aquele menininho que vendia pão pelas ruas de Livramento, aos seis anos de idade, poderia chegar onde cheguei?” E confessa que a grande frustração daquele menininho foi não ter sido engraxate, como muitos de seus colegas. “Morei na rua Júlio Muller, nas barrancas do Rio Cuiabá, mas sempre tive dinheiro no bolso, nunca tive medo de trabalhar. Fui cobrador de lotação, vendedor de peixe, mas sempre estudei. Saia de casa às 8 da manhã voltava às 11 horas da noite e hoje vejo pessoas que eram melhores do que eu, naquela época, em situação inferior.”

Com sete anos de atividades ainda para cumprir até a aposentadoria compulsória aos 70 anos, o corregedor admite que uma das possibilidade de seu futuro é que se afaste do Judiciário aos 65 anos. Um dos projetos que anuncia com um sorriso é a vontade de escrever um livro relatando “causos do Judiciário” que viveu e conheceu.
Como o da indenização por danos morais que acabou recebendo do radialista Antero Paes de Barros e do jornal A Gazeta depois de criticas que recebeu e que a Justiça sentenciou como indevidas. Com o dinheiro, patrocinou uma temporada de férias na Europa, ao lado da querida esposa Marlene.

Confira, no vídeo, algumas das histórias que marcaram a vida do cidadão e hoje desembargador Sebastião de Moraes Filho. Também participou da conversa a juíza Wandinelma Santos.

7 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.123.6.237 - Responder

    Kkkkkk… vou rir para não chorar…. e o Enock ainda dá corda….
    O STF JÁ FALOU DES. SEBASTIÃO… SE ESTIVER PREVISTO NO REGIMENTO INTERNO PODE SIM DESEMBARGADOR…. VEJA-SE O ARTIGO 96 DA CF/88… ESSE ARGUMENTO DO SR. DE QUE “SE NÃO PODE POR LEI ESTADUAL PORQUE É QUE PODERÁ SER POR REGIMENTO?” DEMOSNTRA IGNORÂNCIA…. LEMBRE-SE DA TEORIA CONSTITUCIONAL DESEMBAGADOR, O “PRINCÍPIO DA SEPARAÇÃO DOS PODERES” CONFERE AUTONOMIA NORMATIVA AO JUDICIÁRIO… E OUTRA DESEMBARGADOR, HOJE NAO E ADEQUADO SE FALAR E, HIERARQUIA ENTRE MEMBROS DO JUDICIÁRIO… VAMOS DEIXAR O CONSERVADORISMO DE LADO E VAMOS VOLTAR PARA A REALIDADE POLÍTICA, INSTITUCIONAL E SOCIAL…

  2. - IP 179.216.214.191 - Responder

    E a corregedoria, corrigiu quem…?
    E os processos contra o hamster anão e seus sócios bosaipo e arcanjo…?
    Aproveitou para perguntar a ele o porque de tanta embromação nesses processos…?

  3. - IP 189.59.58.94 - Responder

    Um homem errado no lugar errado.Prometeu mudanças para continuar tudo como está.O TJ-MT é um dos piores em prestação jurisdicional no Brasil!

  4. - IP 177.64.231.197 - Responder

    Tanta falta de conhecimento jurídico que não vale nem a pena assistir.

    • - IP 189.59.55.195 - Responder

      Tanta falta de conhecimento de aspirações populares que nem adianta comentar.Fatos são fatos,o TJ presta um péssimo serviço ao povo e aos advogados.FATO!

  5. - IP 177.193.175.194 - Responder

    Parabéns Desembargador! Pela humildade e pela técnica nas sessões.

  6. - IP 189.87.159.24 - Responder

    Correto o pronunciamento do Desembargador. Parabens pela humildade e pelas francas exposiçoes, dando publicidade de todas as mazelas do Judiciário. Somente um homem de coragem e despido de vaidades faria tamanhas verdades. Comentários contrarios, certamente, são daqueles ignorantes da lei, daqueles frustrados com o Poder Judiciário ou daqueles que tem interesse, mesmo atropelando a Constituiçao Federal. Muitos desembargadores já comeram costela com mandioca e apos galgarem o posto querem arrotar caviar. Sublime não esquecer do passado. Ser não é defeito, lutar para sair da pobreza é virtude. As palavras do Desembargador Sebastião de Morais revelam virtude, valor com a familia, coragem, aspectos quem, hoje em dia, não se veem nas pessoas, Quase todas esquecem do passado e somente querem as glorias do poder. Parabens, que Deus o proteja. Que alcance seu desejo de ser PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MATO GROSSO. Que o Tribunal de Justiça,com sua pessoa, ganhe, além de sabedoria, humildade e bençãos divida. VA EM FRENTE.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um × 2 =