PREFEITURA SANEAMENTO

O GOLPE DAS EMPRESAS FANTASMAS: STJ segue voto de Eliana Calmon e aceita mais uma denúncia do MP contra Bosaipo, parceiro de Riva

De acordo com a acusação, Riva, Bosaipo e outros acusados, participavam de um esquema que emitia cheques para empresas fantasmas. Também é citado como participante do esquema o comendador João Arcando Ribeiro, ex-chefe do crime organizado em Mato Grosso, através de suas factorings

Em meados de 2009, o processo que é abordado nesta reportagem de Catarine Piccioni, foi desmembrado, considerando que os outros envolvidos não têm foro privilegiado perante o STJ. Entre esses “outros envolvidos”, é sempre bom lembrar, está o deputado José Geraldo Riva, o superprocessado presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso cujo julgamento se dá perante o TJMT. Um mesmo caso, julgado por dois tribunais e por juizes diferentes. Para um cidadão leigo, imagino eu,  fica dificil de entender essas firulas, mas quando se trata de crime do colarinho branco, é assim que se faz neste Brasil varonil. Confira o noticiário. (EC)

 

 

Tribunal superior aceita mais uma denúncia do MP contra conselheiro afastado Humberto Bosaipo

De Brasília – Catarine Piccioni
OLHAR DIRETO

Por unanimidade, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aceitou mais uma denúncia oferecida pelo Ministério Público contra Humberto Bosaipo, ex-deputado estadual e conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE), por peculato e lavagem de dinheiro.

Também por unanimidade, os ministros do STJ, em sessão nesta quarta-feira (20), declararam extinta a punibilidade em relação à acusação de formação de quadrilha, pois o suposto crime está prescrito.

A Corte também determinou, por maioria, o afastamento cautelar de Bosaipo do exercício do cargo de conselheiro até o término da instrução criminal. Em relação ao afastamento, o ministro Ari Pargendler não acompanhou o voto proferido pela ministra Eliana Calmon, relatora do caso.

A questão do afastamento já foi levantada em outras ações penais. No último dia 6, quando aceitou outra ação penal contra o ex-parlamentar, o STJ já havia decidido manter a decisão sobre o afastamento. Ele está afastado desde 2011.

O caso está no tribunal superior desde maio de 2008. Com o recebimento da denúncia, Bosaipo se tornou réu nesta quarta em mais um processo.

A ação penal em questão é uma da série de processos sobre suposto esquema de apropriação e desvios de recursos públicos da Assembleia Legislativa por meio de emissão e pagamento com cheques para empresas inexistentes ou irregulares — que seriam fornecedores. O esquema teria sido articulado por meio de factoring pertencente a João Arcanjo Ribeiro, apontado como ex-chefe do crime organizado em Mato Grosso.

Em meados de 2009, o processo foi desmembrado, considerando que os outros envolvidos não têm foro privilegiado perante o STJ. A reportagem tentou contato com o advogado Paulo Taques, mas ele não atendeu as ligações e não deu retorno até o momento.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.193.143.77 - Responder

    Tá bom, mas e o baixinho, não vai ser julgado? Ele também faz parte dessas maracutaia. Foi por isso que ele desmembrou o processo, né?Lá fora os tentáculos dele ainda são pequenos, já no estado…..

  2. - IP 177.41.95.74 - Responder

    É simplesmente um acinte,um deboche a todo povo de MT, o poder exercido pelo multi-processado dep. Riva.Ao ver as ditas autoridades, da mais importante a mais simples, reverenciando e bajulando essa repugnante figura,ofende a nossa inteligência.De onde sai esse poder? Avise ao analista Alfredo Menezes que ñ se cansa de elogiar a ¨capacidade de articulação desse dep. que essa dita articulação ,sai do bolso do povo de MT,como no caso agora divulgado de desvio de dinheiro dos combustíveis,33 carros e 1 milhão por mês de desvio ,para onde?Lógico que é para algum mensalinho.A justiça ,como sempre ,entra muda e sai calada .Somos uma corrutela de ultima categoria que é subtraída todos os dias ,e aceita calada e acovardada!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 4 =