O deputado Geraldo Riva está livre. O povo que ontem sorriu, hoje chora

Navi novi sub sole

Por  Ademar Adams

 

A decisão do desembargador José Jurandir de Lima que suspende a liminar da Vara de Ação Civil Pública que afastara Riva da 1ª Secretaria da Assembléia Legislativa era tão esperada quando a certeza de que depois de amanhã será domingo.

Não precisa ser pitonisa nem adivinho para prever as decisões do nosso nada egrégio Tribunal de Justiça. Um Tribunal que tolerou durante décadas o império do crime de João Arcanjo e tolera há mais de cinco anos os crimes cometidos contra o erário no legislativo local, não tem probidade suficiente para manter a dignidade de uma liminar como a que foi concedida pelo Juiz Gonçalo de Barros.

 Por isso, nada de novo sob o sol. Tudo como dantes no quartel de Abrantes. Pobre povo desta terra! Quem está nessa luta não esmorece, mas o povo que ontem sorriu, hoje chora.

 Castro Alves, se vivo fosse cantaria assim: “A iniqüidade é demais, da etérea plaga, levantai-vos fundadores desta terra. Sutil, aderne o teu barco antes Forquilha, Dom Aquino, enterre a tua cruz noutro destino!
       

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP - Responder

    É tudo farinha do mesmo saco, um protege o outro e o povo brasileiro tem seu dinheiro jogado fora, digo nas cuecas, meias e malas dos políticos desonestos. Ser desonesto é aquele político que faz qualquer ato irregular, se brincar de pegar ladrão não fica um meu irmão. Que verdade.

    Humberto Matias Ferreira da Nóbrega
    http://blogs.abril.com.br/humbertonobrega

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × 1 =