PREFEITURA SANEAMENTO

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) será investigado, com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), por suposto envolvimento com organização criminosa interessada na ocupação ilegal da Terra Indígena Xavante Marãiwatsédé, em Mato Grosso

.

.

Presidente do PSDB-MT é investigado por usar PEC para favorecer criminosos

JACQUES GOSCH / RDNEWS

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) será investigado, com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), por suposto envolvimento com organização criminosa interessada na ocupação ilegal da Terra Indígena Xavante Marãiwatsédé, em Mato Grosso.

Segundo denuncia do Ministério Público Federal (MPF), o tucano estaria utilizando o cargo público para favorecer o grupo interessado na aprovação da PEC 215, que retira da Funai a prerrogativa de demarcar terras indígenas transferindo a responsabilidade ao Congresso Nacional.

O requerimento para que o inquérito da Polícia Federal fosse encaminado ao STF partiu da Procuradoria da República em Barra do Garças. Em razão do foro privilegiado de Nilson Leitão, o Supremo desmembrou as averiguações solicitando que o MPF se manifeste sobre a necessidade de realizar novas diligências.

A investigação da Polícia Federal aponta a invasão de terras indígenas Xavante no norte do Estado com indícios da possível participação de Nilson Leitão.

“As investigações apontaram para a existência de uma verdadeira associação criminosa que, valendo-se de poderio econômico e influência política na região, passaram a manipular número indeterminado de pessoa e incitar a prática de diversos atos criminosos (depredação e furto de bens públicos federais, cárcere privado de servidores públicos e ex-posseiros, obstrução de estradas federais, cárcere privado de servidores públicos e ex-posseiros, obstrução e estradas, ameaças, incêndios)”, diz trecho do requerimento apresentado pelo MPF.

A decisão autorizado a investigação da conduta do parlamentar foi proferida pelo ministro Dias Toffoli no último dia 30 de março. Segundo o despacho “há inferência de áudios em que o deputado federal Nilson Leitão foi citado em atividades que extrapolariam, em princípio, a representação parlamentar, incitando o descumprimento de ordem judicial”.

O MPF ainda indica que interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça demonstram possíveis negociações para direcionar o parecer da relatoria da Comissão Especial da PEC 215, presidida por Nilson Leitão, ao interesses do suposto grupo criminoso. Na Câmara Federal, o tucano é um dos principais defensores das mudanças nas regras para demarcação de áreas indígenas.

A Terra Indígena Marãiwatsédé, situada na região do Araguaia, foi demarcada e homologada em 1998. Entretanto, os posseiros foram retirados da área somente em janeiro de 2013 durante operação da Força Nacional de Segurança.

Após a desintrusão da área, os invasores tentaram por diversas vezes retornar. Somente em agosto de 2014, a Polícia Federal deflagrou operação que resultou no cumprimento de cinco mandados de prisão, oito de condução coercitiva e 17 de busca e apreensão contra o grupo que tentava impedir a ocupação das terras pelos Xavantes.

Outro Lado

O deputado federal Nilson Leitão afirma que o MPF cumpre sua prerrogativa constitucional ao investigá-lo. Entretanto, afirma que sua inocência será comprovada ao final das apurações. “Não tenho nada com isso. Acredito que a denúncia seja uma espécie de repreensão pela minha atuação firme na presidência da Comissão Especial da PEC 215”, declarou em entrevista ao Rdnews.

5 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.69.195 - Responder

    É esse tipo de gente que ataca os Sem Terras. Fazem o jogo dos grileiros e latifundiários com atividades criminosas e depois querem posar de bom moço…

    • - IP 177.221.96.140 - Responder

      Olha a indignação seletiva do Ademar Adams.

      Só espero que os psdbistas não façam como no PT, onde os meliantes são considerados herois.

  2. - IP 177.203.1.95 - Responder

    Nilson Leitão foi preso e algemado pela Polícia Federal em 2007, na Operação Navalha. Quem não se lembra do então prefeito escondendo as algemas com um livro. Mas seus crimes nunca foram julgados e fala-se em prescrição. Agora, mais esta denúncia de envolvimento em atos criminosos. Leitão tem um viés delinquente bastante noticiado na mídia e é, hoje, uma das estrelas do PSDB. Mas gente com essa capivara tem lá condições e autoridade para falar em mudança e combate à corrupção?

  3. - IP 200.140.117.116 - Responder

    Parabéns Deputado Nilson Leitão, pois graças a pessoas como Vossa Senhoria é que ainda temos um pouco de esperança de algum dia mudar novamente o nosso país. Hoje em dia quem defende trabalhadores e produtores de alimentos e geradores de serviços são considerados bandidos. Instituiu-se em nosso país um modelo onde quem é honesto não presta, pois as pessoas que deveriam ser investigadas pelo Sr. Dias Tofoli ele acoberta as falcatruas de seu Partido PT. Mas não vamos desistir ainda tem tempo pra mudar.Como fala a reportagem acima que os produtores da Suiá Missú formam uma “associação criminosa” gostaríamos que essas mesmas pessoas viessem conhecer a verdadeira realidade e história desse povo que só sabem fazer uma coisa na vida trabalhar e produzir o alimento que nós temos em nossas mesas diariamente. Deputado Nilson Leitão estamos juntos com vossa senhoria hoje e sempre. Obrigada pela sua atenção com o nosso povo.

    • - IP 179.253.184.170 - Responder

      Maria LEITOA, o Nilson Leitão, com essa capivara, é um porco da política. Foi preso e algemado quando era prefeito de Sinop e seus crimes nunca foram julgados.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

14 + 7 =