O Carnaval se aproxima. A PAGINA DO E relembra a marchinha do Bloco do Pacotão que, ano de 2004, desfilando pelas ruas de Brasilia, gozava o primeiro escândalo da Era Lula, o caso Waldomiro. E salve a irreverência do Carnaval! OUÇA AQUI A MARCHINHA SOBRE VALDOMIRO E ZÉ DIRCEU!

O fotógrafo Anderson Schneider, com o trabalho WALDOMIRO - A CASCA DE BANANA NO CAMINHO DO MINISTRO JOSÉ DIRCEU, publicado na revista ISTO É DINHEIRO, foi um dos finalistas do Prêmio Esso de Jornalismo no ano de 2004, mesmo ano em que o Pacotão fez humor com esta dupla nas avenidas da Capital Federal.  Antes da crise que culminaria com o afastamento de Waldomiro Diniz, o Ministro-Chefe da Casa Civil, José Dirceu, descasca e mastiga uma banana sempre com os olhos fixos no seu antigo assessor. Em março deste ano de 2013, Waldomiro Diniz foi condenado pela juíza Maria Tereza Donatti, da 29ª Vara Criminal do Rio, a 12 anos de prisão por corrupção passiva e ativa e crime contra a lei de licitações. Pivô do primeiro escândalo do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, Waldomiro foi flagrado pedindo propina ao bicheiro Carlinhos Cachoeira, em negociação flagrada em vídeo, em 2004. A divulgação das imagens resultou na demissão de Waldomiro, um dos principais assessores do então ministro da Casa Civil José Dirceu à época. Cachoeira também arrastou para a desgraça o senador Demóstenes Torres, do DEM de Goiás.

O fotógrafo Anderson Schneider, com o trabalho WALDOMIRO – A CASCA DE BANANA NO CAMINHO DO MINISTRO JOSÉ DIRCEU, publicado na revista ISTO É DINHEIRO, foi um dos finalistas do Prêmio Esso de Jornalismo no ano de 2004, mesmo ano em que o Pacotão fez humor com esta dupla nas avenidas da Capital Federal. Antes da crise que culminaria com o afastamento de Waldomiro Diniz, o Ministro-Chefe da Casa Civil, José Dirceu, descasca e mastiga uma banana sempre com os olhos fixos no seu antigo assessor. Em março deste ano de 2013, Waldomiro Diniz foi condenado pela juíza Maria Tereza Donatti, da 29ª Vara Criminal do Rio, a 12 anos de prisão por corrupção passiva e ativa e crime contra a lei de licitações. Pivô do primeiro escândalo do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, Waldomiro foi flagrado pedindo propina ao bicheiro Carlinhos Cachoeira, em negociação flagrada em vídeo, em 2004. A divulgação das imagens resultou na demissão de Waldomiro, um dos principais assessores do então ministro da Casa Civil José Dirceu à época. Cachoeira também arrastou para a desgraça o senador Demóstenes Torres, do DEM de Goiás.

 

O que dá pra rir dá pra chorar. E vice e versa.

Em 2004, nas ruas de Brasília, o caso Waldomiro virou marchinha de carnaval. Era a história do ex-assessor da Presidência da República, Waldomiro Diniz, filmado enquanto pedia propina ao bicheiro Carlinhos Cachoeira, transformado em tema do carnaval daquele ano pelo do Bloco do Pacotão, de grande tradição no Distrito Federal.

O bloco, uma das melhores invenções de Brasília, foi criado durante o governo militar por jornalistas da capital federal, e sempre fez críticas aos governos. Eu estava lá, acompanhei o desfile do Pacotão e, desde então, não tenho ouvido falar muito no Pacotão. Para achar a marchinha, na internet, e matar a saudade daquela alegre irreverência, penei um bocado.

Houve um tempo em que o jornalista Franklin Martins mantinha um blogue que reunia todas os sambas, marchinhas e tal que tinham a ver com a política e o político através dos anos. O que foi feito deste espaço?
A melodia do Pacotão, em 2004, segundo os especialistas, foi claramente inspirada na canção Bella Ciao, criada pelos partisans italianos durante a resistência ao nazismo e ao fascismo. A letra trouxe, de qualquer forma, o bom humor e a irreverência que são a marca do carnaval brasileira.
Eis a letra para quem quiser cantar junto. Para ouvir a marchinha, clique no linque do You Tube:


 

 

Ô Waldomiro, ô Waldomiro,

Me responda, por favor,

Se neste rolo o bicho pega nosso Lulinha Paz e Amor.

Ô Waldomiro, ô Waldomiro,

Me diga o bicho que deu

Se o Zé Dirceu, se o Zé Dirceu,

Se o Zé Dirceu também comeu

Ô Zé Dirceu, que bicho deu?

Ô Zé Dirceu, eu quero o meu.

Ô Zé Dirceu, que bicho deu?

Ô Zé Dirceu, eu quero o meu.

Ô Waldomiro, Ô Waldomiro me diga o bicho que deu

Se quem comeu foi só o Magela ou Zé Dirceu também comeu.

Se quem comeu foi só o Magela ou Zé Dirceu também comeu.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × cinco =