Na articulação situacionista, que tenta definir um candidato para enfrentar Pedro Taques, José Geraldo Riva – o político mais processado por corrupção em Mato Grosso – já começou a falar grosso. E não apareceu ninguém pra mandar o Riva calar a boca e ficar quietinho, já que, pretensamente, ele está saindo de cena.

Depois de puxar a candidatura de Lúdio para o fundo do poço, na disputa pela Prefeitura, o superprocessado deputado Riva pontifica mais uma vez nas reuniões que visam definir a chapa da Situação para a peleja contra Pedro Taques neste ano de 2014. Com Riva do lado de cá e Júlio, Jaime e Antero, do lado de lá, fica difícil imaginar  qual a coligação que mais desrespeita o eleitorado consciente de nosso Estado.

Depois de puxar a candidatura de Lúdio para o fundo do poço, na disputa pela Prefeitura, o superprocessado deputado Riva pontifica mais uma vez nas reuniões que visam definir a chapa da Situação para a peleja contra Pedro Taques neste ano de 2014. Com Riva do lado de cá e Júlio, Jaime e Antero, do lado de lá, fica difícil imaginar qual a coligação que mais desrespeita o eleitorado consciente de nosso Estado.

 

 

O tempo passa, o tempo voa e, em Mato Grosso, o deputado José Geraldo Riva continua numa boa. Apesar devidamente identificado e carimbado como o político mais processado por corrupção em nosso Estado, na reunião que aconteceu na noite desta segunda-feira, e que juntou “la creme de la creme” dos partidos situacionistas de Mato Grosso no luxuoso apartamento do deputado Carlos Bezerra, velho cacique do PMDB, em Cuiabá, pelo que conta o jornalista Romilson Dourado, Riva pontificou e falou grosso, ante o olhar obsequioso de representantes de nada menos que 9 (nove) partidos políticos mato-grossenses. Responsável por arrastar para o buraco a chapa encabeçada por Lúdio Cabral, na disputa da Prefeitura da capital em 2012, Riva parece que – mesmo em fim de carreira, com uma série de processos por corrupção explodindo no seu colo e, por isso mesmo, já tendo anunciado que não disputará a eleição deste ano, estando disposto a tentar, simplesmente, eleger sua filha, a socialaite  Janaina Riva, para que ocupe sua vaga na Assembleia – continua sendo o poderoso chefão do bloco da Situação. Mesmo o PT, que ensaiara seu grito de independência em relação a esta coligação tão viciada – agora comandado e controlado por um setor do partido em que o médico e ex-vereador Lúdio Cabral desponta como uma espécie de cacique em ascensão – se mostra reverente em relação à figura carimbada e já detonada junto à população que é a figura do deputado José Riva. Com Riva no barco, não precisa ser nenhuma pitonisa para prever que a campanha situacionista já nasce com cara de derrotada. O fato é que os partidos em Mato Grosso parece que estão cagando e andando para as exigências da maioria dos eleitores, tanto que se de um lado a Situação continua abraçada com Riva, do outro lado a coligação em torno de Pedro Taques também tem ares de Titanic, com o ex-procurador procurando garantir a sobrevida política de velhas e carcomidas lideranças como Júlio Campos, Jayme Campos e Antero Paes de Barros. Vai ser difícil de aguentar. Quem viver, verá. Confira o noticiário. (EC)

Reunido com 9 siglas, Riva vê contradição de Blairo, cobra explicações e é aplaudido

Para deputado, senador deve dizer logo se está com a base ou se vai apoiar o ex-adversário Taques; Wellington vai marcar reunião

 

POR ROMILSON DOURADO, no RD NEWS

O deputado José Riva, cacique político do PSD, foi bastante aplaudido nesta segunda à noite, por praticamente todas as cerca de 29 lideranças presentes à  reunião do grupo de 9 partidos, quando cobrou, de forma dura, posicionamento político do senador Blairo Maggi quanto ao destino às eleições de outubro. Disse que o ex-governador deve explicações ao bloco situacionista, se vai estar junto ou se pulará para o palanque do oposicionista Pedro Taques, pré-candidato à sucessão estadual pelo PDT.

O encontro começou às 20h e se estendeu até às 22h15, no salão de festas do edifício Fontana di Trevi, na Presidente Marques, no centro de Cuiabá, onde mora o deputado Carlos Bezerra. No primeiro encontro, realizado no mesmo local e convocado por Bezerra, o bloco conseguiu reunir representantes de 7 legendas: PMDB, PR, Pros, PSD, PC do B, PT e PP. Agora, “puxaram” mais dois: PRB e PSC. Com fama de pão duro, Bezerra não serviu jantar. Recepcionou os convidados com pão de queijo, bolo de milho, água e suco.

Este Blog apurou que o sentimento externado na reunião é de que Blairo passou a sinalizar apoio a Taques. Riva lembrou que Blairo administrou o Estado por 7 anos e 3 meses com apoio desses partidos e que teve respaldo do mesmo grupo para se eleger senador e que agora, num ato de desprezo e ingratidão, sinaliza para adesão ao projeto de Taques. Em seguida, disse que o pedetista foi crítico ferrenho à gestão do republicano, tanto que usou na campanha a frase “MT 100% equipado, 20% roubado”, numa referência ao escândalo que surgiu com o programa de compra de maquinário e atingiu em cheio o governo Blairo. Quando enfatizou que Blairo parece demonstrar interesse em apoiar quem já o xingou de corrupto, as lideranças presentes aplaudiram efusivamente o deputado. O presidente regional do PR, deputado Wellington Fagundes, se comprometeu em procurar Blairo para agendar uma reunião do ex-governador com líderes das 9 legendas.

Deputado José Riva vê contradição de Blairo Maggi, que pode apoiar Pedro Taques, e pede explicações

Pelo PMDB, estavam presentes o prefeito várzea-grandense Walace Guimarães, o ex-secretário estadual de Administração, Francisco Faiad, os irmãos Márcio e Zé Lacerda, além de Bezerra. O Pros levou para o encontro o seu presidente estadual Valtenir Pereira, o secretário-geral Milton Simplício, três vereadores por Várzea Grande (Ferrinho, Wilton Gusmão e Leonardo Maier), Cleber Ávila, superintendente da Sudeco, e Denilson Roberto, o Dico, vereador por Rondonópolis.

Representando o PSD se fizeram presentes Riva, o vice-governador Chico Daltro, o deputado federal Eliene Lima e o ex-secretário Meraldo Sá (Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar) e, pelo PC do B, Aislan Galvão e Miranda Muniz. Os petistas William Sampaio, que comanda a legenda no Estado, o pré-candidato a governador Lúdio Cabral e Paulão Xavier também participaram do encontro, assim como os republicanos Wellington Fagundes, dirigente estadual, e os deputados Jota Barreto, Wagner Ramos e o vice-prefeito de Várzea Grande, Wiltinho Coelho. Do PP compareceram o deputado Ezequiel Fonseca e o ex-secretário Francisco Vuolo (Logística e Intermodal de Transporte). O PRB se fez representado por Aroldo Martins e, o PSC, por Victório Galli.

Categorias:Jogo do Poder

7 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.231.238.124 - Responder

    bom querer eles querem mais vamos ver se nós vamos parecer por lá nem

  2. - IP 179.217.111.235 - Responder

    O jeito e votar em Muvuca. Muvuca neles!!!

    • - IP 177.64.241.193 - Responder

      votar no muvuca, aquele rapaz que se confessou viciado e que muitos dizem que, justamente, é financiado pelo riva?

  3. - IP 177.193.179.92 - Responder

    ESSE LÚDIO ALÉM DE PUSILÂNIME, FROUXO E MANSO…É MUITO BURRO!!!

  4. - IP 177.193.179.92 - Responder

    SÓ ESSA REUNIÃO DE GANGS JÁ DARIA PRA ENQUADRAR EM FORMAÇÃO DE QUADRILHA!!!

  5. - IP 177.193.179.92 - Responder

    QUE SITUAÇÃO HEIN…???

    ESSES MAQUINÁRIOS ESPÍRITAS ESTÃO CUSTANDO CARO AGORA PRA LADRÃOZADA…

    DE UM LADO O HAMSTER ANÃO QUERENDO SALVAR O ‘CUMPÁDI SIVÁ’, QUE POR IRONIA SÓ PODERIA SER SALVO PELO ANTIGO CHEFE E PARCEIRO, MAS ESTÁ PEADO FEITO PORCO, POR UM LAUDO TÉCNICO (que tentaram de tudo pra desqualificar) QUE CERTAMENTE COMPROVA QUE 705 É UM NÚMERO FICTÍCIO E 44.000.000 É UM NÚMERO HUMILDE DEMAIS…
    DE OUTRO LADO, OS DOIS IRMÃOS SE DESESPERAM PARA GARANTIR UMA VAGA NO SENADO QUE POSSA SALVAR OS DOIS DOS JUIZES DO STF, MAS ESBARRAM EM UMA DIFICULDADE MUITO MAIOR QUE IMAGINAVAM PARA COMPRAR PARTIDOS E ESCOLHER ADVERSÁRIOS, QUE DE TODAS AS VEZES ANTERIORES…
    E TUDO PORQUE ESTÃO TODOS ENGASGADOS COM ESTÁDIOS, TRINCHEIRAS, TRENS E ESTÁDIOS QUE COMPROVAM SER A GANÂNCIA, MAIOR QUE A ‘BOCA’…

    MORAL DA HISTÓRIA: É MUITO FEIO ROUBAR O QUE NÃO PODE CARREGAR!

  6. - IP 177.193.177.128 - Responder

    Prezado Enock,
    Em que pese certo conceito que tenho em relação ao seu trabalho enquanto jornalista e político, considerei seus comentários despropositado e de um sectarismo incomum. Famos aos fatos: 1) Pra começar, a reunião não foi no “apartamento luxuoso” do deputado Carlos Bezerra. Ela se realizou em um pequeno salão no térreo. Além do mais, o apartamento do Bezerra nem é tão luxuoso assim, se bem que não duvido que o mesmo teria recursos para morar em um lugar “mais nobre”; 2) O que o deputado Riva pronunciou na reunião um posicionamento no sentido de “cobrar” do Senador Blairo Maggi uma “satisfação” ou “justificativa” perante os partidos aliados de sua possível decisão em não concorrer ao pleito de 2014, justificando que esses partidos foram decisivos para sua eleição e reeleição ao governo de MT, bem como ao Senado e que por tal motivo mereciam ouvir do próprio Senador seus motivos. Além de criticar certa “incursão” do senador Blairo no campo adversário, capetaneado pelo senador Taques com o apoio do DEM, PSDB, PPS, PSB, grupo de partidos que fazem oposição ao governo Dilma e Silval. Gostando ou não do deputado Riva, sua manifestação foi ao encontro do que pensa as lideranças ali presentes, por isso mesmo foi aplaudido pelo conjunto dos presentes; 3) Rotulá-lo de “podero chefão do Bloco” é um exagero, até porque essa foi a primeira reunião em que o mesmo esteve presente, e mesmo assim, somente por pouco tempo. Agora é claro que o mesmo continua tendo grande influência política no Estado (repito: gostemos ou não), especialmente junto a inúmeros prefeitos do interior. Seu partido, o PSD, faz parte da base de apoio da presidenta Dilma e do governador Silval e, pelas desavenenças “intestinas” com o senador Taques é natural que o PSD caminhará no “Bloco governista”, mais não acredito que o deputado Riva será o “Grande Chefão” desse bloco, sem reconhecer que o mesmo jogará papel importante nesse processo eleitoral. Creio que os “Chefões” serão o senador Blairo Maggi, o Silval e os candidatos a governador e vice, os quais ainda não estão definidos, até porque na mesma reunião o deputado Riva fez questão de reafirmar que “não será candidato a nada,”; 4) Afirmar que o deputado Riva foi o “responsável por arrastar para o buraco a chapa encabeçada por Lúdio Cabral, na disputa da Prefeitura da capital em 2012”, na minha opinião, é outro exagero de quem talvez não tivesse compreendido como se deu aquele processo, sobretudo a dinâmica ofensiva e desconstrutiva à figura do Lúdio, sob o comando do ex-senador Antero, e as dificuldades financeiras enfrentadas na chamada “reta final”.

Deixe uma resposta para CARLÃO    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois × 2 =