Muvuca, o blogueiro que tenta envolver Pedro Taques e Aldo Locatelli com uma pretensa “máfia dos combustíveis”, é correligionário apaixonado de Riva, e já escreveu que processos do MPE-MT contra Riva “é a maior armação de que se tem notícia no Judiciário”

Não bastasse o duelo nacional, em que o ministro dos Esportes, Orlando Silva, duela com um PM em torno de acusações divulgadas e manchetadas nos principais veículos de comunicação do País mas que nunca são provadas, temos agora, também aqui em Mato Grosso, o duelo do blogueiro Muvuca – um blogueiro que faz sucesso na internet, em Mato Grosso, com o seu tom desbocado – contra o senador Pedro Taques e o empresário Aldo Locatelli.

Muvuca, sem a preocupação de provar nada – tal e qual o PM de Brasília – investe contra Taques e Locatelli e garante que os dois integram uma pretensa "máfia dos combustíveis" em Mato Grosso. Muvuca, sem dúvida nenhuma, é ousado – já que tenta envolver numa trama mafiosa justamente o ex-procurador da República que desmontou a máfia comandada por Arcanjo em Mato Grosso. Segundo Pedro Taques, ele só não teria conseguido desmontar "o braço político do crime organizado em Mato Grosso".

Muvuca, pelo que se sabe, ataca Taques e Locatelli mas não tem o menor pudor em aparecer como correligionário ativo, praticamente apaixonado pelo deputado estadual José Geraldo Riva, a quem costuma tecer muitas louvações em seus escritos. Pelo contrário: diante de Riva, Muvuca não enxerga nenhum possível crime e, em declaração aberta de voto que publicou no seu blogue "Mega Debate" no ano passado, chegou a dizer que os mais de 100 processos que o Ministério Público Estadual move contra Riva seriam, no torto entendimento dele, "a maior armação de que se tem notícia no Judiciário".

Sim, esse é o Muvuca, acusador de Pedro Taques e Aldo Locatelli: um defensor apaixonado de Riva e de suas práticas. Confira abaixo a declaração de Muvuca de amor a Riva. E, mais abaixo, a nota divulgada pelo senador Pedro Taques com relação às denuncias formuladas contra ele pelo Muvuca. (EC)

Declaração de voto para Deputado Estadual
por JOSÉ 'MUVUCA"  MARCONDES

José Riva é um fenômeno político que ainda precisa ser estudado. Duas palavras definem o que ele representa hoje em Mato Grosso: Amado e odiado. O que ninguém consegue é ficar indiferente, tamanha é sua capacidade de estar, fazer, acontecer e influenciar as coisas que orbitam o poder em Mato Grosso.

Ninguém que tenha sido não mais que um mero deputado estadual, jamais exerceu tanta influência política como ele exerce. Nenhum outro candidato neste imenso país, conseguiu atingir mais de 5% dos votos numa eleição proporcional. Riva conseguiu, e proporcionalmente se tornou o deputado mais bem votado do Brasil.

A pergunta a se fazer é: Alguém atingiria este patamar, depois de já ter exercido vários mandatos, sem trabalhar pelo povo?

A resposta é não!

José Riva é um trabalhador incansável. Sua 'couraça' foi moldada para o trabalho. Ele sente prazer em poder ajudar as pessoas. Fica feliz ao saber que pode fazer algo por alguém. Porque sabe, mais que sua satisfação pessoal, que está acumulando capital político. E é isso que ele faz, todos os dias, à partir das 5:00 da manhã, quando já começa atender telefonemas e receber pessoas: acumula capital político que depois despeja nas urnas, surpreendendo a todos que não sabem de onde ele tira tanto voto. Riva não passa fim de semana sem visitar cidades do interior e atender demandas. Sacrifia, literalmente, sua vida, em função disto.

Além do mais, Riva não guarda diferenças políticas, atende indistintamente e exige que seus assessores jamais perguntem a quem for lhe pedir ajuda, de que partido é, de onde é ou o que é. Isso mostra que não há seletividade ou diferenciação. Seja vereador, prefeito, presidente da república ou um lixeiro. Riva atende todos com o mesmo carinho.

Não há um telefone neste estado mais conhecido que o seu. E não há ninguém que tenha a disposição que ele tem para atender todos os telefonemas, e se não atender, fazer questão de retornar pessoalmente.

Dito assim, parece fácil a vida que ele leva como político. Não é. Riva é também um dos políticos mais perseguidos da história recente deste estado. Hoje está sem mandato, por conta de uma querela da justiça em um caso absurdo que nunca deu nada a ninguém, mas para Riva deu.

Os processos que dizem ser mais de 100 é hoje a maior armação de que se tem notícia na história do judiciário. Pegaram o processo referente a troca de cheques numa factoring há dez anos atrás e desmembraram cada processo para uma nota, afim de fazer avolumar o número de processos e fazê-lo parecer o homem mais corrupto de Mato Grosso.

Muitos que assim o citam, nem sabe na verdade o que estão dizendo. Apenas reproduzem inverdades num sem fim, que acaba desenhando uma moldura falsa. Uma armação medonha, cuja força de comunicação, jamais poderá vencer, pois as mentiras difamatórias se espalham com o vento. Riva será sempre lembrado desta maneira por alguns, porque foi o escolhido para ser o protagonista de uma lenda. E foi escolhido por autoridades judiciárias, o que é pior. Muitos dos quais almejavam cargos eletivos posteriormente, e fariam do lombo de Riva um trampolim de ascenção.

Riva nunca precisou subir em ninguém para se fazer hoje o que é. E isso talvez, cause inveja.

Não é fácil ser político quando se enfrenta inimigos que se utilizam de armas desiguais. O uso da toga como meio para denegrir a imagem de um político é notória conhecida. E portanto, lamentável.

Nós, que conhecemos a sua luta, e conhecemos o povo que conseguiu algo por conta de uma ação, gesto ou projeto de Riva…

Nós que andamos por este estado e vimos que em determinados lugares, só a sua mão amiga alcança levando benefícios para aqueles que necessitam…

Nós que recebemos via mailing cada dia a notícia de um projeto novo de Riva, sempre defendendo alguma boa causa…

Nós que vemos como ele é massacrado, muitas vezes injustamente…

Jamais poderíamos ficar indiferente, assim como não ficarão dezenas de milhares de matogrossenses, que neste domingo, assim como nós, irão depositar mais uma vez, a confiança neste gigantesco e lendário homem público.

———–

NOTA DO SENADOR PEDRO TAQUES

Em razão das denúncias infundadas contidas no artigo “A máfia de Pedro Taques”,  assinado pelo jornalista José Marcondes (Muvuca) e divulgado neste domingo em alguns sites de notícia, a assessoria de imprensa do senador Pedro Taques (PDT) informa que o parlamentar irá acionar o jornalista na Justiça por crime contra a honra. Senador e professor de Direito Constitucional, Taques defende a liberdade de imprensa e de opinião, porém, exercida com responsabilidade.

O senador destaca que nestes nove meses de mandato muitos foram os artigos de jornalistas com tom crítico em relação a sua atuação. Entretanto, conforme frisa o parlamentar, enquanto as críticas ficam no campo político a imprensa nada mais está a fazer que exercer seu direito Constitucional. Mas a partir do momento que lhe são atribuídas práticas ilícitas, como as que lhe foram dirigidas por José Marcondes, o senador tem o direito de buscar da Justiça uma retratação.

No referido artigo, José Marcondes tenta associar o senador Pedro Taques a uma suposta “máfia dos combustíveis”, já que o pedetista recebeu recursos do setor de combustível na campanha eleitoral. As acusações do jornalista são infundadas, desconexas e servem a interesses políticos contrários ao do senador, visto que o jornalista não apresentou provas.

A prestação de contas de campanha do senador foi devidamente apresentada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), sem nenhuma irregularidade verificada e, mais importante, todos os doares e valores doados estão disponíveis e abertos a toda população.
 

Taques defende o direito não só dos jornalistas, mas de todo cidadão, de escrever contra autoridades políticas, porém acusações de supostos crimes devem ser embasadas com provas. “A liberdade de imprensa deve ser assegurada, defendo essa expressão da democracia. Não podemos impedir que ninguém se manifeste. Eu, como agente público, entendo que tenho minha intimidade relativizada e defendo o direito de qualquer cidadão escrever contra autoridade política. No entanto, também entendo que liberdade rima com responsabilidade e me reservo o direito de tomar providências na justiça”, esclareceu Taques.
 

Conforme o advogado do senador, Paulo Taques, as ações judiciais serão impetradas hoje no fórum de Cuiabá, sendo as petições baseadas nos crimes contra a honra, notadamente injúria, calúnia e difamação.

Em qualquer lugar que visita, o senador faz questão de relembrar o valor de sua campanha. Ele arrecadou e gastou R$ 1,1 milhão, quatro vezes menos que os principais adversários.

Taques, inclusive, propôs um projeto de lei no Senado que aperfeiçoa a transparência nas doações de campanha. Conforme o projeto de lei do Senado (PLS) 601, disponível para consulta no site oficial no Senado, candidatos a cargos eletivos terão que divulgar a relação de doares de suas campanhas antes da eleição, bem como os valores doados. Pela legislação atual, o eleitor só fica sabendo quem são os financiadores de seus candidatos depois da eleição.

——-
REPERCUSSÃO NACIONAL

Jornalista é afastado de rádio e é processado por senador após artigo no MT

Alessandra Ungria*
PORTAL IMPRENSA

O jornalista José Marcondes, conhecido como Muvuca, no Mato Grosso (MT), foi afastado da Rádio Mega FM, na qual era comentarista, e será processado pelo senador Pedro Taques (PDT-MT) por artigo de opinião sobre o político, em que o relaciona com a "máfia dos combustíveis" no Estado. Intitulado "A Máfia de Pedro Taques", o texto foi publicado em alguns veículos locais no domingo (24).

"Eu só disse a verdade. Tenho como comprovar e ainda vou publicar mais 10 artigos sobre o caso", reiterou Marcondes, em entrevista ao Portal IMPRENSA. Segundo ele, a ameaça de Taques sobre entrar na Justiça pelas acusações, divulgada no portal MidiaNews, "foi muito além". "Se enganam quem acha que eu vou me calar. Sou jornalista, não tenho medo de processo. Agora mesmo que vou denunciar mais", disse.

Atuando como colaborador na Rádio Mega FM, Marcondes afirma que foi afastado do cargo após a repercussão de seu artigo. Procurada, uma produtora da emissora disse que o jornalista saiu por vontade própria. "É lamentável que eles ajam assim", desabafou Marcondes

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.41.84.77 - Responder

    Mais um? Por isso que riva e Sérgio “demagogo” Ricardo gastam cerca de 19 milhões por ano, com mídia podre. Com certeza esse tal muvuca figura na lista da dupla!

  2. - IP 177.41.84.77 - Responder

    Será que Eder “precatório” de Moraes, também conhecido como Zé BMW e agora Juca Land Rover e mais a dupla dinâmica riva & Sérgio “demagogo” Ricardo, conseguirão livrar a cara desse tal Muvuca? Isso vai ser uma tremenda muvuca! Rsrsrsr!

  3. - IP 187.52.106.6 - Responder

    Lamentavel esse tal de muvica quer dinigrio Dr.Pedro Taques. Mais o nome ja diz tudo. Preste atenção voce esta falando e de um Homem de Bem, otario.

  4. - IP 187.52.76.89 - Responder

    QUASE TENHO CERTEZA QUE MUVUCA FAZ PARTE DAQUELES FUNCIONARIOS FANTASMA DA ALMT QUE RECEBE POR FORA.

  5. - IP 189.74.61.137 - Responder

    Comparar as acusações contra Pedro Taques com a roubalheira instalada no Ministério dos Esportes só pode ser uma forma do Enock “sacanear” com o Senador, pois já está mais do que provado que Orlando Silva está comandando uma máquina que tira muito dinheiro do povo.

  6. - IP 177.77.240.199 - Responder

    Pedro Taques está agindo com a mesma truculencia que sempre condenou, com certeza interferiu para que o jornalista tenha sido afastado. Quanto ao RIVA é indiscutível que deverá responder na justiça por seus erros.

  7. - IP 201.24.158.217 - Responder

    Tudo indica que Muvuca virou serviçal de autoridades com capivaras extensas e especialistas em precatórios, se deu mal. Será que ele também se alimenta com a merenda da AL MT?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

20 − dezenove =