MIRANDA MUNIZ: Por motivos distintos, mas interligados, nos dias 13, 18 e 20 de novembro, a parcela combativa do povo brasileiro estará mais uma vez ocupando as praças, ruas e avenidas, na luta por mais direitos, contra a agenda conservadora, em defesa da democracia, por uma nova política econômica, contra a violência em relação às mulheres, em especial às negras, e em defesa da igualdade racial

50 ANOS MIRANDA MUNIZ

Novembro: gritos de luta nas ruas!

Miranda Muniz

Por motivos distintos, mas interligados, nos dias 13, 18 e 20 de novembro, a parcela combativa do povo brasileiro estará mais uma vez ocupando as praças, ruas e avenidas, na luta por mais direitos, contra a agenda conservadora, em defesa da democracia, por uma nova política econômica, contra a violência em relação às mulheres, em especial às negras, e em defesa da igualdade racial.

Neste dia 13, a Frente Brasil Popular convocou seus militantes para somar à Grande Marcha organizada pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) que ocorrerá na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Nessa mesma data, no país inteiro realizaremos atos, panfletagens e pichações, em defesa de nossas bandeiras e para dar total apoio à greve dos petroleiros em defesa da Petrobrás e do Pré-Sal, fundamental para o futuro do Brasil.

O “Fora Cunha” também faz parte da pauta do dia 13, afinal, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, tem capitaneado uma agenda de retrocessos que atinge os direitos das mulheres, pessoas LGBT, jovens, negros, indígenas, e outros direitos sociais e políticos de todo o povo brasileiro.

Portanto, também iremos desmascarar o falso moralista Eduardo Cunha, dono de contas bancárias milionária na Suíça, em seu nome e de seus familiares, aberta para movimentar propinas, e exigimos seu afastamento da presidência da Câmara dos Deputados, pois o mesmo não pode continuar utilizando do cargo para chantagear a Justiça e o Governo.

No dia 18, nossa voz ecoará junto às Mulheres Negras, na Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo, a Violência e pelo Bem Viver, ocupando a capital do país contra a opressão e a invisibilidade social, a violência e o feminicídio, clamando por mais direitos, oportunidades e liberdade.

E no dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, estaremos e seremos no Brasil inteiro: resistência, cultura e luta.

Afinal, mesmo valorizando os avanços e as conquistas de uma longa trajetória de lutas, reafirmamos que vivemos em um país muito desigual, onde o racismo, o preconceito, o machismo, a homofobia, a violência e a intolerância continuam fazendo parte de nossas vidas cotidianas.

Entre outras discriminações, desigualdades e violências, denunciaremos o crescente número de jovens negros mortos – um triste e trágico extermínio da juventude negra em todas as regiões do Brasil.

Também prosseguimos em nossa luta por outra política econômica, oposta ao ajuste fiscal recessivo que gera desemprego e cortes orçamentários em áreas estratégicas para nosso desenvolvimento econômico e social.

Que os ricos paguem pela crise! Taxação das grandes fortunas, combate à sonegação fiscal e redução de juros para enfrentar a crise sem sacrificar os trabalhadores e o povo.

Em síntese, serão esses os principais gritos de luta que povo brasileiro ecoará neste mês de novembro!

Miranda Muniz – agrônomo, bacharel em direito, especialista em direito público, oficial de justiça-avaliador federal, dirigente da CTB/MT e presidente do PCdoB/Cuiabá.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.54.246.217 - Responder

    Taí , vai ser uma ótima oportunidade para os petralhas verem o seu verdadeiro tamanho.
    O pão com mortadela vai rolar????

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × um =