GRANDE,COMO ELE É GRANDE – Milton Nascimento faz 70 anos; aniversário é marcado por seus 50 anos de carreira e 40 anos do Clube da Esquina

Milton Nascimento faz 70 anos; aniversário é marcado por seus 50 anos de carreira e 40 anos do Clube da Esquina

Bossuet Alvim – Portal Uai

Esta sexta-feira, 26, marcou sete décadas do nascimento de Milton Nascimento, um dos principais representantes da música mineira em todo o mundo. Nascido no Rio de Janeiro em 1942, o artista foi adotado pelos patrões de sua mãe biológica ainda na capital fluminense. Mudou-se para Três Pontas, no Sul de Minas, antes de completar dois anos. Desde que chegou, foi contagiado pelo espírito quase parnasiano do interior do estado, traduzido em suas obras pela contemplação das belezas naturais e o modo de vida simples do mineiro típico.

Ao lado do jovem pianista Wagner Tiso, outro dos filhos ilustres de Três Pontas, Milton tornou-se cantor desenvolto graças às performances em festas e bailes na região. A primeira canção gravada já completou 50 anos: Barulho de trem, de 1962, é uma amostra do trabalho precoce de Bituca, apelido que prevaleceria sobre o primeiro nome do músico entre os amigos de Belo Horizonte, para onde veio como estudante de economia. Em 1967, a parceria com Fernando Brant em Travessia conquistou a segunda colocação no Festival Internacional da Canção. A gravação em estúdio eternizou a interpretação única do cantor, que imprimia a melancolia dos jazzfingers norte-americanos a uma canção de apelo irrefreável aos ouvintes da MPB. O sucesso da faixa rendeu contrato para a concretização de um primeiro álbum, homônimo, sucedido por Courage (1968), Milton Nascimento (1969) e Milton (1970).

As parcerias com Lô Borges e seu irmão Márcio neste último disco servem como ligação entre a recém-consolidada carreira de Milton e a construção de sua obra prima. Quando migrou para a capital mineira, a primeira casa do compositor foi o Edifício Levy, no Centro — mas foi no Bairro Santa Tereza que o artista começou a crescer. Ainda antes do Festival da Canção, no encontro das ruas Divinópolis e Paraisópolis, endereço dos irmãos Lô, Márcio e Marilton, Milton Nascimento escreveu o primeiro conjunto de canções que integrariam o repertório do Clube da Esquina. Inspirados pelo som dos Beatles, os mineiros criaram trabalhos como Nada será como antes, Trem azul, Alunar e a emblemática Para Lennon e McCartney.

Boa parte das primeiras composições nascidas em Santa Tereza já havia sido registrada nos álbuns de Milton quando chegaram ao grupo os amigos Flavio Venturini, Fernando Brant, Tavinho Moura, Beto Guedes e Toninho Horta, com sede de um novo projeto. Clube da Esquina, o disco, foi lançado em 1972.

A orquestração das faixas é assinada por Wagner Tiso, o mesmo companheiro de infância com quem Milton Nascimento dividia os palcos em Três Pontas. “Este disco foi um marco para mim como orquestrador. Foi a primeira orquestração que fiz para o Milton e acabou gerando uma carreira como orquestrador dos trabalhos posteriores dele, como O Milagre dos peixes e Minas”, recordou o maestro em entrevista ao Estado de Minas.

A repercussão mundial das harmonização visionária de jazz, blues, Beatles e música popular que formam a base do disco transformaram a carreira de todos os artistas envolvidos no Clube da Esquina. Com Milton Nascimento não foi diferente: a obra é um dos principais marcos em sua carreira, que contabiliza quase trinta trabalhos em estúdio e diversas participações em faixas de artistas — sempre admiradores — de todo o mundo.

————-

‘Me sinto com 40 no máximo’, diz Milton ao chegar aos 70 anos
Ícone da MPB faz aniversário nesta sexta-feira (26).
Em entrevista especial, ele conta como nasceu o Clube da Esquina.

Nascido no Rio de Janeiro (RJ), porém de Três Pontas (MG) no coração, Milton Nascimento completa nesta sexta-feira (26) 70 anos de idade. Também completa 50 anos de carreira colecionando sucessos e admiração como um dos maiores ícones da música brasileira. Em entrevista exclusiva à EPTV Sul de Minas, ele falou um pouco sobre si e sua música.

Apesar das sete décadas, Milton não perde o bom humor com a própria idade e contou que fez alguns exames há apenas duas semanas e a médica disse a ele que, pelo resultado, ele tinha uns 50 anos. “Eu me sinto com 40 anos, no máximo”, comentou rindo.

Ao falar de sua cidade quase natal, Três Pontas, a voz se torna cheia de carinho. Ele considera o lugar um berço natural de artistas. “Eu costumo falar que Três Pontas é um jardim de umas flores que se chamam música. É uma cidade de muito coração”, disse ele.

Quando saiu de Três Pontas, Milton foi morar na casa dos Borges em Belo Horizonte (MG). A matriarca da família já era mãe de 11 filhos e Milton se tornou o 12º. Todos eram músicos. Apesar disso, ainda passou pela cabeça do compositor fazer faculdade de economia, mas mudou de ideia antes mesmo da matrícula. “Na última hora, eu peguei e queimei a papelada para entrar na faculdade. E quando queimei, eu gritei ‘Viva a Música’”, disse rindo. O Brasil agradece!

Entre todos os aniversários, este ano o Clube da Esquina também completa 40 anos de existência. Milton conta que, um dia, ele e Lô Borges sentaram num barzinho chamado “Berimbau”. Os dois pediram uma batida de limão. Milton pegou seu violão e acompanhou a melodia de Lô Borges de olhos fechados. Quando os abriu, Marcinho Borges escrevia a letra da música de um lado e a mãe dele chorava no outro canto. E assim nasceu a música e o Clube da Esquina.

Milton não fala de sua bela e inalterada voz. Mas Elis Regina, “a rainha”, falou. Ela dizia que “se Deus cantasse, seria com a voz do Milton”. “Eu achei muito bom ela falar isso, e continuo achando”, brincou ele.

Outro assunto que acalenta a voz do músico é quando ele fala de sua família adotiva, que criou o músico desde muito pequeno. E refletindo sobre o passado, é tudo o que sai da alma de Milton. “O que eu penso quando eu olho pra trás é que eu sou um dos caras mais felizes do mundo e que Deus me deu de presente minha família e a educação que eles passaram pra mim, e o amor e tudo o mais”, finalizou ele.

FONTE G1

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 + 11 =