Metade dos réus do “Mensalão” será absolvida, prevê Mahon

Metade dos réus do "Mensalão" será absolvida, prevê o criminalista Eduardo Mahon

Metade dos réus do “Mensalão” será absolvida, prevê  Mahon

Por Michely Figueiredo
PNB ON LINE

Para o advogado Eduardo Mahon, fazer justiça no caso Mensalão não significa, necessariamente, ter que condenar todos os acusados. Em entrevista a Rádio CBN – AM 590, na manhã desta sexta-feira (10), Mahon contou que “o julgamento não pode ser ibope, a decisão não pode resultar de pressão por parte da população. Mais importante que condenar ou absolver, é respeitar os critérios estritamente técnicos dos autos, para que se tenha, enfim, um julgamento equilibrado”.

Eduardo acredita que, dos 38 réus acusados de envolvimento no “mais atrevido e escandaloso caso de corrupção e de desvio de dinheiro público feito no Brasil, realizado por organização criminosa que tinha por objetivo espúrio comprar votos de parlamentares para a aprovação de matérias de interesses do governo”, de acordo com o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, metade não seja condenada.

“Isso não quer dizer que haja impunidade. Se a população não gostou, não podemos fazer nada, senão vira programa de enquete, e não é isso q queremos”.

O advogado contou que a sentença definitiva para aqueles que forem condenados deve sair provavelmente somente no ano que vem, quando seria transitada em julgado. Isso porque a defesa dos réus, em caso de uma decisão desfavorável, pode entrar com um recurso de embargos de declaração solicitando a revisão da sentença, o que leva um certo tempo para tramitação.

“Pode acontecer também de um réu não acabar condenado por todos os crimes em que é acusado e acabar tendo a pena convertida para serviços comunitários”, alertou Mahon.

Pela legislação, caso a pessoa seja condenada a menos de 4 anos, pode-lhe ser aplicada penas alternativas. “Este dispositivo acontece no dia a dia. Não significa impunidade”, opinou o advogado.

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.24.147.11 - Responder

    Pergunto-me com quais fundamentos a “Mãe Dinah” faz essa previsão. Certamente, não foi com base nos autos, pois não teve acesso a eles em momento algum.

    • - IP 201.67.101.109 - Responder

      Quem sabe ele comprou a empresa daquele que falava :” Ligue d’jáaa” , lembra o tal do Walter Mercado???

  2. - IP 189.114.54.179 - Responder

    È muito,pois no nosso país, roubar ñ é crime,é esperteza!

  3. - IP 177.41.88.74 - Responder

    Realmente, uma questão delicada. Pode ser mesmo que os réus condenados tenham direito à mudanças de regime ou das próprias penas e sejam absolvidos de outros mais graves. Esperar pra ver!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze + dois =