PREFEITURA SANEAMENTO

MÉDICO DRAUZIO VARELA: “O aborto já é livre no Brasil. É só ter dinheiro para fazer em condições até razoáveis. Todo o resto é falsidade. Todo o resto é hipocrisia. A mulher rica faz normalmente e nunca acontece nada. Já viu alguma ser presa por isso? Agora, a mulher pobre, a mulher da favela, essa engrossa estatísticas. Essa morre. Não sou defensor do aborto e ninguém é. Qual é a mulher que quer fazer o aborto? É uma experiência absurdamente traumatizante, uma tragédia”

 (photo: )

DRAUZIO VARELLA: ‘PROIBIR ABORTO NO BRASIL É PUNIR QUEM NÃO TEM DINHEIRO’

Em meio ao aumento dos casos de microcefalia por conta do zika vírus, o médico Drauzio Varella fez uma defesa contundente do direito da mulher de interromper a gravidez; “O aborto já é livre no Brasil. É só ter dinheiro para fazer em condições até razoáveis. Todo o resto é falsidade. Todo o resto é hipocrisia”, afirmou; “A mulher rica faz normalmente e nunca acontece nada. Já viu alguma ser presa por isso? Agora, a mulher pobre, a mulher da favela, essa engrossa estatísticas. Essa morre”, afirma; Varella também discordou dos que culpam exclusivamente o governo pela epidemia do mosquito aedes aegypti

247 – O médico Drauzio Varella afirma não ter uma opinião a respeito do fim de gestações devido ao zika vírus, mas sustenta que a proibição do aborto no Brasil pune as mulheres mais pobres. “O aborto já é livre no Brasil. É só ter dinheiro para fazer em condições até razoáveis. Todo o resto é falsidade. Todo o resto é hipocrisia”, disse, segundo reportagem da BBC Brasil.

Varella criticou qualquer enfoque religioso sobre o tema e afirma que o cerne da discussão não está na moralidade, mas na desigualdade brasileira. “Ninguém pode se considerar dono da palavra de Deus, intermediário entre deuses e seres humanos, para dizer o que todos devem fazer”, diz. “Muitos religiosos pregam que o aborto não é certo. Se não está de acordo, não faça, mas não imponha sua vontade aos outros.”

“A mulher rica faz normalmente e nunca acontece nada. Já viu alguma ser presa por isso? Agora, a mulher pobre, a mulher da favela, essa engrossa estatísticas. Essa morre”, afirma. “Não sou defensor do aborto e ninguém é. Qual é a mulher que quer fazer o aborto? É uma experiência absurdamente traumatizante, uma tragédia. A questão não é essa.”

Dráuzio Varella também discordou dos que culpam exclusivamente o governo pela epidemia do mosquito aedes aegypti. “O estado brasileiro falha em muitos níveis. Mas não dá pra colocar a culpa toda no Estado, essa é uma visão muito passiva. Larga-se o pneu com água armazenada, deixa-se a água acumular na calha… Esta culpa é compartilhada, a sociedade tem uma fração importante nessa luta.”

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.169.175.110 - Responder

    Realmente, as mulheres pobres são as vítimas de um sistema falho e de uma sociedade hipócrita. O grande problema da não legalização, está nas bancadas religiosas no congresso nacional e dos políticos covardes que não querem se expor.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezesseis − 5 =