Mato-grossense Rodrigo Figueiredo teria sido nomeado no Ministério da Agricultura para facilitar licenças pra JBS

Mato-grossense foi nomeado em Ministério para facilitar licenças à JBS

RAFAEL MACHADO
Jornalista, repórter do Blog Isso É Notícia

O ex-secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Rodrigo Figueiredo, foi nomeado ao cargo em 2013 por intermédio do ex-presidente da Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (PMDB) e do doleiro Lúcio Funaro com o objetivo de favorecer emissão de documentos a empresas ligadas a J&F, empresa que controla a JBS.
A informação foi dada pelo empresário Joesley Batista durante delação premiada à Procuradoria-Geral da República.
Joesley disse que conheceu Figueiredo através de Lúcio durante uma reunião na casa do doleiro. Segundo Batista, ele reafirmou que no Ministério da Agricultura não dava para fazer dinheiro devido a superlotação e desorganização nas superintendências da pasta.
De acordo com o delator, as nomeações feitas por Cunha e Funaro era para favorecer a emissão de documentos para recebimento de propina.
Rodrigo foi nomeado para o cargo no Ministério em agosto de 2013 durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), antes respondia pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Prefeitura de Cuiabá, na gestão de Mauro Mendes (PSB).
Figueiredo era ligado a Toninho Andrade, ministro da Agricultura à época e, pelos relatos de Joesley, assinou vários “atos de ofício” que favoreciam a J&F e ainda rendeu propinas no valor total de R$ 7 milhões a Funaro e Cunha.
O matogrossense ocupou cargos de destaque durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), quando chegou a ser ministro das Cidades, e de Dilma Roussef (PT).

Categorias:Direito e Torto

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco + 15 =