Luiz Ferreira deu às de Vila-Diogo e não leu seu voto no processo em que Riva é acusado de Lavagem de Dinheiro, Peculato e Formação de Quadrilha! Só que o Movimento de Combate a Corrupção estava lá, com mobilização que transborda das redes sociais

Primeiro, na semana passada, foi a juiza Gleid Bispo, da 9ª Vara Civel de Cuiabá que sumiu e não realizou a audiência marcada para julgar processo em que o agricultor José Ribeiro, de Guarantã do Norte, acusa o deputado Riva e o conselheiro Bosaipo de terem usado o seu nome para fabricar uma "empresa fantasma" depois colocada a serviço de transferencia de dinheiro, dos cofres da Assembléia, para as factorings do bicheiro João Arcanjo Ribeiro, por alcunha "Comendador". Agora, nesta quinta-feira, 13 de outubro, quem sumiu foi o desembargador Luiz Ferreira, relator de alentado processo penal em que o sempre ativo Ministério Público de Mato Grosso acusa o mesmo deputado estadual e atual presidente da Assembléia, Geraldo Riva, de ter incorrido continuadamente nos crimes de Peculato, Lavagem de Dinheiro e Formação de Quadrilha.

O julgamento estava na pauta do Pleno do Tribunal de Justiça mas acabou sendo retirado, à ultima hora, porque se informou que o desembargador Luiz Ferreira, da cota da OAB, resolvera sair de férias. Depois, se informou que fora convocado para assumir as funções de presidente interino do TRE, no afastamento, por 15 dias do corregedor da Justiça Eleitoral, desembargador Gerson Paes. Com isso, a votação da matéria fica transferida sine die. Se o sumiço do desembargador desagradou a quem lá esteve, um fato novo pintou no plenário principal do Tribunal de Justiça, que foi a presença, nas poltronas confortáveis daquele ambiente da mais alta corte regional, de militantes da Ong Moral e de representantes da Marcha contra a Corrupção, grupo de Cuiabá, que costuma se mobilizar via internet e agora marcou presença, reforçando a fiscalização da atuação de nossos magistrados. Os militantes que compareceram ao TJ compõem a mesma corrente social que ocupou as ruas das principais capitais brasileiras, no feriado de 12 de outubro, levantando vassouras e bandeiras conta a corrupção.

Os magistradores deram de sumir na hora de julgar Riva – mas o movimento popular que se mobiliza por mudanças e por depuração nas instituições públicas de nosso País cada vez mais está botando o bloco na rua.

E segue a vida em Mato Grosso.

———-

ENTENDA O CASO

"Dar às de Vila-Diogo" – expressão raiana, hoje empregue de forma global em território português, tem as suas origens no homófono espanhol "Dar às de Villadiego".
Esta expressão significa fuga apressada ou precipitada. À comunidade judaica de Villadiego foi concedida por Fernando III, Rei de Castela, o direito de santuário na referida localidade, pelo que em caso de perseguição, o visado fugia apressadamente para Villadiego onde necessariamente se refugiaria para escapar aos captores.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.69.195 - Responder

    O des. Luiz Ferreira começou a escrever seu currículo no TJ. Sua fuga chama a atenção do movimento social. É preciso investigá-lo.
    Queremos saber onde e como ele emprega seus parentes. “Quem souber, favor avisar”…

  2. - IP 189.73.210.171 - Responder

    ora, e que tal o movimento contra a corrupção denunciar para o MPF, para o CNJ, para os Direitos Humanos Internacional, para o Papa, que em Mato Grosso a Justiça tem comportamentos estranhos nos bastidores e o que se vê publicamente são pessoas acusadas de roubar meio bilhão, comprometendo saúde, educação, segurança, sendo protegidas por quem deveriam julgá-las e inocentá-las, se fosse o caso, ou pô-las atrás das grades e sequestrar seus bens, caso as investigações tenham comprovado que de fato houve o crime em questão.

  3. - IP 64.186.149.88 - Responder

    Será que o CNJ se continuar os poderes dele faz alguma coisa para ver se processo ande??? e parabéns as duas organizações presentes no evento MCCE e Movimento de combate a Corrupção Grupo Cuiabá. Mais uma coisa, a mulher de oculos na foto é muito bonita.

  4. - IP 201.22.171.211 - Responder

    Esse sujo Tribunal pode esquecer de julgar esses crápulas, Mas o povo sério e cumpridor de suas obrigaçoes não vão esquecer não.. Estaremos de olhos e ouvidos abertos acompanhando via Midia, ( A não corrompida) É claro…..

  5. - IP 187.52.106.34 - Responder

    Enock, por favor preste mais atenção na sua própria página. No dia 03/10/11 você anunciou que a Juíza Serly Marcondes havia assumido a 9ª Vara Cível!
    Assim, a Dra. Gleide Bispo Santos não poderia fazer a audiência no dia 06/10/11 porque não era mais a titular da Vara.
    Favor checar os fatos antes, ok?

  6. - IP 189.10.40.2 - Responder

    Olha.. não querendo defender o Des. Luiz Ferreira, mas já defendendo, até onde sei, as férias dos magistrados são previamente agendadas, salvo engano, com no mínimo 3 ou 4 meses, não me recordo…
    E outra, até que enfim alguém vão desenrolar esses processos do RIVA, porque já passaram nas mãos de vários magistrados que nada fizeram, apenas ficaram empurrando um para o outro.
    Ah, Ademar, até onde eu sei, o Desembargador Luiz é, salvo engano, o único que não possui familiares empregados em qualquer órgão público.

  7. - IP 187.6.6.158 - Responder

    é isso aí galera do movimento contra a corrupção. Vamo por esse tal de Luiz Ferreira nas redes sociais, denunciar pro Brasil inteiro a manobra desses caras pra se esquivar do cumprimento da lei. Porque esse cara tá se esquivando, o que tem por traz disso? Esse Luiz Ferreira precisa ser conhecido nacionalmente, o povo tem de mostrar que tá de olho nos corruptos. Se ficar pressão os criminosos vão ser enjaulados

  8. - IP 186.213.227.87 - Responder

    A dra. Serly assumiu a 9ª Vara CIVEL. A dra. Gleid marcou e não compareceu a uma audiencia que ela mesma presidiria na 9ª Vara CRIMINAL.

  9. - IP 184.107.230.50 - Responder

    Estamos prestes a ver a 3º Guerra Mundial Israel ira atacar o Irã em algumas semanas ou no máximo no final do Ano de 2011. Por isso que o Brasil está investindo milhões no reaparelhamento da forças Armadas. Fiquem de Olho.

  10. - IP 189.64.8.40 - Responder

    Aline: Agradeço a sua informação. Se de fato o Des. Luiz Ferreira não tem parentes empregados, não tem rabo preso com ninguém, não tem medo de seguir a sua consciência e ser um magistrado sério, aplaudo ele e fico contente em saber da existência de uma joia rara destas.
    Agora, se ele iria entrar em férias, porque pediu pauta para este processo?
    É um processo de grande interesse para a sociedade.
    Posso ter me precipitado, mas cabe ao desembargador explicar à sociedade esse tipo de acontecimento.

  11. - IP 189.10.67.9 - Responder

    Isso tudo é…..Nojento . Como tudo que envolve esse riva ( minusculo mesmo).

  12. - IP 187.52.106.34 - Responder

    Enock, você continua se equivocando!
    A audiência foi marcada na 9ª Vara Cível e não na 9ª Criminal.
    A Dra. Gleide nunca atuou na 9ª Criminal. Ela marcou a audiência na 9ª Vara Cível, só que na data ela já tinha sido promovida como você mesmo noticiou na sua página. Quem estava ausente foi a Dra. Serly.
    O erro é evidente. Melhor publicar uma errata. Fica mais bonito.

  13. - IP 177.0.81.150 - Responder

    Perfeito, André, perfeito. Você está certo. Obrigado por possibilitar a este blogueiro correção desta falha primária. A juiza Gleid Bispo respondia pela 9ª Vara Civel, foi deslocada, em seu lugar foi escalada a juiza Serly Marcondes, como aqui mesmo se informara. Um erro tremendo deste blogueiro que só contribui para ampliar a confusão do caso. Minhas desculpas a todos. Resta agora esperar por nova pauta para a audiência que tratará da ação formulada pelo agricultor contra Riva e Bosaipo.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

4 × 1 =