(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

Promotor Alexandre Guedes pede afastamento do secretário de Saúde, Mauri Rodrigues, após denúncia do jornal Circuito de que Governo Silval enche de dinheiro os cofres das Organizações Sociais enquanto sonega recursos para municipios, consórcios intermunicipais e prestadores de serviços

Publicados

Brasil, mostra tua cara

Os secretários Carlos Rayel (Comunicação) e Mauri Rodrigues (Saúde) acusados pelo Ministério Público de implementar forte esquema em favor das OSs e à sombra do governo de Silval Barbosa, que estão sendo alvo de denúncia do promotor Alexandre Guedes Guedes que formulou sua ação a partir de revelações divulgadas pelo jornal Circuito Mato Grosso, do empresário Pérsio Briante - o mesmo que denunciou o desvio de R$ 44 milhões no chamado Escândalo dos Maquinários. Segundo o Circuito, o governo de Silval não paga o que deve aos municipios mas tem liberado milhões para empresas tercerizadas que atuam no setor de Saúde


O promotor Alexandre Guedes, da Promotoria da Justiça e Cidadania de Cuiabá, acaba de protocolar, nesta segunda-feira, 25 de março de 2013, uma petição na Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular pedindo o imediato afastamento do secretário Estadual de Saúde, Mauri Rodrigues, por descumprimento a ordem judicial determinando que Estado não priorize o pagamento de Organizações Sociais de Saúde (OSSs) em detrimento das prefeituras.
A petição foi provocada com base na reportagem exclusiva do jornal Circuito Mato Grosso – Edição 431, que ainda está circulando – revelando que o Governo do Estado já pagou este ano 37 milhões a Organizações Sociais de Saúde (OSS) enquanto deixou de repassar 42 milhões às prefeituras do interior em 2012. O jornal Circuito Mato Grosso é dirigido pelo empresário Pérsio Briante, bastante conhecido nos meios políticos e administrativos do Estado, desde que, através de denunciação caluniosa, ajudou o Ministério Público Estadual a identificar diversas irregularidades praticadas pelo Governo do Estado, na administração do ex-governador Blairo Maggi, naquele que é chamado de Escândalo dos Maquinários.
“Alertado por notícia publicada no jornal “Circuito Mato Grosso”, descobriu-se que o Estado vem repassando milhões às referidas organizações sociais, ao mesmo tempo em que mantém os débitos com os municípios, consórcios intermunicipais e prestadores de serviços”, observa o promotor Alexandre Guedes, em sua ação. E, taxativo, completa: “o que se nota é que o Estado de Mato Grosso ignorou a ordem judicial de deixar de priorizar as organizações sociais, merecendo, portanto, a resposta desse Juízo”.
Alexandre Guedes cita o fato do governador Silval Barbosa (PMDB) ter anunciado o parcelamento da dívida com os prefeitos em quinze dias, diluindo o restante em pagamentos mensais até o final de 2013. “Verifica-se, portanto, que ao mesmo tempo em que o Estado diz não ter dinheiro para pagar os municípios, faz repasses de milhões às organizações sociais, conforme demonstra o extrato do Fiplan”.
O promotor Alexandre Guedes ainda sugere que a Justiça acate pedido para que proíba o Estado de veicular qualquer propaganda ou publicidade, com exceção das obrigatórias enquanto não forem colocados em dia os repasses devidos, na área de saúde, aos municípios, consórcios intermunicipais e prestadores de serviços, sob pena do secretário de Comunicação, Carlos Rayel, ser afastado de suas funções.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Riva garante que governadores Dante de Oliveira, Maggi e Silval participavam do esquema que pagava mensalão a deputados da Assembleia de MT

Propaganda
1 comentário

1 comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Brasil, mostra tua cara

Morre o prefeito de São Paulo, Bruno Covas

Publicados

em


O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morreu às 8h20 deste domingo (16), em decorrência do câncer da transição esôfago-gástrica e complicações do tratamento. O velório será fechado, com a presença apenas para a família, mas haverá também uma cerimônia na prefeitura.

Licenciado do cargo no início deste mês, Bruno Covas estava em tratamento no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista.

Filho de Pedro Lopes e Renata Covas Lopes e pai do jovem Tomás Covas, Bruno nasceu em Santos, no litoral paulista, no dia 7 de abril de 1980, e foi advogado, economista e político brasileiro.

Mudou-se para a capital paulista em 1995 e, dois anos depois, filiou-se ao PSDB, seguindo os passos do avô, o ex-governador Mário Covas (1930-2001), sua grande inspiração e influência política . No partido, chegou a ser presidente estadual e nacional da Juventude do PSDB e ocupou cargos na Executiva Estadual.

Sua carreira na política começou em 2004, quando se candidatou a vice-prefeito de sua cidade natal. Dois anos depois, foi eleito deputado estadual na Assembleia Legislativa de São Paulo e reeleito para o mesmo cargo e m 2010, com mais de 239 mil votos, sendo o mais votado d aquele ano.

Leia Também:  Critica à desembargadora Iara Ramires de Castro, que deu carteirada em blitz de trânsito, não é crime. TJ-SP rejeita queixa-crime contra jornalistas Luciano Faccioli e Patricia Maldonado, da TV Bandeirantes. LEIA A DECISÃO E VEJA O VÍDEO

No ano seguinte, assumiu a Secretaria Estadual do Meio Ambiente no governo de Geraldo Alckmin, permanecendo no cargo até 2014, quando foi eleito deputado federal para o mandato 2015-2019.

Edição: Nádia Franco

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA