(65) 99638-6107

CUIABÁ

Jogo do Poder

CENSURA: TVCA veta candidato da Rede em debate

Publicados

Jogo do Poder

Renato Santana não foi convidado mas o Mauro Lara, do PSOL, foi. Isso revolta o candidato da Rede

Renato Santana não foi convidado mas o Mauro Lara, do PSOL, foi. Isso revolta o candidato da Rede


A participação do candidato da Rede Sustentabilidade foi vetada pela TV Centro América no debate que a afiliada da Rede Globo em Mato Grosso promove no próximo dia 29 de setembro. É um ato de censura e de discriminação.
Adotando este entendimento, o candidato a prefeito Renato Santtana ingressou na noite desta sexta-feira (16), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) uma ação contra afiliada da Rede Globo em Mato Grosso, a TV Centro América.
A emissora impediu Renato de participar alegando o fato dele não alcançar a margem de 5% na segunda rodada de pesquisas do IBOPE.
Renato explica que o partido não completou nem um ano e que não tem condições da Rede aparecer com representatividade nas pesquisas em tão pouco tempo de campanha. E afirma que essa decisão, da emissora, fere os pressupostos da democracia. Se a candidatura recebeu registro do TRE, entende o Renato Santana que ela deve ser considerada e convidada para todos os debates, participando ou não dele segundo a sua disposição.
“A gente entende que a legislação foi objetiva ao dizer que os partidos que não têm 9 (nove) deputados federais não podem participar dos debates. Entretanto, existe uma ressalva. As emissoras podem convidar o candidato, o que consiste em incentivo a uma atitude de boa convivência. Mas não é o que está sendo feito. Faz parte do jogo democrático que todos os cidadãos têm direito a ouvir as propostas dos partidos”, diz.
Outro ponto questionado pelo candidato é o PSOL poder participar do mesmo debate já que o partido também não apresenta 9 (nove) deputados federais. “Eles não possuem nove parlamentares assim como nós, mas já participaram de seis eleições, por isso apresenta um índice maior que o nosso nas pesquisas. Já a Rede, irá completar um ano dia 22 deste mês. Não podemos aceitar e por isso judicializamos na Justiça Eleitoral. Ou os seis partidos estejam no debate ou apenas os quatro que tem mais de 9 (nove) deputados federais, PRB, PSDB, PMDB e PDT”, afirma.
O candidato ressalta que a atitude da afiliada da Rede Globo prejudica a campanha da Rede por não dar oportunidade de apresentar suas propostas. “Devemos apresentar no debate argumentos que ajudam o eleitor a decidir o seu voto. Não aceitamos que calem nossa voz. Agora está nas mãos do judiciário. Esperamos que a justiça sinalize que estamos no século XXI, no tempo da democracia e da transparência. Não podemos voltar ao passado, no tempo da censura, temos que caminhar rumo ao futuro”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  ANTONIO E RAFAEL IORIS: Com a atual crise, erosão da institucionalidade democrática tende a se agravar no Brasil

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Jogo do Poder

No dia do servidor público, comunidade da UFMT alerta população sobre a PEC 32 e cobra deputados

Publicados

em

Adufmat cobra compromissos dos parlamentares que representam o povo trabalhador de Mato Grosso

Já faz mais de um ano que os servidores públicos federais, estaduais e municipais denunciam a elaboração de mais um forte e perigoso ataque contra os direitos constitucionais. O Governo Federal queria aprovar sua proposta de Reforma Administrativa (PEC 32) em agosto deste ano, mas devido à gravidade da pauta e a pressão de sindicatos e movimentos sociais, tem encontrado dificuldades para conseguir os 308 votos necessários.

Nessa quinta-feira, 28/10, Dia do Servidor Público, a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), representada pelos sindicatos dos docentes, técnicos-administrativos e estudantes – Adufmat-Ssind, Sintuf/MT e DCE, respectivamente -, fez mais uma intervenção: encheu de faixas as grades da universidade para denunciar o ataque e cobrar os parlamentares mato-grossenses.

Há seis semanas servidores de todo o país fazem vigília em Brasília para demonstrar aos parlamentares que a população é contrária à PEC 32, porque sabe que será prejudicada. A Adufmat-Ssind já realizou diversas atividade nesse sentido. Publicou uma cartilha elencando os malefícios da PEC 32 para os servidores e para a sociedade como um todo (clique aqui para acessar), organizou atos e campanhas nas ruas, redes sociais, emissoras de TV e rádio, lives, além de uma série de programas com a personagem Almerinda para dialogar com a população sobre o assunto.

Leia Também:  VERGONHA DE MT DIANTE DO BRASIL - Deputado cassado por corrupção eleitoral e acusado pelo MP de organizar quadrilha para assaltar a Assembléia, desviando 500 milhões, deve ser eleito, mais uma vez, presidente da Assembléia. O nome dele é José Geraldo Riva

A PEC 32 é a terceira proposta de Reforma Administrativa desde a promulgação da Constituição de 1988 e, desta vez, tem como objetivo precarizar os contratos dos trabalhadores, colocando os servidores públicos em condição de maior fragilidade e permitindo todo tipo de barganha com os cargos públicos. Também pretende introduzir o princípio de subsidiariedade, no qual o Estado atua como um igual, e não como um ente superior ao setor privado e conceder superpoderes ao presidente da República, que passaria a poder destruir instituições e autarquias com apenas uma canetada.

A justificativa mentirosa utilizada pelos governantes para aprovar a PEC 32 seria acabar com privilégios de servidores. No entanto, políticos, militares de alta patente e o alto escalão do Poder Judiciário, exatamente aqueles que recebem salários exorbitantes, ficarão de fora da Reforma. Ela tingirá, apenas, os servidores que recebem os menores salários, em sua maioria, os que estão em contato direto com a população usuária dos serviços públicos.

O Governo também mente sobre os reflexos da reforma para os atuais servidores federais, estaduais e municipais. Além de já receberem os piores salários e enfrentarem ambientes de trabalhos precarizados, esses servidores correm o risco de sofrer redução de salários e carga horária de trabalho em até 25%.

Leia Também:  Lewandowski decide a favor da vacina obrigatória. LEIA O VOTO

Para o diretor geral da Adufmat-Ssind, professor Reginaldo Araújo, a data é mais uma grande oportunidade para “chamar a atenção da população sobre os ataques da PEC 32 e cobrar os deputados, lembrando que aqueles que atacam a população dessa forma costumam não ser reeleitos, a exemplo da última Reforma da Previdência”.

Até o momento, os deputados mato-grossenses que se declararam contrários à PEC 32 são: Rosa Neide (PT), Emanuelzinho (PTB), Leonardo (SDD), Carlos Bezerra (MDB) e Juarez Costa (MDB). Os deputados que ainda se mostram favoráveis à proposta são Neri Gueller (PP), Nelson Barbudo (PSL) e José Medeiros (PODE).

Protesto na UFMT contra PEC 32

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA