JUIZA WANDINELMA DOS SANTOS – ‘A noticia da Gazeta me colocando sob suspeita, me causa imenso constrangimento. Nunca, em tempo algum, nomeei meu marido para qualquer cargo de confiança. Serão adotadas contra a Gazeta todas as medidas legais cabíveis’

A juiza Wandinelma dos Santos concedeu a PÁGINA DO E, por e-mail, a seguinte entrevista.
                                                                   
                                                                    
PÁGINA DO E – Juiza, de acordo com o jornal A Gazeta, a sessão do Pleno do TJ, na última quarta-feira, a colocou sob suspeita e decidiu investigar os 839 dias que em que a senhora tem estado sob licença médica. A senhora já foi comunicada desta decisao?

WANDINELMA DOS SANTOS – Nao, ainda nao fui comunicada oficalmente.

PÁGINA DO E – De acordo com A Gazeta, o TJ também abriu processo para investigar o fato de a senhora ter nomeado seu marido para trabalhar em seu gabinete, no tempo em que ele cursava faculdade em Cuiabá. Como a sra. pretende enfrentar esta investigação?

WANDINELMA DOS SANTOS –  Nunca, jamais, em tempo algum, nomeei meu marido para qualquer cargo de confiança. Consultas a presidencia de TJ MT e ao Diario Oficial podem confirmar isso.  Quanto a isso, tanto eu quanto ele, ja contratamos advogados para tomar as providencias legais contra a Gazeta.

PÁGINA DO E – Por que todo este interesse do jornal A Gazeta em destacar possiveis investigações do TJ em relação a senhora? A senhora manteve alguma demanda contra o jornal? Sera uma reação ao fato de, no inquérito sobre o carnaval na Bahia, ter envolvido um colunista do jornal que, no processo, acabou desmetindo o que publicou?

WANDINELMA DOS SANTOS – Não tenho a menor ideia. Nunca demandei contra a Gazeta e nunca decidi processo envolvendo este jornal. Quanto ao fato de Fernando Baracat ser colunista deste jornal, tambem não esclarece, porque entendi, desde o principio, por contato pessoal que tive com o referido colunista, que jamais houvera por parte dele ou do jornal nenhum intuito em me prejudicar.

PÁGINA DO E – Diante das alegadas distorções adotadas pela Gazeta, em sua abordagem, que providencias a sra. irá adotar?

WANDINELMA DOS SANTOS – Serão adotadas todas as medidas legais que parecerem necessarias, adequadas e cabiveis, sob o critério e orientação das minhas assessoras juridicas, contratadas ontem para isso.

PÁGINA DO E – A senhora continua de licença médica ou sua situação de saúde melhorou? A senhora calcula que deve voltar a atuar na magistratura em quanto tempo?

WANDINELMA DOS SANTOS – Continuo em licença médica, deferida pela presidencia do Tribunal de Justiça e permaneço em tratamento. Devo passar por nova avaliação pela junta médica em outubro proximo e os senhores peritos é que decidirão a data do meu retorno. A noticia da Gazeta me colocando sob suspeita, me causa imenso constrangimento, pois a primeira pericia medica a que me submeti perante a junta medica do  TJMT, e que recomendou meu afastamento para tratamento,   foi realizada em 27.11.2003 .Depois disso,  fui submetida a outras pericias perante a propria Junta do TJ  e tambem pela Junta medica do Estado de Mato Grosso, que chegaram  a mesma conclusao (afastamento por seis meses  para repouso e voz e tratamento fonoterapico) . Todas as licencas foram homologadas e deferidas pela presidencia do TJ, com base nos laudos médicos firmados por especialistas e pela junta médica do TJMT.Contudo, apenas TRES ANOS DEPOIS, me foi permitido atender a recomendacao medica e iniciar meu tratamento. Resta evidente que essa demora agravou em muito meu estado de saude, como afirmam os peritos.

PÁGINA DO E –  Como a senhora avalia a atuação da Corregedoria de Justiça, através do desembargador Ornellas e do juiz Alexandre Elias, neste seu caso?

WANDINELMA DOS SANTOS – Não me cabe avaliar a atuação da egregia corregedoria mas a defesa prévia e os depoimentos do colunista Fernando Baracat e do médico cardiologista que me assistiu não deixaram duvidas, desde o inicio, de que se tratava de um grande e grave equivoco, sem contar que essa investigação teve inicio com base em uma denuncia.

PÁGINA DO E – O Judiciário de MT, nestes últimos tempos, tem sido palco de sucessivas crises, envolvendo processos contra magistrados. Qual o saldo que todo este processo, no seu entendimento, deixará para a nossa sociedade?

WANDINELMA DOS SANTOS – o saldo, a mim parece, sera sempre positivo, pois a sociedade espera, antes de tudo, transparencia, principalmente em se tratando do Poder Judiciário.

 

—————————–

A MEMÓRIA É QUE FAZ A HISTÓRIA

CLIQUE NO LINK ABAIXO E LEIA INTEIRO TEOR DA DEFESA DA JUIZA PERANTE O TJMT

Tjmt Pagina do E – Juiza Se Defende

CLIQUE NO LINK ABAIXO E VEJA FERNANDO BARACAT RECONHECENDO O EQUIVOCO NA NOTA QUE PUBLICOU SOBRE A PASSAGEM DA JUIZA WANDINELMA POR SALVADOR

http://www.scribd.com/TJ-Pagina-do-E-Moa-e-Baracat-no-caso-Wandinelma/d/35656407

 

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.47.175.161 - Responder

    Cagou, hein, Gazeta? Logo com quem…

  2. - IP 189.59.55.14 - Responder

    Engracado esse MOA…dias atras, com o Judiciario no olho do furacao, ele abandonou a Corregedoria na mao de uma “preposta” , saiu em licenca medica e foi pescar em Sao Felix do Araguaia..Isso pode, neh
    ..sera que no Judiciario nao tem um monte de podres pra ele investigar…
    E as vendas de sentenca…como vao as investigacoes…O POVO QUER SABER

  3. - IP 189.59.55.14 - Responder

    Enock, a Gaeta continua errando.
    A Gazeta quis dar o golpe do Joao sem braco, …ou deu o tapa e quiz enconder a mao…fez a materia da Juiza e nao pos o nome dela…a materia da Juiza e o caso da nota do Fernando Baracat esta saindo na imprensa e em varios blogs ha semanas….Qualquer criancinha – ate o MOINHA sabe que se trata dela…A Gazeta se ferrou….O jornal tem que ser processado sim, para aprender…e o Brasil ainda dispensa diploma de jornalista…onde neguinho vai aprender o que eh ETICA…se nao aprendeu em casa, tem que aprender na escola….BEM FEITO.

  4. - IP 189.59.59.253 - Responder

    Não concordo nem discordo da Juíza, por não ter elementos para avaliar, mas louvo a “pagina do e” por dar voz à ela, coisa que a gazetinha deveria ter feito na reportagem deles. Tem sido comum nessa medíocre imprensazinha brasileira a destruição de reputações, sem direito a defesa, de inúmeros cidadãos, de vida pública ou não. Publicam o que querem, destroem quem querem e protegem quem querem (mediante uma tal “taxa de zelo”?!!!). Acontece isso desde o jornaleco de ponta de esquina até a chamada “grande imprensa”. Quando se critica a imprensa, logo vem a reação em cadeia de que “fulano” é “contra a liberdade de imprensa”, como se “liberdade” fosse sinônimo absoluto de ausência de responsabilidade sobre o que se escreve. Sob a justificativa de se evitar o “enriquecimento ilícito”, o judiciário proporciona indenizações ínfimas aos que tiveram suas reputações destruídas, valores que fazem rir os ofensores. Sob justificativa de “liberdade de imprensa”, o judiciário nega o direito de resposta dos ofendidos, estes que, frente a injustiças expostas diuturnamente na imprensa, não podem fazer ouvir suas vozes, sua defesa…. Quiçá com mais membros do judiciário sendo vítimas dessa imprensazinha engajada, submetida a interesses políticos e/ou empresariais, o judiciário comece a tomar atitudes que, sem censura, responsabilizem de alguma forma os empresários da comunicação e jornalistas, cujo teclado causa tão mal quanto as pistolas e facas dos violentos.

  5. - IP 200.252.214.60 - Responder

    Enock,

    Será que você mudou de opinião a respeito da liberdade de imprensa?
    Parece que você anda querendo censurar A Gazeta.

  6. - IP 189.59.54.119 - Responder

    a tal metríssima, quer dizer, meretíssima que empregou o marido como assessor, sendo que este, em tal período cursava faculdade de medicina em Cuiabá era da cidade vizinha a nortelândia… Figurinha conhecida do gabinete da presidencia, dados a desmaios qdo ocorriam a promoçoes, temendo ir para uma cidade distante a cuiaba e ficar longe do maridao nos finais de semana… Essa magistratura

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

17 + 8 =