Juíza Helícia Vitti Lourenço assume em Barra do Bugres e quer acabar com acúmulo de 7 mil processos


A juíza de Direito Helícia Vitti Lourenço assumiu a Terceira Vara da Comarca de Barra do Bugres (168km a médio norte de Cuiabá) em 16 de junho estabelecendo como meta a redução do estoque de cerca de sete mil processos em trâmite atualmente. Assim que foi designada, instalou uma correição na vara, para conhecer todos os processos existentes. A magistrada afirmou que fará de tudo para sentenciar esses processos o mais rapidamente possível.

De acordo com a magistrada, esse trabalho será realizado sem prejuízo às medidas consideradas urgentes, como ações que envolvem réus presos e ações da Vara de Família, sobre alimentos e guarda, assim como das petições iniciais que estão entrando agora. “Preciso saber se, de fato, tenho fisicamente esses sete mil processos”, observou.

A juiza Helícia Vitti Lourenço acaba de assumir o comando da Terceira Vara da Comarca de Barra do Bugres

Vinda da Comarca de Guiratinga (328km a sul de Cuiabá), onde permaneceu um ano e meio, a magistrada contou sobre a ótima impressão que teve da sociedade de Barra do Bugres, que considerou simpática e hospitaleira. Embora na Comarca de Vara Única de Guiratinga exercesse todas as funções (cível, criminal, diretora do foro e corregedora), a magistrada se surpreendeu com o número de processos que deverá sentenciar, o dobro do que tinha na comarca anterior, em média 3,5 mil.

Em Barra do Bugres a juíza Helícia Vitti Lourenço atua ao lado de outras duas magistradas: Joseane Carla Ribeiro Viana Quinto, que é diretora do foro da comarca, e Leilamar Aparecida Rodrigues, que está de férias. A magistrada destacou a relevância de serem três mulheres as responsáveis pela comarca e avaliou que as mulheres já conquistaram muito, mas ainda existe preconceito, principalmente na iniciativa privada. “Em muitas empresas, mulheres ocupam os mesmos cargos dos homens, mas ganham menos”, observou.

A Terceira Vara de Feitos Gerais tem competência privativa para execução criminal.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.10.151.26 - Responder

    O que mata o Judiciário e o tem levado para o fundo do poço é A VAIDADE DE SEUS INTEGRANTES.
    Cabe à doutora juíza cuidar de seus processos sem propaganda. É obrigação sua. É paga para isso, e muito bem paga. Ganha quase 40 mil pra fazer isso, então, que o faça com eficiência e sem alardes.

  2. - IP 200.189.118.212 - Responder

    Parabéns Doutora.
    Acredito que a senhora nem lembre-se de mim, mas hoje estou a caminho do 3º de DIREITO em Curitiba, por inspiração, mesmo que sem conhecimento, da senhora. Estou estudando muito, e se Deus quiser, com muito esforço da minha parte, serei uma Juiza de Direito.
    Conheci a senhora em Porto dos Gaúchos- MT.

  3. - IP 201.67.61.22 - Responder

    Sua judicatura na Comarca de Mutum, esta pairando muitas duvidas quando sua imparcialidade, ao que parece esta se preocupando em defender bandidos e caloteiros, pessoas de bem trabalhadora, honesta, que pagam seus impostos, inclusive o seu salario, esta deixando de lado, dificultando ao maximo a entrega da prestacao jurisdicional Isso Nobre Magistrada, ira dar origens a representacoes aos orgaos competentes, para que seja adotadas medidas com rigor. A sociedade nao aguenta mais tanto abuso de poder por parte de FUNCIONARIO PUBLICO.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × três =