PREFEITURA SANEAMENTO

Juiz Agamenon Moreno atende petição formulada pelo advogado Paulo Taques e condena Zé Marcondes Muvuca, a mosca que pousou na sopa de Zé Pedro Taques, a pagar R$ 7 mil de indenização por danos morais ao atual governador de Mato Grosso. Ao acusar aparentemente sem nenhum interesse em provar envolvimento do agora tucano com pretensa “máfia dos combustíveis”, que agiria em Mato Grosso, Muvuca praticou os crimes de calúnia e difamação. LEIA INICIAL, CONTESTAÇÃO E SENTENÇA

Juiz Agamenon Moreno condena Zé Marcondes Muvuca a pagar indenização de R$ 7 mil a Zé Pedro Taques by Enock Cavalcanti

Zé Muvuca se defende em processo de Zé Pedro Taques dizendo que exerceu seu direito de informar by Enock Cavalcanti

Zé Pedro Taques processa Zé Marcondes Muvuca por acusá-lo de integrar pretensa máfia dos combustíveis by Enock Cavalcanti

Zé Pedro Taques, governador de Mato Grosso

Zé Pedro Taques, governador de Mato Grosso

Juiz condena Muvuca a pagar R$ 7 mil a Taques por artigo sobre máfia

ALEXANDRE APRÁ, no Issoé Notícia

 

O juiz Agamenon Alcântara Moreno Júnior, do Segundo Juizado Especial Cível de Cuiabá, condenou o jornalista José Marcondes Neto, o “Muvuca”, a pagar R$ 7 mil a título de indenização por danos morais ao governador de Mato Grosso, Pedro Taques (Sem partido), pela publicação do artigo de opinião intitulado “A máfia de Pedro Taques”, pela imprensa local, em 2011.

 

A decisão é do último dia 18 de agosto e ainda cabe recurso. Muvuca tentou registrar candidatura a governador nas eleições passadas pelo PHS, mas teve seu registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT).

 

No texto, o jornalista acusou Taques de ser o “braço político” da chamada “Máfia dos Combustíveis”, em alusão a uma investigação realizada pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2005.

 

O secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, à época advogado do então senador Pedro Taques, alegou à Justiça que, com o artigo, o jornalista excedeu em sua função de informar e passou a desferir acusações infundadas, imputando-lhe, sem provas, conduta criminosa.

 

Na sentença, o juiz Agamenon Alcântara entendeu que Muvuca não se pautou em provas ou fontes confiáveis para fazer tais acusações ao então senador. 

 

“Destarte, cabia ao reclamado citar fontes confiáveis que dessem suporte às acusações lançadas em face do reclamante, pois, não o fazendo, as assertivas contidas em seu artigo passam a ser calúnia e difamação, puníveis de acordo com a lei penal, sem exclusão da responsabilidade civil”, diz trecho da sentença.

 

“A leitura do artigo em comento revela a patente intenção do reclamado em ofender a imagem do reclamante, pois as linhas ali apostas ultrapassam os limites da informação, ao lançarem impropérios diretos à pessoa do autor, conforme trecho que aqui se reproduz: ‘O que se pretende aqui, não é nada mais que arrancar a máscara daquele que, por trás dela, se esconde como mero aproveitador, ambicioso, de olho em oportunidades de se dar bem, indiferente aos desígneos (sic) e desejos do povo, embora finja estar em sua defesa’.”, completou o magistrado.

 

Outro lado

 

O jornalista José Marcondes, o “Muvuca”, afirmou ao blog que recebeu a condenação com tranquilidade e ainda ironizou dizendo que aceita “prestar serviços no escritório da senhora Samira Martins”. Samira é esposa de Taques

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.203.42.228 - Responder

    Queriam que Muvuca apresentasse a prova? Ah bão…!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezoito − 18 =