JOSÉ ORLANDO MURARO: Existem recados das urnas? Então, o alto índice de VOTOS NULOS em Chapada dos Guimarães deve significar MUITA COISA…

José Neves, José Orlando Muraro e Gilberto Mello: a eleição está judicializada, em Chapada dos Guimarães

Segundo turno em Chapada dos Guimarães
POR JOSÉ ORLANDO MURARO

 

Na obra de George R.R. Martin, “Games of Throne”, cuja rede de TV por assinatura HBO já produziu a série referente aos dois primeiros ( dos cinco) livros já editados no Brasil ( sete, nos EUA), as grandes casas ( Baratheon, Lannister, e Stark), entram em uma guerra aberta pelo Trono de ferro de Westeros, após a morte, ou o assassinato, do rei que mantinha unificado os denominados sete reinos.

A partir do Livro III, o leitor nota que a autofagia das casas dinásticas maiores, com o tempo, as casas menores, que prestavam lealdade àquelas, surgem no cenário como alternativas de poder, através de alianças e traições. Cinco bons e alentados volumes, que resultaram em duas temporadas excelentes no canal HBO. E que venham mais….

As eleições em Chapada dos Guimarães, não fosse a férrea e truculenta mordaça imposta pela Justiça Eleitoral local, onde qualquer manifestação de opinião resultava em claras ameaças de imposição de MULTAS e mais MULTAS, tem muito da novela do George R.R. Martin.

As grandes famílias que até recentemente dominavam o cenário político chapadense, tais como Moreira da Silva e Albernaz, foram se diluindo e hoje dois agrupamentos de famílias menores se enfrentaram, na mais silenciosa e amordaçada eleição já acontecida por aqui.

Uma eleição asséptica, assexuada, inodora e incolor…. silêncio total…. que só prejudicou o eleitor, bastando ver que os VOTOS NULOS superaram os votos VÁLIDOS para os prefeitos eleitos ( porque foram dois, afinal, como veremos…) Foram 27,88% o que representa 3.327 votos sendo que Gilberto Schwarz de Mello obteve 2.891 votos e José de Souza Neves com 2.848 votos.

Pela sociologia eleitoral, VOTO BRANCO significa que o eleitor apóia a eleição, mas não tem candidato, e os VOTOS NULOS significam que o eleitor DISCORDA E PROTESTA frontalmente contra o sistema eleitoral, ou com a forma que as eleições foram conduzidas.

E VOTO NULO, em Chapada dos Guimarães, teve claramente o sentido de PROTESTO contra a mordaça imposta pela Justiça Eleitoral local, eis que logo no início do processo, os dois jornais que circulam na cidade (Ecos da Serra e Folha da Chapada) foram submetidos e denunciados pelo Ministério Público, com aplicação de pesadas multas, o que arrefeceu o ânimo dos já nada combativos veículos de comunicação.

Este cerceamento, truculento e financeiro da imprensa, resultou em uma eleição de CEMITÉRIO, onde ninguém xingou ninguém, ninguém denunciou ou apresentou provas contra ninguém…uma eleição para lá de amorfa, com as candidaturas feitas e construídas nas pequenas conversas pelas esquinas…. e o eleitor claramente protestou: compareceu para votar, mas 28,88% dos votos foram ANULADOS….. existem recados das urnas? Então, o alto índice de VOTOS NULOS em Chapada dos Guimarães deve significar MUITA COISA…..

Mas voltando às alianças, concorreram CINCO CANDIDATOS ao cargo de Prefeito Municipal, em um universo de 12.980 eleitores, o que, por si só, já demonstrava que seria uma eleição pulverizada.

A aliança que não se concretizou, entre o ex-secretário municipal de Educação Ladebrair Xavier de Oliveira ( Partido dos Trabalhadores) e a ex-secretária de Saúde Rosa Maria Blanco Manzano ( PSD) condenou os dois candidatos a brigarem duramente pela LANTERNA ELEITORAL.

O candidato OSMAR FRONER DE MELLO, concorreu praticamente sozinho, sem apoio nas famílias tradicionais, tentando alçar vôo a partir do fato de já ter exercido os cargos de prefeito, vice-prefeito e secretário em diversas administrações , e de uma memória prodigiosa, que lembra nomes, fatos e coisas do tipo que, na hora do chá-com-bolo cativa o eleitorado, normalmente da zona rural.

Mas o quê, na realidade aconteceu em Chapada dos Guimarães nestas eleições, notadamente para o cargo de prefeito?

George R.R. Martin bem que poderia explicar….

O candidato Gilberto Schwarz de Mello buscou a aliança nem tanto com Silvino Moreira da Silva ( e que se reconheça o valor e o ânimo deste nos embates eleitorais), mas sim com a pequena burguesia citadina: os COMERCIANTES LOCAIS, que, em peso, sustentaram e defenderam a candidatura de Gilberto Mello. Qual o motivo? EMPREGUISMO, não que os comerciantes, em sua maioria, buscassem tal benesse do poder municipal. O motivo era outra: quando foi prefeito (2005-2008), Gilberto montou um verdadeiro cabidão de empregos, com mais de 700 contratados, sem concurso e sem cadeiras para sentarem…. mas estes 700 contratados, significariam em salários, em valores de hoje, a injeção mensal de 435 MIL REAIS na combalida e falida economia local….

Durante a gestão Flávio Daltro Filho, muito dinheiro foi gasto, roubado e desviado, mas sempre por empresas de fora….aliás, o próprio (e, infelizmente, ainda) prefeito Flávio Daltro sempre se gabou de não ter NENHUM CENTíMETRO QUADRADO de PROPRIEDADE no MUNICIPIO de Chapada dos Guimarães….isto porque tem 20 anos de vida pública construída e destruída aqui ( foi vereador, secretário vice-prefeito e finalmente, para desgraça nossa, prefeito) e NUNCA, em TEMPO ALGUM, adquiriu um imóvel por aqui…investiu sempre fora, em outro local….

E o médico JOSE DE SOUZA NEVES, em que pese uma única aparição no cenário político ( vice de Edmilson de Freitas), sempre teve sua vida profissional e privada fora da Chapada dos Guimarães. Mas, aqui veio a diferença: a aliança entre as famílias Neves, Paixão, Freitas e Siqueira, que, isoladamente, NUNCA venceram uma eleição para o cargo de prefeito desde a elevação da currutela a município, em 1956.

Foram estas DUAS grandes alianças que se enfrentaram, com condições de elegerem seus candidatos para o cargo de prefeito. Gilberto Mello e os COMERCIANTES locais e José de Souza Neves com uma aliança de famílias tradicionais em Chapada dos Guimarães. A diferença de 43 votos mostra o equilíbrio de forças entre eles.

Mas agora vem o SEGUNDO TURNO das eleições em Chapada dos Guimarães, a ser decidida pelo Tribunal Superior Eleitoral, eis que o primeiro colocado, Gilberto S. de Mello teve as contas rejeitadas pela Câmara Municipal. Teve a sua candidatura IMPUGNADA pela Justiça Eleitoral local e pelo TRE-MT, mas concorreu aguardando a decisão de um recurso pendente junto a Tribunal Superior Eleitoral.

Isto gerou uma situação “ sui generis” : a não proclamação do candidato eleito com maior número de votos, conforme comunicado da juíza eleitoral:

“Desta forma, em razão de o candidato a prefeito Gilberto Schwarz de Mello, ter seu registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral, estando sub judice, aguardando decisão do TSE – Tribunal Superior Eleitoral, não será proclamado eleito nas eleições majoritárias de Chapada dos Guimarães, o que poderá ocorrer após julgamento definitivo de referido recurso, caso lhe seja favorável” (grifo nosso).

Um SEGUNDO TURNO, agora nos tapetões do TSE, que provocará, com certeza, muito mais emoções, do que a própria eleição, também, em segundo turno, em Cuiabá….


Jose Orlando Muraro Silva, advogado, é cidadão chapadense.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.10.99.42 - Responder

    Há alguns equívocos no artigo.
    1º) Os votos considerados nulos, não foram de eleitores revoltados, mas são os votos dados ao candidato “sub judice”, pois se encontra, no sistema do TRE, como indeferido com recurso, por isso, os votos apenas serão considerados válidos se o TSE reformar as decisões anteriores;
    2º) Não haverá 2º Turno, mas eleição suplementar, se o candidato indeferido tiver 50% + 1 dos votos.

  2. - IP 201.10.151.26 - Responder

    Coitada da Chapada. Nunca irá pra frente enquanto persistirem esses nomes na política.
    Esse GILBERTO MELO já mostrou quem é em 4 anos de prefeitura. Teve um monte de contas e convênios reprovados. É anarfa de pai e mãe.
    Esse JOSÉ NEVES a única coisa que fez em chapada foi nascer lá e tomar o prédio do hospital em uma demanda trabalhista. Só vai lá a turismo e guarda o honroso título de “irmão do João Eloy – cantor de rasqueado). Esse é bom no rasqueado.
    Esse OSMAR FRONNER é o sujeito mais supeito daquela região. He is the most suspicius man of that place. Muuito enrustido. É cabo eleitoral de vários deputados, inclusive o Eliene, mantendo propriedades em nome de terceiros.
    A única que salvaria a pátria ali seria a ENFERMEIRA ROSA, que, lamentavelmente, embora deveras animada, com seus cabelos wave jogados ao vento, levou tinta. Parece que os eleitores são cegos.

Deixe uma resposta para Esteves Adrielle    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

16 + um =