PREFEITURA SANEAMENTO

JORNALISTA FAZ RETRATO SEM RETOQUE DE JORNAIS DO PIG: “A revista “Veja” é descarada, escandalosa, despudorada. É aquela marafona que anda pelas ruas com cartaz no qual anuncia seu preço e condições.Não pretende enganar ninguém. A (Rede) Globo é a marafona que faz algum esforço para disfarçar sua atividade, e às vezes chega mesmo a vestir roupa de colegial, mas que mesmo assim deixa claro seu ofício e suas intenções. Quer enganar, mas não engana ninguém. A Folha de S. Paulo é a marafona que se faz de virtuosa. Chega a dar lições de moral. É, talvez, o pior tipo. Pois acrescenta hipocrisia ao vício

Otávio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S.Paulo

Otávio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S.Paulo


Por que a Folha criticou a maneira amiga como a Justiça trata o PSDB?
Por Paulo Nogueira

Ora, e então vemos um alvoroço na internet com um editorial em que a Folha admite que a Justiça favorece o PSDB.

A razão do editorial foi o completo abandono do chamado Mensalão Tucano.

Bonito isso.

Agora, para ficar completo, só falta a Folha fazer um segundo editorial em que denuncie a proteção, pela mídia, do PSDB.

Ambas as proteções, a jurídica e a jornalística, caminham alegremente de mãos dadas, e servem para que milhões de analfabetos políticos sejam manipulados e acreditem que a corrupção é monopólio do PT.

Servem, também, para desviar o foco da sociedade. Nosso maior problema, uma real tragédia, é a desigualdade social, e a mídia e a Justiça se combinam para que ingênuos sejam levados a crer que o mal maior é a corrupção.

A mídia favorece o PSDB de diferentes formas.

A Veja é descarada, escandalosa, despudorada. É aquela marafona que anda pelas ruas com um cartaz no qual anuncia seu preço e condições.

Não pretende enganar ninguém.

A Globo é a marafona que faz algum esforço para disfarçar a sua atividade, e às vezes chega mesmo a vestir roupa de colegial, mas que mesmo assim deixa claro seu ofício e suas intenções.

Quer enganar, mas não engana ninguém.

A Folha é a marafona que se faz de virtuosa. Chega a dar lições de moral.

É, talvez, o pior tipo. Pois acrescenta hipocrisia ao vício.

Leva na bolsinha nomes como Josias de Sousa, Reinaldo Azevedo, Pondé, Ferreira Gullar, Demétrio Magnolli e editores capazes de dar uma manchete errada com Dirceu e repará-la, aspas, com uma nota de rodapé num espaço que ninguém lê.

De vez em quando, a Folha faz um editorial como este em que critica um antigo descalabro brasileiro – o caráter partidário da Justiça, algo que mina a crença da sociedade nos bons propósitos dos senhores magistrados.

Virou uma coisa tão indecente que já nem causa surpresa descobrir nas redes sociais juízes fazendo, ostensivamente, agressivas campanhas políticas antipetistas.

A Folha, eu dizia, de tempos em tempos, faz um editorial daqueles.

Mas apenas para que possa continuar a usar o marketing que diz que o jornal “não tem rabo preso com ninguém”, e por nenhuma outra razão que mereça algum tipo de elogio.

PAULO NOGUEIRA

Sobre o Autor

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

Categorias:Imprensa em debate

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.250.37.50 - Responder

    E os preços e as condições do PT?

    No prostíbulo do PT, o preço é 3% de tudo que a Petrobrás contrata.

  2. - IP 177.41.86.75 - Responder

    Desempregado e rejeitado pelos grandes veiculos de comunicação,insiste em atacar quem não o quer.Incompetente e invejoso!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

10 − 3 =