Jornalistas foram pagos com “dinheiro sujo” de Riva?

Lista apreendida na casa de Riva pode ser pista para “dinheiro sujo” pago pelo ex-presidente da Assembleia… by Enock Cavalcanti

José Geraldo Riva, nos seus tempos de glória quando, entre outras, tiinha também a grande maioria da mídia e dos jornalistas aos seus pés

José Geraldo Riva, nos seus tempos de glória quando, entre outras, tiinha também a grande maioria da mídia e dos jornalistas aos seus pés

IL GATTOPARDO
O que mudou sem Riva e Silval?

POR ADEMAR ADAMS

Vazou esta semana cópia de um calhamaço de documentos aprendidos pela Polícia Federal (PF) na casa do Riva na operação Ararath. Entre tantas coisas interessantes me chamou atenção as listas de pagamentos que teriam sido feitos pela Assembleia para dezenas e dezenas de veículos da mídia e para jornalistas em Mato Grosso.

Se estes pagamento eram feitos com verba do erário, seria natural que fossem efetuados após procedimentos licitatórios, seguindo a legislação de regência. Por que motivo estavam junto com uma papelada pessoal do deputados Riva, cheio de rabiscos e espaços em branco? Será que foi tudo pago por fora? Será que é grana de propina?

As dúvidas certamente se multiplicam quando se vê que o agente da Policia Federal Luciano Veira Fernandes, que assina o documento, em 11 de novembro de 2014, recomenda que o Ministério Público Estadual, a quem o documento foi repassado pela PF, tome providências a respeito, mas, até aqui, mais de um ano depois, não se sabe de providência nenhuma. Por que será que o MP sob comando do procurador Paulo Prado não procurou esclarecer a origem e o destino dessa dinheirama? Essa grana foi usada por Riva para comprar jornais e jornalistas? Para esclarecer dúvidas e suspeitas, nada melhor do que um inquérito feito com a maior transparência que, pelo que não se sabe, Paulo Prado não fez.

Logo me veio à mente a lista de pagamento feitos pela Assembleia para praticamente os mesmos veículos, que a Ong Moral arrancou na marra, após histórica decisão do Tribunal de Justiça já devidamente escarificado pelo CNJ.

A lista da Ong provou, então, o verdadeiro cala boca que era dado em grana para a maioria da mídia de Mato Grosso. Alguns veículos sem a mínima importância, abocanhavam valores semelhantes à arrecadação de certas igrejas pelo Brasil afora.

A lista da PF, que vou aqui revelando, graças aos espaços generosos que o blogueiro Enock Cavalcanti garante para a informação que não se submete aos controles palacianos, mostra que até o mais insignificante bajulador, comia os farelos que o Baixinho distribuía a mancheias. E também os gatos gordos ganhavam uma bela grana para comer salmão e bacalhau do Mar do Norte.

Entre o valor total e o líquido, uma diferença devia apontar a comissão que alguém levava na jogada. Será que algum veículo vai negar ou confirmar o pagamento?

Para a TVCA, R$ 684 mil. Claudio Moraes, ainda nos tempos de O Documento, teria mamadp 60 mil. Para Ramon Monteagudo, do Midia News, de uma tacada, 100 mil. Para Gazeta, de Dorileo, mais de 127 mil. Romilson Dourado, segundo a lista do Riva, em 2014, valeu 85 mil. E a Isabel Coutinho, do Olhar Direto, 50 mil. E o Andre Michels, do Repórter MT, 25 mil. E o Alexandre Aprá 20 mil. Antonio Carlos, do Centro Oeste Popular, teria faturado bem mais: 187 mil. Correndo por fora, Mauro Camargo teria conseguido seus 12 mil. Pro Circuito, do Pérsio Briante, 28 mil. Weller Marcos, já em baixa, teria pego 4 mil.

A lista completa você confere no destaque.

———

E o Estado de Transformação?

E hoje, no “estado de transformação”, quanto será que a Assembleia paga para estes mesmos veículos? Esse papo de honestidade e transparência da atual Mesa da Casa de Leis, deveria ser acompanhado da devida transparência.

E vejam bem, o orçamento da Assembleia é o mesmo, pois a lei não mudou. Se o Riva et caterva desviava tudo isso que está nos documentos vazados, o que faz o seu Maluf com a grana que sobra? O Ministério Público vai investigar ou vai negociar algumas pizzas para abafar a CPI do festival de férias?

E o governo do Estado, dirigido pelo sacrossanto, honesto e caçador de corruptos Pedrinho Boquirroto, quanto paga para a mídia?

Pelos 500 mil reais que pagou na primeira semana da posse em 2015 para a TV Bujão de Gás fazer o seu evento midiático-esportivo, sinto que nessa área nada mudou. Aliás, o mesmo valor que o Riva pagava.

Será que o jovem promissor, revelação do jornalismo de assessoramento político, secretário de Comunicação Jean Campos, poderia mostrar para os contribuintes o quanto é pago todos mês pelo governo estadual a cada veículo? No início do ano, Jean Campos divulgou uma lista sem detalhar quanto cada veículo ou jornalista abocanhou.

Ou teremos de apelar ao gabinete de Combate à Corrupção, sob o comando da la passionária Vandoni, minha colega em processo no qual Riva nos acusava de atentar contra sua honra por denunciar suas falcatruas?

E, por fim, um bocejo desanimado… Ver Riva, Eder e Silval na cadeia e tudo continuar como antes…Incompetência e desonestidade.

Será que Pedro Taques vai repetir o personagem de Gioseppe de Lampedusa no romance O Leopardo: “Tudo deve mudar para que tudo fique como está.”
Ademar Adams é jornalista em Cuiabá-MT

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.118.172.44 - Responder

    Cadê os comentaristas parasitas que pululam por aqui…? Kkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta para EU    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 + 7 =