(65) 99638-6107

CUIABÁ

Jogo do Poder

INDECENTE – Na convenção, Lúdio diz que vai atacar contradição de adversários. E as contradições da coligação PT-PMDB?

Publicados

Jogo do Poder

A idéia de reconstrução do PT em Cuiabá, dentro de uma linha de independência, que vinha sendo defendida por Lúdio na pré-campanha, se diliui agora que o partido cai no colo do MPDB que implementou as OSS e foi parceiro de Galindo na PrefeituraComo é que fica o candidato do PT, Lúdio Cabral, que tem feito carreira e sustentado discurso, atacando a privatização da Saúde, agora fazendo campanha ao lado das lideranças do governo Silval que entregou hospitais e prontos socorros, pelo Estado afora, ao controle privado das Organizações Sociais? No palanque, Lúdio certamente também vai oferecer remissão ao grupo do PMDB em escândalos como as Cartas Marcadas, os Land Rover e a Conta Única, além de intensa participação no governo de Chico Galindo em Cuiabá. Não se pode esquecer que até secretário de Assistência Social (o ex-vereador Mário Lucio), além de diversos cargos de segundo escalão,  o PMDB nomeou no governo de Galindo, mamando intensamente da teta da Prefeitura, na administração que agora, tentando um daqueles saltos tripos carpados, de que falava Ayres de Brito, diz que vai combater com apoio do Lúdio. Confira o noticiário. (EC)
 
Ludio e Faiad assumem discurso de oposição e querem fim da privatização
O petista lembrou ainda da união histórica do PMDB, PT e PC do B e resumiu: “os vermelhos voltaram”
 
O candidato a prefeito pelo PT, Ludio Cabral, teve o nome confirmado na disputa e ao lado do vice, Francisco Faiad, assumiu um discurso contra a privatização dos serviços públicos, crítico à atual gestão e ainda ressaltou a união com o PMDB e PC do B, que historicamente estão ligados desde a ditadura, resumindo: “Os vermelhos voltaram”.
Ludio garantiu que o primeiro passo será dar fim à privatização da saúde e da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap). A promessa é de municipalizar os serviços públicos.
O advogado Francisco Faiad, definido como vice do petista na manhã de hoje, lembrou que a administração municipal deixou que cerca de R$ 300 milhões voltasse para o governo federal por não ter sido aplicado no saneamento básico.
O petista lembrou que o recurso foi dado ainda na época do presidente Luis Inácio Lula da Silva e deveriam ter sido aplicados por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Porém, com a concessão do serviço de saneamento o recurso foi perdido.
Ludio também mandou um recado aos adversários: “Que se cuidem os outros. Vamos respeitar, mas vamos mostrar todas as contradições deles e dizer a sociedade que nós somos a mudança”.
O deputado federal e presidente regional do PMDB, Carlos Bezerra, compareceu ao evento, que também teve a presença do deputado estadual Alexandre César, da Executiva regional do partido.   RACHA   A convenção do PT não teve a presença dos grupos Articulação de Esquerda e Mensagem, liderados pela senadora Serys Slhessarenko e Jairo Rocha. A vice-presidente da sigla, Enelinda Scala, destacou que sua missão reunificar o partido em torno da candidatura do Ludio. “Em pouco tempo isso irá se resolver”, afirmou Scala.
fonte HIPERNOTICIAS

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mulheres terão voz e vez na OAB.“Não conseguimos ter o número que queríamos de mulheres na chapa, mas vamos garantir essa presença maciça nas comissões”, garante Pio da Silva

Propaganda
1 comentário

1 comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Jogo do Poder

No dia do servidor público, comunidade da UFMT alerta população sobre a PEC 32 e cobra deputados

Publicados

em

Adufmat cobra compromissos dos parlamentares que representam o povo trabalhador de Mato Grosso

Já faz mais de um ano que os servidores públicos federais, estaduais e municipais denunciam a elaboração de mais um forte e perigoso ataque contra os direitos constitucionais. O Governo Federal queria aprovar sua proposta de Reforma Administrativa (PEC 32) em agosto deste ano, mas devido à gravidade da pauta e a pressão de sindicatos e movimentos sociais, tem encontrado dificuldades para conseguir os 308 votos necessários.

Nessa quinta-feira, 28/10, Dia do Servidor Público, a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), representada pelos sindicatos dos docentes, técnicos-administrativos e estudantes – Adufmat-Ssind, Sintuf/MT e DCE, respectivamente -, fez mais uma intervenção: encheu de faixas as grades da universidade para denunciar o ataque e cobrar os parlamentares mato-grossenses.

Há seis semanas servidores de todo o país fazem vigília em Brasília para demonstrar aos parlamentares que a população é contrária à PEC 32, porque sabe que será prejudicada. A Adufmat-Ssind já realizou diversas atividade nesse sentido. Publicou uma cartilha elencando os malefícios da PEC 32 para os servidores e para a sociedade como um todo (clique aqui para acessar), organizou atos e campanhas nas ruas, redes sociais, emissoras de TV e rádio, lives, além de uma série de programas com a personagem Almerinda para dialogar com a população sobre o assunto.

Leia Também:  ELE É CAGUETE, SIM - Maggi confirma Pagot como homem-bomba

A PEC 32 é a terceira proposta de Reforma Administrativa desde a promulgação da Constituição de 1988 e, desta vez, tem como objetivo precarizar os contratos dos trabalhadores, colocando os servidores públicos em condição de maior fragilidade e permitindo todo tipo de barganha com os cargos públicos. Também pretende introduzir o princípio de subsidiariedade, no qual o Estado atua como um igual, e não como um ente superior ao setor privado e conceder superpoderes ao presidente da República, que passaria a poder destruir instituições e autarquias com apenas uma canetada.

A justificativa mentirosa utilizada pelos governantes para aprovar a PEC 32 seria acabar com privilégios de servidores. No entanto, políticos, militares de alta patente e o alto escalão do Poder Judiciário, exatamente aqueles que recebem salários exorbitantes, ficarão de fora da Reforma. Ela tingirá, apenas, os servidores que recebem os menores salários, em sua maioria, os que estão em contato direto com a população usuária dos serviços públicos.

O Governo também mente sobre os reflexos da reforma para os atuais servidores federais, estaduais e municipais. Além de já receberem os piores salários e enfrentarem ambientes de trabalhos precarizados, esses servidores correm o risco de sofrer redução de salários e carga horária de trabalho em até 25%.

Leia Também:  DEPUTADO VALTENIR PEREIRA: Aproximam-se as eleições para prefeito e vereadores, em Cuiabá. Os “pit bulls” de plantão (termo preciso cunhado por um dos pré-candidatos), no afã de defender o “chefe”, têm exacerbado nas falas. Têm atacado de modo rasteiro e inconsequente os pré-candidatos

Para o diretor geral da Adufmat-Ssind, professor Reginaldo Araújo, a data é mais uma grande oportunidade para “chamar a atenção da população sobre os ataques da PEC 32 e cobrar os deputados, lembrando que aqueles que atacam a população dessa forma costumam não ser reeleitos, a exemplo da última Reforma da Previdência”.

Até o momento, os deputados mato-grossenses que se declararam contrários à PEC 32 são: Rosa Neide (PT), Emanuelzinho (PTB), Leonardo (SDD), Carlos Bezerra (MDB) e Juarez Costa (MDB). Os deputados que ainda se mostram favoráveis à proposta são Neri Gueller (PP), Nelson Barbudo (PSL) e José Medeiros (PODE).

Protesto na UFMT contra PEC 32

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA