ELITE PREDADORA: Jandir Milan diz que “só” é beneficiado com uma renúncia fiscal de 85% dos impostos que deveria recolher aos cofres do Estado. E ameaça: “Se retirarem os incentivos, as empresas vão sair daqui”. Pagamos pra ver essa fuga dos empresários!

O empresário Jandir Milan (que circula em torno do grupo político do empresário Mauro Mendes e do senador Pedro Taques, ao mesmo tempo que conchava com o grupo político de Maggi, Silval e Riva), e que controla a Ábaco e a Milan Móveis, entre outros empreeendimentos e é o atual presidente da Fiemt, ouvido pelo jornal Circuito Mato Grosso, e mesmo em outras oportunidades, tem feito esta ameaça: se retirarem os incentivos fiscais (que na verdade traduzem renúncia fiscal, com o governo do Estado deixando de cobrar o que deveria cobrar em impostas de algumas seletos empresários) as empresas vão sair daqui.” Que empresas, cara pálida? Alguém imagina a Ábaco e a Milan Móveis saindo daqui para se instalar em São Paulo, onde o governador Geraldo Alckmin está patrocinando uma Adin justamente para tentar parar com a farra da renúncia fiscal em Mato Grosso? Confira o noticiário. (EC)

Milan diz que “só” tem 85% de incentivo fiscal

DO CIRCUITO MATO GROSSO

Questionado pelo Circuito Mato Grosso sobre os incentivos que recebe como um dos maiores fornecedores do Estado, o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Jandir Milan, disse achar que 85% de renúncia fiscal que recebe é pouco, uma vez que tem que pagar Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), Imposto de Renda (IR) e mais os 15% de ICMS.

Sobre a proposta de renovação dos incentivos fiscais por mais 20 anos, Milan disse que “se retirarem (os incentivos), as empresas vão sair daqui”. Ele também acredita não ser ruim a redução gradativa que o Governo do Estado está elaborando, já que as novas empresas não usufruirão dessa benesse, então a competitividade não se acirraria.

E quanto aos benefícios sociais que suas empresas dariam de retorno em troca do desconto no ICMS, Jandir Milan foi enfático: “Geramos 300 empregos e esses empregos sustentam uma média de mil pessoas consumindo este salário no mercado mato-grossense”.

———-

Geração de emprego não deveria ser único retorno

DO CIRCUITO MATO GROSSO

Empregabilidade é a palavra mais usada pelos interlocutores de Silval Barbosa para justificar a importância dos incentivos fiscais para o Estado. Afirmam que os salários recebidos formam uma cadeia de agregação de valores; assim, se tomar o ponto de vista do Governo de que os salários, por si mesmos, criam uma demanda social exequível e as empresas não precisam ajudar o Estado em nenhum outro setor, todas as empresas que têm empregados e não recebem isenção estariam sendo injustiçadas porque criam, também, essa demanda social.

O empresário e presidente da Fiemt, Jandir Milan (que controla as empresas Ábaco e Milan Móveis) entre os empresários Mauro Mendes (eventualmente exercendo a prefeitura de Cuiabá) e o empresário Silval Barbosa (eventualmente exercendo o governo do Estado de Mato Grosso): quando se tratam dos interesses do empresariado, as divergências entre eles são muito pequenas.

“Geração de emprego nunca deveria ser tida como contrapartida, muito menos como única possível, até para evitar beneficiarem-se duplamente os empresários”, analisa o professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Louremberg Alves.  Na visão do analista político, isso é o mínimo que se pode esperar do Legislativo, responsável que é, sobretudo, pela fiscalização das ações do governo.

Nesse sentido, opina Louremberg, os deputados estaduais teriam de suspender, ainda que temporariamente, o projeto que defende a renovação dos incentivos fiscais. “Exemplo de que, de fato, estão para servir ao Estado e à sociedade, não apenas a um dado segmento da população, mesmo que sob a pressão empresarial ou de quem doa para campanhas eleitorais”.

 

11 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 186.213.230.181 - Responder

    Isso é coisa do baba-ovo do Nadaf. Bunda rachada de primeira linha.

  2. - IP 189.59.43.88 - Responder

    Este senhor e seu irmão conseguiram construir uma fortuna impressionante em MT,prestando serviços com licitações muitas vezes ñ transparentes e com fortes incentivos fiscais concedidos pelas autoridades ,devidamentes aduladas e bajuladas nas campanhas politicas.Ele é o presidente da FIEMT, e usa muito bem sua influência para benefício próprio.

  3. - IP 201.71.177.188 - Responder

    Também duvido que os empresários saiam de Mato Grosso. Até parece que estão de favor aqui por estas bandas. E que comentário vagabundo esse do senhor Jandir Milan, que representa o empresariado através da FIEMT. Esse é o tipo de coisa que carece de uma medida forte do governador Silval Barbosa. Mas, pensando bem, deixa prá lá, todos falam grosso para o nosso governador, que por acaso, nos representa.

  4. - IP 187.123.30.215 - Responder

    Enock, com todo respeito, mas acho que a empresa presta um desserviço ao não se aprofundar a respeito d mecânica dos incentivos fiscais, vocês passam a ideia de que incentivos são concedidos apenas para beneficiar empresários!
    Esquecem porém de falar na recirculação dos recursos da renuncia fiscal, da geração de empregos, etc!
    Para ser isento, citarei um bom exemplo de alguém que eu particularmente detesto, Sr. Mauro Mendes!
    A Bimetal, graças aos incentivos, e cumprindo a um dos requisitos para a concessão dos incentivos, gera mais de 1000 empregos aqui em Mato Grosso, 1000 empregos de pessoas que gastam e consomem aqui, aquecem o comercio e consequentemente acabam gerando a necessidade de mais contratações no comercio!
    Esses 1000 empregados ao gastarem seus salários aqui em MT acabam contribuindo também na arrecadação de ICMS..
    Lógico que a Bimetal não está aqui de favor ou por que o MM é bom moço preocupado com o nosso Estado. Longe disso, a Bimetal está aqui por causa dos incentivos.
    Vejamos, a Bimetal Produz mais de 60% das torres telefônicas e de transmissão produzidas no Brasil, sendo que a maioria dessas são instaladas na região sul e sudete. Por increça que parível, a Bimetal consegue comprar o ferro da china, trazer pelo porto de Santos até MT, beneficiar o material aqui em MT, voltar com o material pra SP e instalar lá com preços mais acessíveis do que as empresas paulistas!
    A magica disso está nos incentivos fiscais, sem isso e mesmo que as cargas tributárias de SP e MT fossem as mesmas, compensaria ao MM levar a Bimetal até SP só pelo fator logístico! aí teríamos os 1000 empregos lá em SP, gastando lá e aquecendo a economia de lá! Aqui teriamos mais 1000 desempregados gerando gastos para o governo com programas sociais.

    • - IP 213.41.243.235 - Responder

      Para responder ao equívoco do Marcelo Dias, agora o João ataca na área da economia, viu, Ademar da Família Adams.

      Aos Joões, não interessa apenas a baixa qualidade literária da poesia capenga do Bispo, arroubos autoritários/sanguinários da esquerdotralha ou o desespero e rancor dos petralhas pela punição dos mensaleiros corruptores compradores (com dinheiro público) de voto de Membros do Congresso Nacional.

      Interessa também, aos Joões, os incentivos fiscais fartamente distribuidos aos empresáriso amigos do Governo de Mato Grosso, não sem o alegre apoio do PT (afinal se ninguem é de ferro, os petistas de MT também não são).

      O caso, meu caro Marcelo Dias, é que os beneffícios concedidos é dinheiro do povo, então, os critérios para a concessão dos incentivos precisam ser objetivos e claros. As empresas beneficiadas e os valores renunciados devem ser conhecidos de todos.

      E tudo deve ser feito através de leis simples que considerem o custo/benefício da renúncia e propicie que todos saibam se o povo está ganhando ou perdendo, porque até agora, a única certeza é que os empresários estão ganhando e muito. E o povo está ganhando o que??

      E o prefeito Mauro Mendes vai promover uma política municipal de incentivos fiscais, ou ele será da turma do “venha a nós e vosso reino nada”.

      Mauro, dê incentivos, promova políticas de renúncias de tributos municipais, seja coerente, caso contrário você ficará conhecido apenas como um sanguessuga do dinheiro do Estado que quando teve a oportrunidade de dar a outros benfícios fiscais, como os que até hoje vem recebendo, preferiu mudar o discurso.

    • - IP 187.123.2.68 - Responder

      A equiparação fiscal proposta pela nova lei extingui as guerras fiscais.
      Outro blefe barato é que o Mauro Mendes, e o Milan diz; se me cortarem o Subsidio, ou incentivos eu vou para outro estado … conversa fiada, ou blefe de amador! na sua área esta tudo dividido por região como prova disso a Cequipel ganhou os movéis no sul a Milan no Oeste, outra no Sudeste, outra no Nordeste. fizeram o conluio e dividiram por região.

  5. - IP 187.123.30.215 - Responder

    O que é pior João?
    O meu suposto equívoco ou o conhecimento parco de alguém que pensa que sabe determinado assunto por que leu duas ou três matérias escritas por um jornalista extremamente mal pago para escrever sobre aquilo que desconhece?

    Você João, alguma vez já se preocupou em estudar a Lei 7.958, ou se contenta apenas com o que lê em nossos sites de notícias (fofocas)?

    Acha que os incentivos são simplesmente o Estado dando dinheiro pra empresários, pois bem, já parou pra analisar o custo Mato Grosso?

    Já parou pra observar no mapa do Brasil qual a posição do nosso Estado e a distância com os grandes centros comerciais e de exportação?

    O que levaria uma empresa a se instalar aqui? o calor de nosso Estado, ou os incentivos fiscais?

    Sem adentrar em empresas maiores como é o caso da sadia em Lucas do Rio Verde, vamos ficar em duas aqui de Cuiabá, a Milan e a Bimetal!

    Tirando os incentivos dela, o que as faria ficar aqui, com um custo maior de frete, de impostos, produção, etc?
    Não seria mais fácil elas se transferirem pra SP?

    Agora imagine essas duas empresas que geram juntas cerca de 1300 empregos diretos saindo daqui de MT! imagine 1300 pessoas desempregadas! imagine o custo social desses desempregos!

    Imagine o governo arcando com 1300 bolsas escola…

    imagine que uma pequena parcela desses desempregados por desespero, acabe se marginalizando!

    Imagine 1300 pessoas com salário médio de R$ 1.500,00 o que daria uma média mensal de R$ 1.950.000,00 ou R$ 25.350.000,00 anuais deixando de gastar em nosso comércio.

    Imagine que esse dinheiro deixando de circular aqui, nosso comércio tem menos movimento e consequentemente gera mais algumas demissões!

    Imagine também que apenas com o gasto desses salários temos um retorno de tributos aos cofres públicos!

    Esse foi apenas um exemplo simples!

    E por falar em Lei 7.958, você lembra das campanhas eleitorais onde o Mauro Mendes hipocritamente fala que paga até 18º salário aos seus empregados?

    Acha que ele faz isso por cer um bom patrão? Não! Ele faz isso por ser exigência da nossa Lei de Incentivos Fiscais!

    • - IP 213.41.243.235 - Responder

      Só me convencerá se o agora prefeito Mauro Mendes implantar uma política municipal de incentivos fiscais igual âquela da qual o empresário Mauro Mendes é um dos principais beneficiários.

      Isso provará que a sua prática corresponde à defesa dos milhões que a Bimetal tem recebido em incenivos fiscais.

      E quanto aos supostos empregos gerados, para seu governo, Sr. Marcelo Dias, há empresas deixando de implantar novos projetos em MT, por falta de mão-de-obra.

      Deixem o povo saber o quanto do seu dinheiro dinheiro está indo para o caixa dessas Empresas.

  6. - IP 187.123.30.215 - Responder

    A falta de mão de obra não ocorre por culpa dos incentivos!

    Ressalte-se que não se trata de falta de mão de obra, e sim, “falta de mão de obra qualificada”

    • - IP 177.41.88.77 - Responder

      trabalho na empresa deste traste ( milan) a muito tempo, vi a maioria aprovando PPR, achando que a empresa era boa. não temos resultados transparentes e a produção só aumenta, 85% na redução de impostos, não há benefícios para os funcionários, como plano de saúde, apenas uma cesta básica…
      Já as licitações, como foi dito ganham sempre mesmo,, Maquinas e bens materiais, estão crescendo em um ritmo alarmante, agora dizer que só o emprego, é o suficiente para a empresa continuar em MT, por mim que vá embora pois há muitos outros lugares para trabalhar, o que mantém os funcionários, são promessas que a empresa está crescendo, e que as coisas vão mudar depois de muito tempo pude ver que realmente mudaram, só que para a empresa…. A qualificação é outro caso, sou qualificado para trabalhar em setor, mais para os grandes cargos são de pessoas de fora de MT…

  7. - IP 179.254.201.0 - Responder

    Simples pessoal, vamos fazer campanha contra as empresas desses safados. Aí quero ver. Eles dependem da população para sobreviver. Quaiz empresas estão fazendo isso. Vamos.pra cima deles.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × três =