JABÁ PARA A IMPRENSA – PPS quer saber quanto Secom de Silval e Carlos Rayel está gastando com divulgacão da Copa

Diogo Sachs, do PPS, cobra de Silval e Rayel transparencia quanto aos gastos generosos que o Governo do Estado vem fazendo com a publicidade em torno da Copa de 2014

O advogado Diogo Sachs, que preside a comissão provisória do PPS de Cuiabá, protocolou na tarde desta quinta-feira, dia 18, junto à Secom (Secretaria de Estado de Comunicação) um requerimento no qual cobra informações dos gastos com publicidade e propagando feitos pela respectiva pasta em nome da Secopa (Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo Fifa 2014) e a extinta Agecopa (Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo)  para fazer a divulgação das obras, como o VLT as trincheiras e outras ações preparatórias para a Copa do Mundo  de 2014.

Ele explica que o objetivo do requerimento é tornar mais transparentes os gastos do Estado com comunicação e divulgação das ações visando a realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014 na capital mato-grossense.  “Qualquer cidadão brasileiro tem o direito e a legitimidade de requisitar informações da administração pública acerca das atividades e procedimentos. Inclusive saber onde foi gasto o dinheiro público”, assinalou o advogado.

Diogo destaca que em novembro de 2009 foi anunciado no Diário Oficial do Estado pela Secom o resultado da concorrência pública para apurar as agências de publicidades que prestariam serviços ao Estado, sendo vencedoras as seguintes empresas, Casa D’Ideias, Mercatto e DMD. De lá para cá, o contrato estimado inicialmente em R$ 39 milhões no período de um ano sofreu diversos aditamentos. Por último, em maio deste ano mais um aditamento no contrato fora feito desta vez sem ao menos dizer ao público qual o referido valor.

“Essas alterações no contrato, bem como o incremento de 25% determinado pela SECOM no importe de R$ 9.750.000,00 (nove milhões e setecentos e cinquenta mil) para atender exclusivamente a AGECOPA em 02 de junho de 2010 sem maiores fundamentações, cuja conta publicitária é hoje gerida pela DMD Associados Assessoria e Propaganda, por conta de termo de adesão 004/2012/SECOPA, são entre outros, os motivos de nossa inquietação e que nos levou a já requerer essas informações, mas que nos foram negadas pelo então presidente da Agecopa, Eder Moraes. Por isso, convicto da boa-fé dos novos gestores da Secom, espero receber as devidas respostas aos pedidos solicitados”, ressalta Diogo.

Diogo Egidio Sachs, advogado e presidente do PPS em Cuiabá

CLIQUE NO DESTAQUE ABAIXO E CONFIRA INTEIRO TEOR DA COBRANÇA DO PPS A SECOM DO GOVERNO SILVAL
PAGINA DO E PPS – Pedido de Informação Secom de Carlos Rayel

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.1.233.248 - Responder

    Essa atitude é importante. A legislação eleitoral veda o incremento dos gastos com propaganda eleitoral nos úlimos três meses do pleito. É para impedir que os Governos, principalmenbte os Estaduais coloquem os trinta e nove milhões de reais de que dispõe para fazer com que a mídia privilegie os candidatos de seu alinhamento. Mas isso só acontece em outros países. Não acontece no Brasil.

  2. - IP 201.67.58.226 - Responder

    Não restam dúvidas: o jabá corre solto, desse jeito até o mais medíocre governo torna-se bem avaliado.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro − três =