ITAMAR PERENHA: Poucos vereadores da Câmara de Cuiabá escapam de degradação moral e obtenção de vantagens pessoais com o cargo. A nova denúncia levada ao Ministério Público contem gravações, circunstâncias e local e revela que o vereador Julio Pinheiro, na condição de presidente da Câmara Municipal na gestão Chico Galindo, teria patrocinado fraude legislativa. Espera-se que, com a fartura de elementos, o Ministério Público consiga prover a Justiça com elementos capazes de promover a penalização de escroques detentores de mandatos e os respectivos corruptores. O “vertedouro” jorrou valores que superam os R$ 500 mil

Júlio Pinheiro, vereador que vem se mantendo na crista da onda há muito tempo. Foi secretário com Wilson Santos, presidente do Legislativo pós-Deucimar com Chico Galindo e, agora, novamente, presidente dos vereadores pós- João Emanuel com Mauro Mendes

Júlio Pinheiro, vereador que vem se mantendo na crista da onda há muito tempo. Foi secretário com Wilson Santos, presidente do Legislativo pós-Deucimar com Chico Galindo e, agora, novamente, presidente dos vereadores pós- João Emanuel com Mauro Mendes

Chapeu CASA DOS HORRORES

Propina, mensalinho e fraude legislativa

Poucos vereadores escapam de degradaçao moral e obtenção de vantagens pessoais com o cargo

 
Itamar Perenha  / Cuiabá-MT
TURMA DO EPA
A denúncia levada ao Ministério Público Estadual, por enquanto, é anônima. O conteúdo do que está sujeito à análise do MPE, no entanto, tem grau de combustão bem superior à “Operação Aprendiz” e a “aulinha de corrupção” vazada para a internet e, agora, base do processo de cassação a que vem sendo submetido o vereador João Emanuel (PSD).
Julio Pinheiro, na condição de presidente da Câmara Municipal na gestão Chico Galindo, teria patrocinado fraude legislativa ao aprovar a toque de caixa e sem os devidos trâmites, créditos suplementares no valor de R$ 346 milhões para atender a mensagem proposta pelo ex-prefeito com dificuldades de fechar “despesas x orçamento”. O atual presidente da Câmara nega qualquer irregularidade e reafirma que a tramitação das mensagens seguiu procedimento regimental.
Claro, também, que o vereador reconduzido à condição de presidente atual do Legislativo por sua experiência, não praticou a fraude legislativa sozinho. Teve colaboração generosa de colegas em fim de mandato e sequiosos por obséquios capazes de engordar as contribuições de campanha.
Chico Galindo, antes de passar o governo para Mauro Mendes teria participado de um "ajuste de contas" que passou desapercebido para todo mundo na época e, agora, pode se transformar em novo caso de política

Chico Galindo (PTB), antes de passar o governo para Mauro Mendes (PSB), teria participado de um “ajuste de contas” que passou desapercebido para todo mundo na época e, agora, pode se transformar em novo caso de polícia.  A tentativa do ex-prefeito de voltar à Assembleia Legislativa como deputado estadual pode ser abalada pelas novas investigações – bem como a sua parceria eleitoral com o ex-procurador da República e atual senador Pedro Taques

A “captação” antecipada de recursos para campanhas de deputado

A denúncia levada ao Ministério Público contem gravações, circunstâncias e local, capazes de prover elementos para uma investigação preliminar e destas a instauração de quantos procedimentos se revelem necessários para esclarecer tanto o propinoduto patrocinado por uma empreiteira que brindava os “vereadores do peito” com valores variando entre R$ 8.000,00 e R$ 15.000,00 numa criteriosa avaliação da importância política de cada um.
O “vertedouro” jorrou valores que superam os R$ 500.000,00 que proporcionaram alguns prazeres e a aquisição de veículos para alguns que deram início à preparação da futura campanha com maior profusão de meios e acesso privilegiado a uma fonte de recursos tão mais generosa quanto se avizinha o pleito eleitoral.
A captação das imagens foi feita com um instrumento comum e disponível para compras na internet: as “canetas-espiãs” capazes de prover som e imagem com definição suficiente e, tudo indica, que foram utilizadas mais de uma caneta para a tarefa.
Tentativas de extorsão e restauração da decência

A moral de rés de chão de boa parte dos vereadores chancela o apelido da Câmara, notabilizada por ser a “Casa dos Horrores” tantos os casos de corrupção e até de tentativas de suborno, estes, agora sendo contabilizados à esbórnia geral.
Espera-se que, com a fartura de elementos, o Ministério Público consiga prover a Justiça com elementos capazes de promover a penalização de escroques detentores de mandatos e os respectivos corruptores para que os negócios públicos sejam conduzidos com o mínimo de decência.
Há franca torcida para que os indícios apontados sejam robustecidos para constituirem provas convincentes e que desemboquem em processos capazes de promover a restauração da moralidade pública, tão seriamente atingida pela falta de escrúpulos de quem faz da vida pública mero instrumento para abreviar a conquista da própria fortuna.
itamar_perenha
Itamar Perenha é jornalista e editor do saite Turma do Epa

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.193.158.230 - Responder

    MPE?!?

  2. - IP 201.67.98.158 - Responder

    Vale lembrarmos que Antonio Cavalcante Filho, o Ceará do MCCE, se engasgou todo sobre essa denúncia e não balbuciou e nem murmurou coisa alguma a respeito. Silêncio absoluto. Ai fico aqui com meus botões, matutando e buscando alguma luz sobre tudo isso e, principalmente, acerca do silêncio dos sempre mais afoitos e falantes, em se tratando de corrupção, malfeitos e vida alheia. E algumas perguntas surgem naturalmente. Será que o silêncio de Ceará tem explicação no fato de Júlio Pinheiro, hoje, ser companheiro de partido de Serys Marli, no PTB da Ivete Vargas? (Não estou tratando do PTB de Jango e Brizola). Afinal, Ceará sempre orbitou em torno de Serys. É… a vida prega cada peça. Nesse labirinto político em que muitos adentram sem muita cautela, existem tantas armadilhas e dificuldades que, muitas vezes, alguns preferem se calar perplexos diante do espetáculo das contradições e inconsistências de suas frágeis movimentações políticas que levam cada vez mais para longe de uma saída honrosa e digna. Vamos aguardar os acontecimentos e as explicações. Mas esse silêncio é ensurdecedor e demonstra o grau de deterioração da política desta Província de Mato Grosso e deste Arraial da Forquilha. Mas mudando de saco prá mala… e o MP? Parece que tem cor, lado e candidato. Será? Perigosíssimo, não?

  3. - IP 186.218.196.169 - Responder

    Ironia é ver o Enock repercutindo artigo de Itamar Perenha que deixou o ‘exército’ para ser soldado do hamster rato chefe professor do aprendiz. E essa denúncia do hamster só veio à tona porque ele sabe bem que pode atingir o prefeito atual e não o parceiro de diplomas que entupiu a assembleia de vermes. MPE não vai entrar na briga interna da máfia…afinal, o soldado por lá é um glutão que vive ocupado com frangos e leitoas assadas…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

17 + catorze =