ISSOÉ NOTÍCIA: Construtora MRV atrasa por três anos a entrega de imóveis em Várzea Grande. Uma das alternativas encontrada pelos moradores para pressionar a MRV é a realização de protestos. No dia 4 de janeiro, mais de 50 moradores protestaram em frente ao condomínio.

As vendas doS imóveis da MRV, ainda na planta, começaram em 2009, em Várzea Grande, e mesmo com todas as fases da obra concluída não houve a entrega do imóvel aos compradores. Moradores devem recorrer à Justiça

As vendas doS imóveis da MRV, ainda na planta, começaram em 2009, em Várzea Grande, e mesmo com todas as fases da obra concluída não houve a entrega do imóvel aos compradores. Moradores devem recorrer à Justiça

MRV atrasa entrega de imóvel em 3 anos; moradores protestam

Condomínio Parque Chapada dos Guimarães estava previsto para 2011 e construtora “não sabe” informar nova data

RAFAEL COSTA
ISSOÉ NOTICIA

MRV atrasa entrega de imóveis em Várzea Grande e gera transtornos aos compradores O sonho da casa própria está se transformando em um verdadeiro pesadelo aos compradores de condomínios do Parque Chapada dos Guimarães, localizado em Várzea Grande no bairro Alameda, nas proximidades da Avenida da FEB.

As obras são de responsabilidade da empresa MRV Engenharia. As vendas do imóvel ainda na planta começaram em 2009 e mesmo com todas as fases da obra concluída não houve a entrega do imóvel aos compradores.

O síndico do condomínio, Cleyton Fragoso, revelou a reportagem do Isso é notícia que adquiriu o imóvel em 2009 com a promessa de que a entrega seria feita em 2011. Prestes a completar 5 anos da compra da casa própria, afirma que está frustrado.

“Eu estava perto de casar e comprei o imóvel. Acreditando que seria entregue em 2011, comprei móveis e agora estou perdendo tudo por falta de uso. Só sobrou o ar-condicionado”, relata.

Fragoso ainda critica a falta de transparência da MRV Engenharia e revela que precisou recorrer até a secretaria de Habitação de Várzea Grande para descobrir o motivo do atraso na entrega do imóvel.

“A empresa não presta explicação alguma. Descobrimos que foi solicitado a liberação do Habite-se em agosto do ano passado. Como foi negado pela Agência de Habitação, não houve nenhum novo pedido para agilizar a liberação do imóvel. Fomos informados ainda que não foi expedida a licença de operação ambiental pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. É uma confusão sem fim”.

O bancário José Mário de Sena afirma que o atraso na entrega do imóvel gerou um total desequilíbrio financeiro em sua vida. “Estamos enfrentando muitos transtornos. Eu era noivo quando comprei este imóvel e agora estou casado. Fiz empréstimo de 10 mil para comprar móveis e agora tudo está se deteriorando. Não suporto mais esse atraso sem justificativa”, disse.

Embora os imóveis já estejam concluídos e não são entregues mesmo com mais de dois anos de atraso, os moradores ainda estão pagando mensalmente a fase de obras, que são juros moratórios pagos a construtora, em valores que ultrapassam R$ 600. “Estamos avaliando a possibilidade de recorrer à Justiça para anular essa cobrança que em determinadas situações pode ser considerada indevida”, ressaltou o síndico Cleiton Fragoso.

No site da MRV, o condomínio Parque Chapada dos Guimarães é apresentado como um empreendimento que oferece a “melhor infraestrutura em apartamentos de 1 dormitório, 2 dormitórios com ou sem suíte e 3 dormitórios com suíte, além de vaga de garagem, opção por varanda e cobertura duplex”.

A empresa ainda se compromete em oferecer aos moradores uma completa área de lazer com playground, espaço fitness, espaço gourmet, pista de cooper, gazebo, salão de festas, salão de jogos, kids place, garage band, piscina e quadra gramada.

Protestos

Uma das alternativas encontrada pelos moradores para pressionar a MRV é a realização de protestos para pressionar a construtora a entregar os imóveis. No dia 4 de janeiro, mais de 50 moradores protestaram em frente ao condomínio.

Outro lado

A MRV Engenharia não soube informar a reportagem quando será entregue as unidades do Condomínio Parque Chapada dos Guimarães. A empresa informou, ainda, que já realizou uma reunião com os representantes dos condomínios para passar informações sobre o empreendimento.

Também informou que já forneceu a Prefeitura de Várzea Grande toda a documentação para a emissão do Habite-se. Trata-se do documento que comprova que um empreendimento ou imóvel foi construído seguindo-se as exigências (legislação local, especialmente o Código de Obras do município) estabelecidas pela prefeitura para a aprovação de projetos.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.216.205.163 - Responder

    tem sido muitas as construtoras denunciadas, só pelo que acompanho na pagina do enock. não já está na hora do ministério publico olhar com atenção para os picaretas que atuam neste setor?

    • - IP 201.2.21.159 - Responder

      Ministério Público tem coisas mais importantes para fiscalizar, nesse Brasil. Como o rebaixamento da “Portuguesa” no campeonato brasileiro de 2013!!!

  2. - IP 189.74.61.168 - Responder

    Ow, na moral, silvia maria: VÁ TRABALHAR! Você comenta tudo quanto é notícia ou reportagem neste blog. Caramba!!! Você é do PT, né? Deus me livre!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

4 + três =