Ibope aponta que Lúdio e Mauro irão para o 2º turno. Isso é bom!

De acordo com a pesquisa do Ibope, Lúdio Cabral e Mauro Mendes devem estar na disputa do segundo turno, em Cuiabá

Meus amigos, meus inimigos: esta eleição em Cuiabá está despertando muita discussão e muita paixão. Isso é bom. É bom para aproximar cada vez mais nosso povo, nossos cidadãos, da participação política. Eu falo em muita discussão mas sei que ainda não é discussão bastante. Ainda tem muita, muita gente que vota sem reflexão e muita gente que ainda vende ou troca seu voto por um favor, por uma amizade, por falta de informação, falta da tal de consciencia ou, simplesmente, por estar cagando e andando para esta tal de coletividade que nós formamos. Por tudo isso é que eu acho que mais 20 dias de debates sobre os destinos de Cuiabá não vão fazer mal a ninguém. Que a política continue em nossa ordem do dia!

Eu bem que gostaria que o Roberto França tivesse tido a coragem de disputar a eleição encabeçando a chapa do DEM. E que o PMDB e o PR lançassem seus candidatos. Isso certamente contribuiria para o fortalecimento dos partidos políticos e para o fortalecimento do próprio processo eleitoral e democrático. Vejam só que a coisa que mais se cobra do Lúdio Cabral é o conchavo mal explicado que transformou o superquestionado Éder Moraes em um dos coordenadores de sua campanha. Tudo isso pode ser melhor debulhado em meio aos debates do segundo turno. Onde a fortuna e os objetivos que marcam a atividade político-partidária de Mauro Mendes (eempresário que depois de atuar no PR ruralista de Mato Grosso conseguiu um partido socialista inteirinho para chamar de seu ) também serão mais e mais investigados, para melhor esclarecimento de todos.

A gente não pode querer que um povo tão maltratado como o cuiabano, em sua maioria levando uma vida de tantos sacrificios, vá se transformar, de uma hora para outra, em um modelo de cidadão, daqueles capazes de se preocupar não só com seu destino mas também com o destino da de toda a cidade, com bem defendeu a ministra Carmen Lúcia em seu pronunciamento deste dia 6 de outubro. O ideário político de cada um é a mais fiel tradição das condições de vida de cada um. O brasileiro ainda é um povo que tem que sobreviver em meio a muita miséria – e isso faz a miséria da nossa política, se é que me explico bem. Então, para o aperfeiçoamento de nossa democracia, dependemos muito da ação de nossas lideranças políticas e sociais. Que debate eleitoral eles serão capazes de nos oferecer neste segundo turno?

Neste sábado, saiu a pesquisa do Ibope indicando a possibilidade do segundo turno. O candidato Lúdio Cabral (PT), na contagem dos votos válidos, tem 48% e Mauro Mendes 40%. Guilherme, Brito e Procurador Mauro somam 12%, o que aponta para o segundo turno. Claro que as urnas é que vão decidir tudo. Uma chocadeira em determinado bairro ou em determinada seção eleitoral pode muito bem dar a vitória em primeiro turno para o Lúdio ou para o Mauro. Tanto o Brito quanto o Procurador Mauro insistem em dizer que essas pesquisas não valem nada e que o eleitor, solitário e consciente diante das teclas da urna eletrônica, é que vai decidir tudo. Na verdade, é assim que a coisa funciona mas não há como negar que a midia e todos os aparelhos ideológicos do Estado acabam condicionando o comportamento de muita gente. Tem gente que só gosta de votar em quem vai vencer. As correntes políticas são muito diluidas e, pelo que se vê, só mesmo o conservadorismo religioso é que dá fortemente as cartas por aqui, no campo ideológico, reprimindo as demandas dos gays, das mulheres e de outros setores subalternizados.

Escrevo, escrevo e o que quero deixar claro é que a hipótese do segundo turno me agrada. Um candidato que vence em segundo turno fica muito mais fortalecido, penso eu. E imagino que os cidadãos também se sentirão mais seguros, contando com um candidato que passou por tão rigorosa peneira.

Mesmo porque ainda há muita coisa a esmiuçar nesta eleição. Será que Mauro e Lúdio se comportarão de forma republicana, fazendo uma campanha de propostas, neste segundo turno, ou veremos surgir um “velhinho” desestabilizador como naquele segundo turno entre o Wilson Santos e o Alexandre César? Argumentos e não baixarias, é o que se pede, mesmo na hora de descontruir a figura do adversário.

O revolucionário Lenin, lá na Russia do início do século 20, um dia escreveu que uma pessoa aprende muito mais em dia de luta política do que em um ano na escola. Muitas idéias do Lenin são questionadas mas acredito que essa máxima sobre o aprendizado que a prática da vida nos oferece, continua válido. Está aí o avanço da democracia, em todas as partes do mundo, para nos provar.

Além do mais, o segundo turno garante uma maior influência do eleitorado e da população na conformação da futura administração municipal. Então, diante da hipótese do segundo turno, não há o que temer e, sim, o que comemorar já que teremos uma chance ampliada de participação eleitoral, de participação política e de participação democrática. Que venha o segundo turno – se as urnas acharem que é o melhor para todos nós. (EC)

—————

OUTRA OPINIÃO

Primeiro ou segundo turno?
MÁRIO MARQUES

Escrevo este artigo no sábado (6), pela manhã, quando as perspectivas são no sentido de que o pleito eleitoral pode ser decidido neste domingo, em primeiro turno, com a vitória do candidato da coligação PMDB-PT, Lúdio Cabral.

Pelo menos é o que aponta o instituto Vox Populi, que em pesquisa divulgada pelo Diário de Cuiabá trouxe Cabral, considerando os votos válidos, a um ponto percentual apenas para sagrar-se prefeito de Cuiabá.

Porém, tendo em vista que pesquisa não é voto contado nas urnas, e também não é incomum apresentarem falhas além daquelas admitidas dentro da margem de erro, a eleição pode desembocar no segundo turno, sendo prorrogada por mais 20 dias para ser definida no cara a cara, entre Lúdio Cabral e Mauro Mendes – fato, porém, que já configura uma conquista importante para o candidato do PT, levando em conta que quando começou a campanha, há três meses, ele estava entre os “lanternas” na disputa pela prefeitura cuiabana. E de lá para cá, veio crescendo na preferência do eleitorado ao ponto de hoje ser o primeiro colocado nas intenções de votos, ultrapassando o então favorito Mauro Mendes.

Para a queda de Mauro, que no decurso da campanha viu baixar seus índices de votação, muitas são as explicações, entre as quais – a que mais ouço – é a de que a postura do candidato não irradiaria simpatia. E que não conseguiria passar a imagem de humilde, até mesmo quando se esforça para sê-lo. Pode até ser que uma parcela, porém pequena dos eleitores, se deixe levar, no momento da escolha em quem vai votar, por questões tão bobas e de cunho meramente pessoal.

Considero que esse percentual de pessoas que vota por “simpatia” não seja tão representativo eleitoralmente e, portanto, capaz de ser o principal responsável para fazer com que o candidato do PSB perdesse a condição de franco favorito na briga pelo comando do Palácio Alencastro.
De alguém que tinha tudo para vencer em primeiro turno e agora corre riscos de ser alijado já neste domingo!

Entendo ser mais racional e objetivo considerar aspectos políticos como os fatores primordiais para explicar o notório declínio eleitoral de Mauro Mendes e a contínua ascensão do seu principal adversário. A exemplo de erros cometidos na condução do processo eleitoral, por iniciativa de Mendes ou de sua assessoria (sei lá?!), entre os quais o de ter se enveredado por ataques sistemáticos contra Lúdio Cabral. E que, na medida em que o candidato do PT ia subindo nas pesquisas, se tornaram tão raivosos quanto burros! Como de tentar chapar o petista de “caloteiro” baseado em denúncia de que este supostamente teria deixado de pagar o IPTU. Grandes parcelas de eleitores entenderam a atitude como um sintoma de desespero daqueles que estavam apelando para a chamada “baixaria”!

Na mesma linha de avaliação política, também é bastante provável que a maioria dos eleitores, a partir de uma reflexão mais profunda sobre a consequência de seu voto, pode ter avaliado que não seja conveniente entregar poder político para quem já detém poder econômico!

Pode ser uma tendência – e se for, estas eleições, mais do que as anteriores, vão se constituir em um divisor de águas em Mato Grosso, forçando um rearranjo nas forças atualmente no poder.

E quem não entender essa lição, pode pagar mais caro em 2014!

 

MÁRIO MARQUES DE ALMEIDA é jornalista. www.paginaunica.com.br

E-mail: [email protected]

———

OUTRA OPINIÃO

Ludio na frente, mas com empate técnico segundo Ibope
Por Antero Paes de Barros

A pesquisa Ibope/TVCA divulgada pela Rede Globo mostra o candidato do PT, Lúdio Cabral, com 48% dos votos válidos, contra 40% atribuídos ao empresário Mauro Mendes. Guilherme Maluf teve 5% dos votos válidos, o procurador Mauro, com 4% e Carlos Brito com 3%. O candidato Adolfo Grassi não pontuou.

Pela análise do Ibope, Lúdio estaria a dois pontos e mais um voto para conquistar a vitória no primeiro turno.

Entretanto, como a margem de erro anunciada pelo Ibope é de mais ou menos quatro por cento, no limite, rigorosamente no limite, os candidatos Ludio e Mauro podem estar empatados, pois tanto o Lúdio pode ter 44% (neste caso quatro a menos), como o Mauro pode ter os mesmos 44% (neste caso quatro a mais).

Os números do Ibope na pesquisa estimulada:

Lúdio 43%

Mauro Mendes 36%

Guilherme Maluf 4%

Carlos Brito 3%

Procurador Mauro 3%

Adolfo Grassi – 0%.

A coleta de dados da pesquisa Ibope foi realizada entre os dias 4 e 6 de outubro.

Comentário meu: A lógica apresentada pelos números do Ibope é que a eleição seja decidida apenas no segundo turno. Embora tenha uma margem de indecisos, se projetar sobre eles, o mesmo percentual dos que já se definiram por Lúdio Cabral, ainda assim, não se chega a um número que permita a decisão no primeiro turno.

Rigorosamente a cidade está dividida. Lúdio conquistou os eleitores pela televisão. Mauro Mendes mantêm os índices das eleições passadas, mas não acrescentou novos eleitores.

A possibilidade de terminar a eleição no primeiro turno só existe por causa de dois fiascos eleitorais voluntários: Guilherme Maluf e Carlos Brito. Ambos tinham conteúdo para oferecer a Cuiabá uma melhor campanha, mas tropeçaram em seus próprios erros, muitos dos quais, cometidos voluntariamente.

Bom domingo e acompanhem a apuração pela CBN.

FONTE PNB ON LINE

 

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.140.16.249 - Responder

    Coitado do povo cuiabano que terá que decidir entre esses dois políticos tão jovens e já cercados do que há de pior na política brasileira. No segundo turno vou anular meu voto, Quero ficar longe de porcarias.

  2. - IP 177.4.181.65 - Responder

    Disse tudo João

  3. - IP 177.64.242.234 - Responder

    ONTEM EU ASSISTI ESTARRECIDA UM GOLPE JAMAIS VISTO EM CUIABA MAURO MENDES E SUA CORJA MAIS UMA VEZ ACHAM QUE PODEM COMPRAR TUDO.NA MINHA OPINIAO.LUDIO É PREFEITO DE CUIABA DESDE ONTEM.O GOLPE APARENTEMENTE DEU CERTO,MAS TEM QUE SER INVESTGADO PELA POLICIA FEDERAL.PORQUE QUE TCVA JA SABIA QUE ISSO IRIA ACONTECER E NAO TEVE BOCA URNA AO VIVO?´PORQUE A TVCA SABIA E O CANDIDATO NAO SABIA ?PORQUE NAO COMUNICARAM A POPULAÇAO?EU QUERO SABER A BOCA DE URNA NO PRIMEIRO MINUTO DAS ABERTURAS DAS URNAS.SO FORAM PARAR O GOLPE QUANDO 26% DAS URNAS JA ESTAVAM ABERTAS?AI VEM ANTONIO ROSA PACENAS QUERENDO JUSTIFICAR O INJUSTIFICAVEL.O TRE-MT TEM QUE TER UMA INVESTIGAÇAO MINUCIOSA.PUNIR OS VERDADEIROS TRAIDORES DO POVO PORQUE ROUBARAM A COISA MAIS IMPORTANTE DO POVO DE CUIABA O VOTO.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × três =