Greve na educação em cinco municipios de MT deixa 36 mil sem aulas

Aproximadamente 36 mil estudantes estão sem aulas a partir desta segunda-feira, 13,  por tempo indeterminado devido a  greve dos servidores em cinco municípios. A paralisação atinge Várzea Grande , na região metropolitana de Cuiabá; Colniza, no extremo Norte do Estado; Jangada, região da Baixada Cuiabana,  Sinop, no Norte; e Curvelândia, no Oeste do Estado.

 

Entre as principais reivindicações está a adequação dos salários e a falta de estrutura básica nas unidades. Desde a paralisação nacional em abril, os servidores municipais começaram a se organizar e enviar suas pautas de reivindicações para as prefeituras, mas não houve consenso entre servidores e gestores.

 

A paralisação dos servidores de Várzea Grande tem início com um ato público em frente à Secretaria Municipal de Educação às 8 horas desta segunda-feira e deixa sem aula 22 mil alunos. Para o presidente do Sintep no município, os servidores são tratados com desrespeito, pois desde a entrega da pauta de reivindicações em janeiro não chamou a categoria para uma audiência.

 

Em Sinop, a greve começou no último dia 22 de abril e nas 3 semanas de paralisação 1,4 mil servidores estão sem trabalhar nas 33 escolas do município. As creches estão funcionando com estagiários e bolsistas que não são capacitados para assumir a responsabilidade das salas de educação infantil.

 

Na cidade de  Curvelândia a greve paralisou uma 
creche, duas escolas e duas extensões rurais, onde 700 alunos estão sem aulas. Na quinta-feira (9) os servidores realizaram um ato em frente à prefeitura e durante a tarde foram recebidos pelo prefeito Mauri Souza da Silva em uma audiência, porém, não houve acordo e a paralisação que teve início no dia 2 de maio continua.

 

Sem trabalhar desde 22 de abril, os servidores da educação do município de Colniza afirmam que o prazo proposto de 120 dias para o início do pagamento do reajuste salarial não atende às necessidades da categoria. Eles criticam ainda as péssimas condições de trabalho.

 

Em Jangada as três escolas estão em greve, o que afeta 460 alunos e cerca de 45 servidores. A última proposta enviada pela Prefeitura foi rejeitada em assembleia na quinta-feira, 9, e o movimento vai para a terceira semana de paralisação.

 

fonte 24 horas news

Categorias:Plantão

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro + 8 =