GRANDES, COMO ERAM GRANDES: Em um mesmo domingo, duas tragédias que abalam o cinema e o mundo da cultura: o assassinato do cineasta Eduardo Coutinho, no Rio e a possível overdose do ator Philip Seymour Hoffman, em Nova York

A morte nos dói muito mais quando nos vem sob a forma de tragédia. Neste domingo, 3 de fevereiro, duas tragédias abalam o mundo do cinema e da cultura, com os trágicos falecimentos de Eduardo Coutinho, cineasta brasileiro, e Philip Seymour Hoffman, ator norte-americano. Dois artistas de ponta, de grande destaque, que conquistaram prêmios e o respeito das plateias dada a habilidade com que desenvolviam sua arte. Duas mortes, duas grandes tragédias. (EC)

A morte nos dói muito mais quando nos vem sob a forma de tragédia. Neste domingo, 3 de fevereiro, duas tragédias abalam o mundo do cinema e da cultura, com os trágicos falecimentos de Eduardo Coutinho, cineasta brasileiro, e Philip Seymour Hoffman, ator norte-americano. Dois artistas de ponta, de grande destaque, que conquistaram prêmios e o respeito das plateias dada a habilidade com que desenvolviam sua arte. Duas mortes, duas grandes tragédias. (EC)

Cineasta Eduardo Coutinho é assassinado no Rio

  • Divisão de Homicídios confirma que filho do diretor foi responsável pela morte
  • LUIZ ERNESTO MAGALHÃES

O GLOBO

Eduardo Coutinho em foto do Festival do Rio de 2011; cineasta foi encontrado morto em casa neste domingo Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo
Eduardo Coutinho em foto do Festival do Rio de 2011; cineasta foi encontrado morto em casa neste domingo Domingos Peixoto / Agência O Globo

RIO – O cineasta Eduardo Coutinho, de 80 anos, foi morto neste domingo, em seu apartamento no bairro da Lagoa, Zona Sul do Rio. O delegado Rivaldo Barbosa, titular da Divisão de Homicídios, confirmou que um dos filhos de Eduardo, Daniel Coutinho, de 41 anos, foi o responsável pelo crime. Daniel, que sofre de esquizofrenia, tentou também matar a mãe e se matar. Ferido, eEle está sob custódia numa das enfermarias do Hospital Miguel Couto e será encaminhado para a prisão quando se recuperar.

O velório de Eduardo Coutinho será realizado na Capela 3 do Cemitério São João Batista, em Botafogo, a partir das 10h. O enterro está marcado para 16h.

Detalhes da tragédia

Quando os bombeiros chegaram, por volta das 9h, o cineasta já estava morto. Daniel foi encontrado ferido com duas facadas no abdômen. A mulher do cineasta e mãe de Daniel, Maria das Dores de Oliveira Coutinho, também estava ferida – ela levou duas facadas na altura dos seios e três no abdômen, sendo que uma delas provocou lesões no figado.

Segundo informações da Secretaria municipal de Saúde (SMS), mãe e filho foram operados no Hospital Miguel Couto (Gávea), onde permanecem internados. O quadro clínico de Daniel era considerado estável, mas Maria das Dores está em estado grave, de acordo com as informações divulgadas até o começo da noite.

Na coletiva de imprensa realizada às 19h deste domingo, o delegado Rivaldo Barbosa afirmou que Maria das Dores só conseguiu se salvar porque se desvencilhou do filho e correu para o banheiro, onde se trancou. Segundo os vizinhos, Eduardo Coutinho chegou a interfonar para o porteiro para pedir ajuda, mas Daniel atendeu a porta e disse que estava tudo bem. Depois de cometer o assassinato, ele teria batido na porta de um vizinho e teria dito que “libertou o pai”.

Uma ex-vizinha de Eduardo Coutinho, que pediu para não ser identificada, descreveu Daniel Coutinho como uma pessoa muito fechada:

— A gente suspeitava que ele tivesse algum problema mental. Ele entrava e saia sem cumprimentar ninguém. E volta e meia soltava gritos no apartamento.

Uma vida dedicada aos documentários

Nascido em São Paulo em 11 de maio de 1933, Coutinho era considerado um dos maiores documentaristas do Brasil. Entre seus filmes de maior sucesso estão “Cabra Marcado para Morrer”, “Edifício Master”, “Jogo de Cena” e “Babilônia 2000”. Em 2007, o cineasta foi premiado com o Kikito de Cristal, no Festival de Gramado, pelo conjunto de sua obra.

Seu amor pelo cinema começou nos anos 1950, quando se começou a se interessar por roteiro. Após abandonar a faculdade de Direito, ele foi para Paris estudar Cinema. Voltou ao Brasil em 1960. Dois anos depois, em viagem com caravana da UNE, conhece a viúva do líder camponês João Pedro Teixeira. Dois anos depois, filmou “Cabra Marcado para Morrer”, sobre a vida de Teixeira, que acaba sendo interrompido pelo Golpe Militar. O projeto só seria retomado em 1981, quando ele reencontra a família de Teixeira, volta a filmá-los e lança, em 1984, o filme completo.

Em 1971, ele acabou se afastando do cinema para trabalhar como redator e crítico no “Jornal do Brasil”. Cinco anos depois, assinou o roteiro de “Dona Flor e seus dois maridos”, recorde de bilheteria nacional na época. A partir daí, nunca mais abandona o trabalho com a produção audiovisual. Em 1975 foi trabalhar na TV Globo, em uma equipe que marcou o programa “Globo Repórter”. Lá, abriu caminho para o estilo de documentário que viria marcar sua carreira, sempre preocupado em mostrar as peculiaridades e as complexidades do ser humano.

Já premiado por “Santo Forte” e “Babilônia 2000″, dirige “Edifício Master” e “Peões”. “Jogo de Cena”, de 2007, foi descrito pelo crítico JC Bernardet como “um movimento sísmico de 7 graus no cinema documental”.

Em junho passado, Coutinho foi convidado, junto com José Padilha, a integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pela premiação do Oscar.

Veja os filmes de Eduardo Coutinho, por ordem cronológica:

– “O Pacto” (Episódio do longa “ABC do Amor”) (1966)

– “O Homem que comprou o mundo” (1968)

– “Faustão” (1971)

– “Cabra marcado para morrer” (1985)

– “Santa Marta – Duas Semanas no Morro” (1987)

– “Volta Redonda – Memorial da Greve” (1989)

– “O Fio da Memória” (1991)

– “A Lei e a Vida” (1992)

– “Boca de Lixo” (1993)

– “Os Romeiros do Padre Cícero” (1994)

– “Seis Histórias” (1995)

– “Mulheres no Front” (1996)

– “Santo Forte” (1999)

– “Babilônia 2000” (2000)

– “Porrada” (2000)

– “Edifício Master” (2002)

– “Peões” (2004)

– “O Fim e o Princípio” (2005)

– “Jogo de Cena” (2007)

– “Moscou” (2009)

– “Um Dia na Vida” (2010)

– “As Canções” (2011)

—————

ANÁLISE

Eduardo Coutinho, o cineasta do humano

Eduardo Coutinho

A tragédia que se abateu hoje sobre o cineasta Eduardo Coutinho foi uma das notícias mais chocantes que o cinema brasileiro recebeu nos últimos muitos anos. Primeiro porque, confirmada a versão de que o diretor, um dos maiores da história do país, sem medo de cair no exagero, teria sido morto pelo próprio filho, já carrega desastre suficiente. Segundo porque Coutinho reencontrou sua melhor fase de produção nas últimas duas décadas, entregando filmes cada vez mais inspiradores, mesmo chegando aos 81 anos. Terceiro porque esta tragédia familiar dialoga com tantas tragédias familiares registradas pelo diretor ao longo de seus filmes. A tragédia dos personagens de Cabra Marcado para Morrer, dos moradores do Edifício Master ou do morro de Babilônia 2000, sem falar nas tragédias das mulheres, verdadeiras ou não, da obra-prima do cineasta,Jogo de Cena.

Difícil falar sobre Coutinho sem se emocionar com seu olhar para o homem. Sua maneira de intervir na entrevista, de interagir com o entrevistado que sempre se sentia em frente a um velho amigo, era seu maior diferencial. O cineasta se aproxima de cada pessoa com um olhar crítico, mas apaixonado. Ele tinha talento para humanizar aqueles que outros cineastas tratariam como vilões, como o síndico do Edifício Master, aquele que começava “com Piaget, depois usava Pinochet”. Começou no cinema, no início dos anos 60, chegou a dirigir longas de ficção, mas teve que interromper um de seus maiores filmes, Cabra Marcado para Morrer, que retomou apenas 20 anos mais tarde, uma década depois de escrever seu nome na história do telejornalismo brasileiro no Globo Repórter. No programa, (re)descobriu seu talento para o documentário. E voltou a se dedicar só ao cinema.

Seu registro do humano alcançou seu ápice em 2007, quando lançou Jogo de Cena. No filme, Coutinho subverte a própria lógica de seu cinema, de deixar os personagens registrarem sua história em seus depoimentos, para lançar um ensaio sobre a representação. Coutinho estabeleceu um paralelo impressionante entre as mulheres de verdade e as atrizes de verdade. Quando Andréa Beltrão não segura as lágrimas ao ‘interpretar’ uma mulher que não chora, é praticamente impossível não se comover. Mas, além da comparação, há a investigação. As atrizes são entrevistadas em seguida sobre o processo de ‘tradução’ das personagens. E quando você acha que não poderia haver mais, Coutinho nos aplica um golpe final: a mais triste das histórias se transforma em interpretação e uma personagem real surge para provar que as aparências enganam mesmo. Gostaríamos nós de que a tragédia de hoje não passasse de um ficção, que os protagonistas mudassem, que a vida real fosse tão demasiadamente humana quanto nos filmes de Eduardo Coutinho.

 

 

——————

Ator Philip Seymour Hoffman é encontrado morto em seu apartamento

Um amigo de Hoffman, preocupado por não conseguir falar com ele, resolveu ir ao apartamento, onde o encontrou sem vida no banheiro, e logo em seguida ligou para a polícia.

Hoffman venceu o Oscar de melhor ator pelo filme “Capote” (2005). Foi também indicado, como coadjuvante, pelos longas “Jogos do Poder” (2007), “Dúvida” (2008) e “O Mestre” (2012). Atualmente, ele participava das filmagens de “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2”, com previsão de lançamento no próximo ano.

Um dos principais atores de sua geração, Hoffman nasceu em Fairport, no Estado de Nova York, e ganhou fama no final dos anos 1990, em filmes independentes como “Boogie Nights: Prazer Sem Limites” (1997), “Felicidade” (1998) e “Magnólia” (1999).

Boneau/Bryan-Brown/Associated Press
Philip Seymour Hoffman em cena da peça "A Morte do Caixeiro Viajante", em 2012
Philip Seymour Hoffman em cena da peça “A Morte do Caixeiro Viajante”, em 2012

O Departamento de Polícia de Nova York está investigando o caso. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Os relatórios iniciais apontam que o ator, que no passado reconheceu problemas com drogas, pode ter morrido de overdose. No ano passado, o ator chegou a dizer que teve uma recaída após passar 23 anos “limpo”.

Segundo o “New York Times”, foi encontrada uma seringa no braço de ator e um envelope contendo uma substância que foi apontada como heroína.

Em nota, a família do ator afirma que está “devastada” pela perda de Hoffman e agradece o apoio que recebe de todos. “Esta é uma perda repentina e trágica e nós pedimos respeito a nossa privacidade nesse tempo de sofrimento. Por favor, mantenham Phil em seus pensamentos e preces”, diz o comunicado.

Ele era casado com a estilista Mimi O’Donnell e deixa três filhos: Cooper, de dez anos; Tallulah, de seis; e Willa, de quatro.

PRINCIPAIS FILMES

– “Perfume de Mulher” (1992)
– “Twister” (1996)
– “Boogie Nights: Prazer Sem Limites” (1997)
– “O Grande Lebowski” (1998)
– “Felicidade” (1998)
– “Patch Adams – O Amor é Contagioso” (1998)
– “Ninguém é Perfeito” (1999)
– “Magnólia” (1999)
– “O Talentoso Ripley” (1999)
– “Quase Famosos” (2000)
– “Embriagado de Amor” (2002)
– “Dragão Vermelho” (2002)
– “A Última Noite” (2002)
– “Cold Mountain” (2003)
– “Capote” (2005)
– “Missão Impossível 3″(2006)
– “A Família Savage” (2007)
– “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto” (2007)
– “Jogos do Poder” (2007)
– “Dúvida” (2008)
– “Mary e Max: Uma Amizade Diferente” (2009)
– “Tudo pelo Poder” (2011)
– “O Homem Que Mudou o Jogo” (2011)
– “O Mestre” (2012)
– “Jogos Vorazes: Em Chamas” (2013)
– “O Homem Mais Procurado” (2014)
– “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1” (2014, em pós-produção)
– “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2” (2015, em produção)

———

Veja repercussão da morte de Philip Seymour Hoffman

Ator foi encontrado morto pela polícia de Nova York neste domingo.
Ele tinha 46 anos e lutava contra o vício em drogas.

Do G1, em São Paulo

Philip Seymour Hoffman é eleito o melhor ator do Festival de Cinema de Veneza em 2012 por sua atuação em "O Mestre". (Foto: Tony Gentile/France Presse)
Philip Seymour Hoffman foi encontrado morto neste
domingo (Foto: Tony Gentile/France Presse)

Artistas da indústria do cinema e da música se manifestaram na tarde deste domingo (2) após a notícia da morte do ator Philip Seymour Hoffman, para prestar homenagens ao ator.

Segundo informações da revista “Variety”, o corpo de Hoffman, que ganhou o Oscar de melhor ator por “Capote”, foi encontrado pela polícia em Nova York neste domingo. Ele tinha 46 anos e lutava contra o vício em drogas.

Veja mensagens publicadas por artistas no Twitter:

Aaron Paul, ator do seriado “Breaking Bad”:
“Perdemos um dos grandes hoje. Philip Seymour Hoffman, descanse em paz meu amigo. Você fará falta para sempre.”

Anna Kendrick, atriz do filme “Amor sem Escalas”:
“Philip Seymour Hoffman. [Estou] insuportavelmente, chocantemente, profundamente triste. As palavras falham em descrever sua vida e nossa perda.”

Baron Davis, ex-jogador de basquete do New York Nicks:
“Cara… Philip Seymour Hoffman está morto. Um dos meus atores favoritos. Orações a sua família.”

Cher, atriz:
“Devastada com a morte do ator Philip Seymour Hoffman. Ele era o ator dos atores!”

saiba mais

Courtney Love Cobain, cantora:
“Palavras parecem inadequadas para expressar a tristeza que eu estou sentindo pela perda de um gênio da atuação e um amigo. Fique em paz Philip Seymour Hoffman”.

Elijah Wood, ator:
“Com o coração partido e chocado. Uma perda de verdade. Descanse em paz, Philip Seymour Hoffman.”

Ellen DeGeneres, apresentadora:
“Philip Seymour Hoffman era um brilhante e talentoso homem. As notícias dessa manhã são chocantes e tristes. Meus sentimentos àqueles que o amavam”

Philip Seymour Hoffman Cronologia VALE ESTE (Foto: G1)

Ellie Goulding, cantora:
“Philip Seymour Hoffman, um dos atores mais magníficos do mundo, morreu? Não posso acreditar.”

Jim Carey, ator:
“Super o que? #philipseymourhoffman”

John Legend, cantor:
“Phillip Seymour Hoffman foi um dos maiores atores dos nossos tempos. É realmente uma notícia terrível a de hoje”.

Jon Favreu, ator e diretor:
“RIP Philip Seymour Hoffman. Tão triste. Um grande talento.”

Justin Timberlake, cantor:
“Acabo de saber sobre o Phillip Seymour Hoffman. Devastador. Que ator incrivelmente talentoso. Que descanse em paz.”

Kevin Bacon, ator:
“Oh que notícia terrível. Que talento. Que pena”

Kevin McHale, ator do seriado “Glee”:
“Em choque, não posso acreditar. Philip Seymour Hoffman foi um dos melhores de todos os tempos.

Lena Dunham, atriz e produtora de “Girls”:
“Um homem bonito, bonito. Nós perdemos tanta alegria por algo tão pouco alegre. Descanse em paz Philip Seymour Hoffman.”

Logan Lerman, ator do filme “As vantagens de ser invisível”:
“Descanse em paz Philip Seymour Hoffman. Um dos maiores e mais inspiradores atores de todos os tempos.”

Mia Farrow, atriz:
“Descanse em paz Philip Seymour Hoffman. Nós que nos maravilhamos com cada uma de suas perfomances estamos gratos e muito, muito tristes.”

Paris Hilton, atriz:
“Tão triste ao ouvir a notícia horrível sobre Philip Seymour Hoffman. Ele foi um dos maiores atores de nosso tempo. Minhas orações vão para sua família.”

Phillip Phillips, cantor:
“Nossa. Descanse em paz Philip Seymour Hoffman. Ator incrível, deixará saudades.”

Russell Brand, ator:
“Amor e orações à família de Philip Seymour Hoffman. Vício mata, eu espero que todos que passam por isso tenham acesso à recuperação”.

Russel Crowe, ator:
“Eu acabei de ouvir a respeito sobre Philip Seymour Hoffman, um cavalheiro natural. Fique em paz. Amor e respeito.”

Steve Martin, ator:
“Chocado por ouvir sobre a morte de Philip Seymour Hoffman. Se você perdeu ele interpretando Willy Loman, então você perdeu Willy Loman”

Susan Sarandon, atriz:
“Phillip Seymour Hoffman era um gênio, corajoso e doce. Não posso acreditar que ele se foi. Grande perda. Meus mais profundos sentimentos para a mulher e filhos”

Vanessa Hudgens, atriz:
“Uou. Philip Seymour Hoffman, meu coração está machucado por tê-lo perdido. Que homem de grande talento, um dos poucos. Ele vai fazer muita falta. RIP.”

Whoopi Goldberg, atriz:
“WTF!! Philip Seymour Hoffman foi encontrado morto em seu apartamento, um grande ator de verdade. Espero que alguém grite que isso é mentira. R.I.P. PSH está morto. Condolências à sua família. Droga.”

 

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

oito + vinte =