GRANDE, COMO ERA GRANDE: Há 131 anos, morria Charles Darwin, pai da teoria da evolução. Ele mostrou que os seres vivos não foram criados no Jardim do Éden – apresentado na Bíblia dos cristãos – mas descendem de uma simples e primitiva forma de vida – a chamada “ameba original”

 

Em seu livro de 1859, "A Origem das Espécies", cHARLES DARWIN introduziu a ideia de evolução a partir de um ancestral comum, por meio de seleção natural. Esta se tornou a explicação científica dominante para a diversidade de espécies na natureza

Dizem as biografias que Charles Darwin tinha um estranho hobby: minhocas. Ele observou esses anelídeos durante 44 anos, o que resultou no último livro do naturalista: A formação da camada vegetal, através da ação das minhocas, com observações de seus hábitos. Por foi esse estranho inglês que em uma viagem de navio formulou uma teoria, hoje apoiada em fatos, e que mudou a forma como vemos a vida, que a perdeu há 131 anos.

Charles Robert Darwin nasceu em 1809. O quinto de seis filhos, era neto de Erasmus Darwin, um dos principais intelectuais ingleses do século 18, médico, botânico e famoso poeta. A mãe, Susannah Wedgwood, morreu quando ele tinha apenas 8 anos.

Darwin foi mandado para estudar medicina em Edimburgo, mas não gostava da matéria – ele mal podia ver sangue. Seu pai, Robert Waring Darwin, sugeriu então a igreja como uma alternativa respeitável para a vida do filho. O filho não desgostou da ideia, já que a vida com padre poderia lhe render muito tempo livre para estudar a história natural, seu verdadeiro interesse. Ele foi, então, para o Christ’s College, em Cambridge.

Apesar de não ser um estudante modelo, Darwin foi um naturalista amador apaixonado. Coletava insetos e colaborava com seus espécimes para pesquisadores da época. Formou em 1831 e, logo depois, um professor sugeriu o nome do aluno para acompanhar o comandante Robert FitzRoy em uma expedição no HMS Beagle.

A viagem durou cinco anos e resultou em um gigantesco diário de viagem. Durante esse tempo, Darwin estudou geologia e zoologia, principalmente da América do Sul. As notas serviram depois para ele escrever um de seus famosos livros, conhecido hoje como A viagem do Beagle.

Darwin ainda coletou diversos organismos – o que resultou na série de cinco volumes A zoologia da viagem do HMS Beagle – e fósseis. Esses estudos suscitaram diversas dúvidas no cientista: de onde vinham as novas espécies? Por que existiam tantas diferentes espécies no mundo? Por que alguns animais eram tão parecidos, e outros tão diferentes? Se as espécies foram criadas para se adequar ao seu ambiente, por que elas são tão diferentes em selvas da Ásia, África e América do Sul, apesar de o ambiente ser parecido?

Teoria da evolução das espécies

De volta ao Reino Unido, ele descobriu que diversos dos espécimes registrados eram únicos, só existiam na região onde ele os viu. Darwin começou então a tentar entender como novas espécies surgiam. Ele estudou, por exemplo, produtores de animais e plantas, para saber como eles conseguiam novas raças e variações. Ele então chegou à conclusão de que a vida era infinitamente variável. Em uma época em que se acreditava que os animais foram criados como eles eram vistos então, Darwin falou em evolução.

A ideia, na verdade, não era nova. Seu avô e o francês Jean-Baptiste Lamarck já tinham pensado em termos de evolução. Contudo, ao contrário destes, ele não pensava a vida com linhas de evolução, mas como uma árvore, com uma origem comum. As similaridades entre os seres vivos vinham das junções dos galhos dessa árvore.

Inspirado pelas ideias de Thomas Malthus, de que o crescimento da população poderia de alguma forma acabar com a produção de comida. Darwin notou que isso se aplicava a todas as espécies e que o equilíbrio da natureza só era possível se a grande maioria dos seres não vivesse tempo suficiente para se reproduzir.

O naturalista notou ainda que a chave para a variação das espécies estava nas diferenças entre aqueles que conseguiam e aqueles que não conseguiam se reproduzir – o que ele chamou de seleção natural. Na dura luta pela sobrevivência, podem ocorrer pequenas variações entre os animais e, se estas variações forem de ajuda, então o animal terá maior chance de sobreviver e se reproduzir. Suas características vão persistir e se multiplicar, ao contrário dos que não sobreviveram o suficiente.

Quando se preparava para publicar seu trabalho, Darwin se espantou com uma carta do naturalista Alfred Russel Wallace. A similaridade entre os dois trabalhos era imensa. Os amigos sugeriram a Darwin que publicasse um resumo de sua teoria, o que resultou em um dos mais importantes livros da humanidade Sobre a Origem das Espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida, que acabou abreviado para A Origem das Espécies.

Darwin levou algum tempo, mas conseguiu convencer a maior parte da comunidade científica da “descendência com modificação”, ou simplesmente evolução.

John van Wyhe, pesquisador da Universidade Charles Darwin e do Museu de História Natural e professor da Universidade Nacional de Singapura, diz que um dos mitos sobre o naturalista é de que ele teria se arrependido do evolucionismo no leito de morte. “Estas histórias são geralmente contadas por aqueles que gostariam que elas fossem verdades, mas não são”, diz o pesquisador em uma biografia do cientista.

Darwin morreu em 1882 e não se tem certeza da doença que o acometeu. Ele foi enterrado na abadia de Westminster, um privilégio para poucos.

 

fonte JORNAL DO BRASIL

—————-

Teorias de Charles Darwin   

Charles Darwin um dos expoentes máximos do Naturalismo, defendia que tudo o que existe é fruto de uma evolução a partir de um ancestral comum, que denominou de LUCA (Last Universal Common Ancestor), por meio de um processo de seleção natural e sexual. Idéias que ainda hoje sustentam e fundam a investigação e o conhecimento actual da Biologia.

 

Quais são as cinco teorias que sustentam Charles Darwin até os dias atuais?

Charles Darwin – EVOLUÇÃO – O mundo vivo não foi criado nem se recicla perpetuamente. Os organismos estão em um lento, mas constante processo de mutação.

 

Charles Darwin – O ANCESTRAL COMUM – Todo grupo de organismos descende de um ancestral comum. Os homens e os macacos atuais, por exemplo, divergiram de um mesmo ancestral, há cerca de 4 milhões de anos. Todos os seres vivos, em última instância, descendem de uma simples e primitiva forma de vida – a chamada “ameba original”.

 

Charles Darwin – MULTIPLICAÇÃO DAS ESPÉCIES – As espécies vivas tendem a se diferenciar com a passagem das eras. Darwin desenhou a primeira “árvore da vida” em que espécies “tronco” vão dando origem a outras que saem do veio principal como “galhos”.

 

Charles Darwin – GRADUALISMO – As populações se diferenciam gradualmente, de geração em geração, até que as espécies que seguiram por um “galho” da árvore da vida não mais pertençam à mesma espécie do “tronco” e de outros “galhos”.

Charles Darwin – SELEÇÃO NATURAL – É a teoria essencial do darwinismo. Ela se baseia no fato de que os seres vivos sofrem mutações genéticas e podem passá-las a seus descendentes. Cada nova geração tem sua herança genética colocada à prova pelas condições ambientais em que vive. A evolução é oportunista e randômica. O que é isso? Primeiro, o processo evolutivo seleciona (ou seja, mantém vivos e com mais chance de passar adiante seus genes) os animais e plantas cujas mutações são mais favorecidas pelo ambiente em que são obrigados a viver. Segundo, as mutações ocorrem ao acaso, e não com o objetivo de melhorar as chances de sobrevivência de quem as sofre. Um exemplo simples: os peixes primitivos não podiam tirar oxigênio diretamente da água. Alguns passaram por mutações que os dotaram dessa capacidade. Esses últimos se adaptaram melhor à vida aquática e hoje dominam os rios, lagos e oceanos.

Categorias:Gente que faz

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.64.244.138 - Responder

    É lamentável que se perca tempo , dando espaço e credibilidade a um imbecil pensador como Charles Darwin , que criou esta teoria absurda da evolução , contrariando o creacionismo Bíblico , base da fé de bilhões de pessoas , que creem nas Escrituras Sagradas como única regra de fé e prática. Deus não precisa de defesa , pois Ele é o Senhor da vida , e fez previsão que no fim dos tempos todo joelho se dobrará diante de Jesus Cristo , o autor da vida. Mas nós , seres humanos e crentes em Deus , sentimos-nos ofendidos com a lembrança e reprodução de algumas idéias deste idiota , que no leito da morte , alertado pelo Deus Espirito Santo que passaria a eternidade no inferno , passou seus últimos momentos em grande dor e arrependimento por ter inventado esta idéia fictícia da evolução . Nunca a ciência conseguiu provar a origem científica do homem , dos animais , do mundo e de Deus , sendo certo que a própria ciência começa a concordar com Deus , pois nada no mundo pode sobreviver sem um grande arquiteto que está a nos proteger , pois mantém inalterado as estações do ano e , inobstante a incredulidade de muitos homens , faz chover sobre bons e maus no tempo certo e todos , bons ou maus , todo dia tem sua porção de alimentos. Convencido que errara com suas fábulas , Darwin e Carl Marx morreram em grande agonia e hoje apodrecem no inferno pela eternidade. Isto é fé que é dado a poucos acreditarem e serem salvos para uma vida eterna de glória ao lado de um Deus criador amoroso. Um jornal, digital ou escrito devia se respeitar e deixar estes assuntos imbecis para serem debatidas em forum próprio , pois ao cristão não é permitido discutir estes assuntos, pois o homem natural e incrédulo jamais será salvo, pois jamais acreditará nas coisas espirituais , é de se lamentar , embora o presente de Deus seja ofertado paravtoda humanidade.

  2. - IP 177.193.159.202 - Responder

    Tirando todo o carolismo que esse assunto não permite, Charles Darwin continua sendo um dos grandes cientistas deste planeta. A sua Teoria da Evolução da Espécie, descoberta há mais de 150 anos continua sendo um norte para os Biólogos e Zoólogos até hoje. O homem não pode se abster apenas em sua fé, precisa de mecanismos que o faça ter dúvidas e pensar, e para isso existe a ciência. Salve a Teoria da Evolução, salve Charles Darwin!

  3. - IP 177.64.241.44 - Responder

    Eu creio…

    de GENESIS A APOCALIPSE em tudo que está escrito nas escrituras sagradas .

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

18 + 16 =