Gilson e Helena querem Ságuas, médico, nos rincões de MT

Gilson Romeu e Helena Bortolo, sindicalistas do Sintep e Ságuas Moraes, médico e secretário de Educação.

Gilson Romeu e Helena Bortolo, sindicalistas do Sintep e Ságuas Moraes, médico e secretário de Educação.

Uma salutar idéia

Por Gilson Romeu da Cunha e Helena Maria Bortolo

Com polêmicos debates, vaias e apupos, os profissionais da educação da rede estadual de ensino decidiram, em Assembleia Geral, no dia 5 de agosto, paralisar as suas atividades por tempo indeterminado, a partir desta semana. O dilatado vácuo para o início da greve geral visa cumprir o rito exigido pela Justiça do Trabalho.

Além da valorização salarial, os professores e funcionários reivindicam a imediata nomeação e posse dos classificados no último concurso público, extensão de hora-atividade aos professores contratados e a ampliação dos recursos de acordo com o estabelecido na Constituição Estadual.

De forma paradoxal e desprovido de qualquer senso de pudor, mas reafirmando sempre o “compromisso com a educação de qualidade”, o governador respondeu de forma evasiva a pauta de reivindicação dos educadores, sem se comprometer com nenhum dos pontos acima elencados, respaldando-se na velha cantilena governamental da carência de recursos financeiros.

Parece que os ecos das manifestações de rua não foram suficientes para sensibilizar os moucos ouvidos do governador mato-grossense. Enquanto a sociedade clama por melhorias na educação, torrentes de recursos públicos continuam sendo drenados para o ralo da corrupção e do desperdício. Com a palavra, o Tribunal de Contas do Estado, que, ao rejeitar as contas do Secretário Ságuas Moraes, apontou inúmeras irregularidades como o pagamento sem contratos, licitações viciadas e aumento de aditivo em desacordo com a legislação. De acordo com o relator, as irregularidades estão relacionadas com o mal emprego dos recursos públicos.

No exato momento em que professores e funcionários das escolas decidiam os rumos da atual campanha salarial da categoria, o edifício da Secretaria Estadual de Educação era abalado por mais um desatinado escândalo financeiro envolvendo o titular da pasta Ságuas Moraes. O Diário Oficial que circulou no dia 5 do mês corrente registra a celebração de um contrato entre a Seduc e os buffets Ana Paula Farias Alves e Laice Pereira da Silva no valor de R$7,7 milhões para o fornecimento de quase 500 mil refeições no prazo de um ano. No cardápio que vai deleitar o paladar de alguns privilegiados glutões constam excentricidades como salmão ao molho tártaro e salada de mariscos.

Diante de tamanha orgia com o dinheiro público, não temos nenhum constrangimento em pressupor que o Dr. Ságuas será socialmente mais útil se participar do Programa Federal Mais Médicos, salvando vidas nos extremados rincões de Mato Grosso. Eis aí, uma idéia salutar e humanitária.

Gilson Romeu da Cunha e Helena Maria Bortolo são professores da rede estadual de ensino

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.193.164.168 - Responder

    esta helene e este gilson eram do pt agora se aproveitam para atacar o saguas. será que fazem o mesmo com relação ao mauro, em cuiabá?

  2. - IP 189.11.197.142 - Responder

    Sendo traíras como são estes dois, só podem agir é desta forma. Quando chega tempo de eleição a Helena tem a “cara de pau” de vir na seduc pedir votos. Coitada!…..nunca ganhou uma eleição e antipática como é, nunca vai ganhar. E Dr. Ságuas….qualquer cargo que candidatar, mesmo para médico do interior, será um grande vitorioso.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

12 − 7 =