Gilson Dipp anula decisão de Tourinho Neto. Cachoeira fica na cadeia

Agência Brasil – O ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), suspendeu nesta quinta(21) a liminar que poderia soltar o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O ministro atendeu a uma reclamação do Ministério Público Federal (MPF) contra a conduta do desembargador Fernando Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que concedeu a liberdade a Cachoeira na última sexta-feira (15).

A assessoria de imprensa do STJ confirma a decisão, dada no final desta tarde, mas ainda não divulgou os argumentos do ministro. Dipp foi relator no STJ na primeira tentativa de soltar Cachoeira. Na época, ele entendeu que o empresário não poderia ser solto porque oferecia risco à ordem pública.

Cachoeira está detido desde 29 de fevereiro como resultado da Operação Monte Carlo, que apurou esquema de corrupção, tráfico de influência e exploração ilegal de jogos no Centro-Oeste do país. Apesar de ter conseguido liberdade neste caso, Cachoeira não pôde ser solto do Presídio da Papuda, em Brasília, porque há outro mandado de prisão contra ele.

Cachoeira também é suspeito de participar de um esquema de fraude na área de transporte público do Distrito Federal, que foi apurado pela Operação Saint-Michel. A investigação foi conduzida pela Polícia Civil do Distrito Federal e pelo Ministério Público local com informações que vieram da Operação Monte Carlo.

Outra derrota

É o segundo grande golpe que a defesa do contraventor recebe num mesmo dia, já que a 2ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios decidiu, também nesta quinta-feira 21, que Cachoeira deve permanecer preso. Com o resultado, os advogados de Cachoeira afirmaram que vão recorrer ao Supremo Tribunal Federal, por considerarem injusta a decisão.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 216.218.254.6 - Responder

    Tchúpa essa mánga, Eduardo Márraun.

  2. - IP 187.5.109.200 - Responder

    Tourinho é um magistrado independente. Sério e honesto. A sociedade deve entender o que é entendimento jurídico, como o exercitado pelo ministro.

    • - IP 177.161.236.208 - Responder

      Cuiabano, não sei de onde você tira essa ideia de que Tourinho é um magistrado sério e independente. Eu tive tratativas administrativas com ele quando presidente do TRF1 e posse te afiançar que ele em pé não sustentava o que havia dito sentado. Já na questão jurídica, o que a sociedade vê é ele solta notórios bandidos e anular ações importante no combate à corrupção e ao crime organizado. Ele sempre justifica na inconsistência das provas, como se corrupto passasse o recibo de dinheiro roubado e ata de reunião de quadrilhas.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

6 − três =