GIBRAN LACHOWSKI: Em Cuiabá temos dois projetos de governo. Um representado por empresário sem compromisso popular, que alimenta sonhos de grandeza e poder. Outro que congrega sonhos e projetos de inúmeros setores da sociedade e que se manifesta numa administração participativa, cidadã e transformadora

De acordo com Gibran, Lúdio conjuga qualidades fundamentais para assumir a gestão do município, como a capacidade de diálogo com os diversos segmentos da sociedade e o entendimento sobre políticas públicas. Já Mauro, em sua avaliação, não tem compromisso popular

Eu voto no Lúdio
Por Gibran Luis Lachowski

Eu voto no médico sanitarista e vereador Lúdio Cabral, do PT, para a prefeitura de Cuiabá. Exponho e defendo essa posição por enxergar nele uma pessoa engajada nas lutas do povo e na tentativa de estimular cada vez mais a participação popular na construção do dia a dia da cidade. Hoje em dia atuo na educação, em Alto Araguaia, a cerca de 400 km de Cuiabá, mas explicito minha opção eleitoral.

Conheço Lúdio das manifestações de rua e dos embates na Câmara de Vereadores. Gradativamente percebi que ele conjuga qualidades fundamentais para assumir a gestão do município. Entre elas, a capacidade de diálogo com os diversos segmentos da sociedade e o entendimento sobre políticas públicas.

Democracia participativa

Lúdio foi o único vereador da história de Cuiabá que encampou um projeto de lei de iniciativa popular, o que corresponde a uma demonstração de sensibilidade social e estímulo à democracia participativa.

O projeto foi articulado em parceria com dezenas de movimentos sociais, sindicatos, associações comunitárias, partidos políticos e representações empresariais em 2005 por causa do aumento exorbitante do IPTU em áreas construídas e não-construídas. O prefeito era Wilson Santos, do PSDB, o mesmo partido cuja cúpula bandeou para o lado do outro concorrente à prefeitura da capital, Mauro Mendes.

Eram necessárias cerca de 17 mil assinaturas, o relativo a 5% dos eleitores de Cuiabá, para que o projeto entrasse em pauta na Câmara de Vereadores. A articulação popular encabeçada por Lúdio obteve mais de 20 mil assinaturas, mobilizou manifestantes para as galerias da instituição e conseguiu que a prefeitura retirasse sua proposta inicial, colocando uma nova, que eliminava o aumento do IPTU para áreas construídas. Vitória popular!

 Lutas populares

Lúdio foi um dos únicos vereadores de 2004 para cá que encampou abertamente lutas populares, como a do transporte coletivo e a do saneamento básico.

Inúmeras vezes foi à tribuna da Câmara, às ruas (em passeata), ao Ministério Público e ao Judiciário denunciar desmandos no transporte coletivo de Cuiabá. Demonstrou que as tarifas estavam superfaturadas, que havia subserviência da administração municipal em relação aos empresários do setor e que o povo sofria diariamente com ônibus lotados, sem ar-condicionado e de péssima qualidade.

E Mauro Mendes, como líder empresarial, onde estava nessa luta popular?

Lúdio foi um dos únicos vereadores que se levantou contra a entrega da Sanecap à iniciativa privada, e isto desde 2006, quando a prefeitura estava sob o comando do PSDB. Naquele momento ele mostrou que havia o PAC, do governo federal, que liberaria cerca de R$ 200 milhões para resolver o problema de saneamento em Cuiabá.

Pois o dinheiro veio e a administração municipal da época, por incompetência administrativa, não soube conduzir o processo licitatório e, por fim, a capital acabou por não aproveitar o recurso autorizado.

Em 2011, Chico Galindo (PTB), ex-vice de Wilson Santos, na condição de prefeito da cidade, retomou o processo de entrega da Sanecap à iniciativa privada. Conseguiu isso diante de inúmeras denúncias à justiça e manifestações contrárias de movimentos sociais e funcionários da então empresa pública.

Lúdio estava lá apontando a abundância de recursos federais   para garantir que a Sanecap continuasse sendo do povo. Também ocupava a posição de indicar as falhas na contratação da CAB Ambiental, que hoje em dia já colhe o ônus da queda de qualidade do serviço e aumento de tarifas.

E Mauro Mendes, que postura tomou diante dessa situação? Não se pronunciou na época e, agora, numa atitude mais contestável ainda, apoiou a transação.

É por essas e outras que se percebe que em Cuiabá temos dois projetos de governo. Um representado por um empresário sem compromisso popular, que alimenta sonhos de grandeza e poder. Outro, liderado por Lúdio Cabral, que congrega sonhos e projetos de inúmeros setores da sociedade, e que se manifesta numa administração participativa, cidadã e transformadora. É por isso que eu voto no Lúdio!

Gibran Luis Lachowski é  jornalista e professor do curso de Comunicação Social da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat\campus de Alto Araguaia)

9 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.75.99.174 - Responder

    Ao lado de riva e Silva? Rsrsrsrsrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. - IP 189.75.99.174 - Responder

    Ao lado de riva e Silval? Com Eder “precatório” de MOraes, correndo por fora? Rsrsrsrsrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • - IP 177.198.160.226 - Responder

      O Dorneles, não se esqueça que em 2008 Riva, Eder, Silval e Bezerra estavam com MM>

  3. - IP 189.10.40.130 - Responder

    Professor Gibran, só não confunda atuação legislativa com administração pública!
    Cuiabá esta atrasada a 10 anos, apesar do Lúdio parecer ser ou então tenta demonstrar que é boa gente, eu não acho que ele seja capaz de tal mudança, por isso devemos colocar alguém que tenha curriculum, que saiba o que é uma gestão administrativa, que saiba distribuir as rendas, aplicar, reduzir gastos desnecessários.

    Aconselho a estuar mais, saber das reais condições orçamentárias do município, saia um pouco dai de Alto Araguaia, procure se informar mais.

    Boa semana a todos.

    • - IP 189.10.11.244 - Responder

      Pedro, respeitosa a sua resposta, que vi somente agora. O empresário Mauro Mendes, vencedor do pleito, tem experiência em ambiente privado e não em público, o que também é bem diferente. Empresas não lidam com políticas públicas, conferências municipais, conselhos populares e coisas do gênero. Aceito estudar mais, sim, professor Manuel, desde que se coloque ao meu lado para aprendermos juntos. Um abraço respeitoso. Se quiser dar uma passada por Alto Araguaia, interior de Mato Grosso, será bem recebido.

  4. - IP 177.3.49.13 - Responder

    Projeto de governo ? Do PT?
    Cidadão, vc está pensando que seus argumentos de esquerda(se é que isso ainda existe) vai conseguir enganar a totalidade de eleitores de Cuiabá, está redondamente enganado! Não podemos mais deixar representantes desse ParTido assumir o poder no País pois o Estado Democrático de Direito estará seriamente ameaçado!
    Suas bandeiras de ABORTO, DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS, MORDAÇA À IMPRENSA LIVRE, COM-
    PRA DE PARLAMENTARES, MENTIRAS CONSTANTES e FALSIFICAÇÂO DE FATOS PARA MUDAR A HIS-
    TÓRIA DO PAÍS, já nos enojaram!
    Depois de amnhã, o “CAPO DI TUTTI CAPO estará em CBA aí vc leva esta página impressa deo Blog e mostra
    prá ele e, aproveite e lamba seu … dedo mindinho.

    • - IP 177.198.160.226 - Responder

      O senhor não sabe nada de liberdade de imprensa e nem de Estado Democrático de Direito, uma vez que nenhum dos dois existe integralmente no Brasil. Aliás, comprar parlamentares foi especialidade do FHC.

  5. - IP 177.1.235.189 - Responder

    Gibran, que pena parece que para vocês vale tudo para chegar ao poder, sou petista mais não voto no Lúdio, pq essa candidatura vai contra tudo que o PT sempre pregou. VOTO 40 VOTO MAURO MENDES O MELHOR PARA CUIABÁ, chega de roubalheira…

    • - IP 177.198.160.226 - Responder

      Marco Aurélio: Pede pra sair! Como diz o Zeca Diabo, Vá timbóra vendido ou comprado, sei lá!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × 5 =