GABRIEL NOVIS NEVES: Há alguns anos me encontro neste estado civil: viúvo. A viuvez para quem fica acarreta sentimentos de insegurança e desamparo.Viúvo é aquele que fica na face da Terra na solidão da multidão, sujeito aos embates não agradáveis do nosso cotidiano

gabriel novis neves

Viúvo 

POR GABRIEL NOVIS NEVES
Há alguns anos me encontro neste estado civil. A viuvez para quem fica acarreta sentimentos de insegurança e desamparo.
Apesar de terem se passados alguns anos da minha perda, não consegui assimilar muito bem meu luto. Encontro-me ainda em período de ajustamento em muitos aspectos da minha vida.
O pior deles, sem dúvida alguma, é a solidão. Creio mesmo que ela irá me acompanhar para todo o sempre.
Com o tempo fui forçado a aprender a lidar com as solicitações que a realidade, no funcionamento cotidiano, me apresentava. Inclusive, e principalmente, com a estrutura doméstica.
No nosso antigo sistema de organização social, o marido geralmente era o provedor e a mulher a executiva dos trabalhos domésticos.
Nos tempos atuais a mulher está cada vez mais presente no mercado de trabalho. As tarefas domésticas, então, são muitas vezes compartilhadas com o esposo.
No entanto, sou da época antiga e fui traído pela ausência prematura da minha mulher.
Quanta coisa eu tive de aprender! Com grandes dificuldades fui me adaptando ao meu novo e assustador estilo de vida.
Isso me fez valorizar ainda mais o papel feminino na vida da família e os trabalhos domésticos.
Não é fácil administrar uma casa! Não possuía nenhuma noção de tão complexa é essa tarefa.
São tantos detalhes no gerenciamento de um lar, que só o destino – professor de causas impossíveis – foi capaz de me ajudar.
Após nove anos de muitas tentativas de acertos, motivadas pela inexperiência e solidão, parece que estou começando a aprender a difícil arte das lides domésticas.
Sem falar, é claro, que tive de aprender a tomar conta de mim mesmo, tomar minhas decisões e superar as dificuldades.
Sabia ser o trabalho caseiro de grande valia na vida de uma família, mas, não tinha ideia da dimensão da sua complexidade.
O tempo é o melhor aferidor sobre tudo que realizamos.
Com erros e acertos caminhamos, e agora, quase no final da linha exercemos – não com a mesma eficiência – o trabalho outrora exclusivo da grande ausente.
Viúvo é aquele que fica na face da Terra na solidão da multidão, sujeito aos embates não agradáveis do nosso cotidiano, sem a parceria no momento das decisões do dia a dia.
A presença da ausência é o único legado para quem fica.

GABRIEL NOVIS NEVES, reitor fundador da UFMT, é médico em Cuiabá

Categorias:Gente como a gente

5 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.51.232 - Responder

    Tivemos a oportunidade de conviver com o Dr. Gabriel na nossa infância, quando nosso pai, Zé Ferreira, trabalhou com ele no Adauto Botelho e desde lá que o admiramos pela seu conhecimento e generosidade.
    Constatamos que o seu brilho aumentou: “… A presença da ausência é único legado de quem fica.” Ficamos pensando o quanto pessoas genais como ele tem a nos ensinar, quicá aprendêssemos com os orientais a valorizar a sabedoria dos nossos idosos.
    Parabéns Dr. Gabriel! Que o reencontro com a sua amada seja festivo e abençoado, como foi durante o tempo em que ela esteve por aqui.
    Abraço

  2. - IP 189.114.52.82 - Responder

    Seja feliz gabi,não ter uma bruxa no seu pé só implicando com suas coisas,sempre com olhar de censura e reprovação,não tem preço.VÁ VIAJAR E MANDE NOTÍCIAS E NOVIDADES DO LUGAR QUE VCE CONHECER PARA NÓS!

  3. - IP 201.59.218.178 - Responder

    Com uma mulher como era D. Regina, fica desemparado mesmo, não tem substituta a altura.

  4. - IP 189.59.59.48 - Responder

    Achei muito bonito e corajoso o Dr Gabriel expor seus sentimentos .Aos que acham que uma esposa é uma bruxa ,meus pêsames !! Você nunca experimentou uma companheira de verdade ,e com certeza não é um grande homem ,pois não tem uma grande mulher ao seu lado..continua no seu boteco bebendo pinga com seus amigos…kakakakakkaka

  5. - IP 177.38.236.44 - Responder

    Labutamos juntos na FUFMT na instituição do curso de Engenharia Florestal, quando fiquei muito impressionado com o dinamismo desse reitor-médico. Essa importante universidade reflete a personalidade e a competência desse homem de extrema importância no cenário mato-grossense e nacional.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezessete + 15 =