PREFEITURA SANEAMENTO

GABRIEL NOVIS NEVES:  No Centro Político Administrativo, em Cuiabá, temos um esqueleto robusto daquele que seria o Hospital Central. Suas obras foram iniciadas há trinta e um anos e paralisadas completamente há doze. Com decisão política e algum recurso poderia funcionar tranquilamente.

O cronista Gabriel Novis Neves. que já escreveu, anteriormente, que prometer para a população sofrida de Cuiabá a construção de um hospital sabendo que ele não será entregue no prazo previsto, "só serve para dar desgaste ao esforçado e pobre governo municipal " - volta ao tema da Saúde. E sempre em ritmo de desesperança

O cronista Gabriel Novis Neves. que já escreveu, anteriormente, que prometer para a população sofrida de Cuiabá a construção de um hospital sabendo que ele não será entregue no prazo previsto, “só serve para dar desgaste ao esforçado e pobre governo municipal ” – volta ao tema da Saúde. E sempre em ritmo de desesperança

Nem tanto

POR GABRIEL NOVIS NEVES

 

A situação de Cuiabá com relação aos hospitais públicos não é tão preocupante como nos parece.
Vejamos. No CPA (Centro Político Administrativo) temos um esqueleto robusto daquele que seria o Hospital Central.
Suas obras foram iniciadas há trinta e um anos e paralisadas completamente há doze.
Com decisão política e algum recurso poderia funcionar tranquilamente.
O atual HGU (Hospital Geral Universitário) também ficou inacabado durante quinze anos.
Em apenas três anos, o então Governo do Estado entregou o antigo Hospital Geral a uma Instituição Beneficente, servindo de orgulho, não só para a Grande Cuiabá, mas para toda a imensa região amazônica mato-grossense.
Hoje continua sendo útil à coletividade como Hospital Universitário.
Um esqueleto menor, correspondente apenas a sete por cento do projeto, está perdido na rodovia que liga Cuiabá a Santo Antônio do Leverger.
É o novo Hospital Universitário da UFMT que, sem recursos Federais ou Estaduais, o contrato com a firma construtora foi encerrado e, claro, as obras paralisadas.
Morreu prematuramente aquele que seria um hospital de referência de ensino por absoluta falta de dinheiro e interesse dos nossos políticos.
O Hospital São Benedito está pronto para o atendimento ao público após reformas e adequações, porém a Prefeitura de Cuiabá não possui recursos financeiros para o seu custeio e os governos federal e estadual não estão interessado no seu funcionamento.
Mesmo assim, a nossa Prefeitura lançou o projeto do novo Hospital e Pronto-Socorro, porém, o prefeito já avisou que não tem como bancar a obra, sintoma de que tão cedo esse novo hospital nem sairá da prancheta.
Finalmente, o novo governo do Estado se comprometeu a construir o tão sonhado e necessário Hospital das Clínicas, mas, com um problema – onde conseguir financiamento para executar o projeto?
Com todas essas obras hospitalares concluídas, Cuiabá ficaria com, pelo menos, mil leitos novos à disposição de todo o Estado de Mato Grosso.
Pelo andar da carruagem esse sonho me faz lembrar a antiga expressão “tirar o cavalo da chuva”. Ao que parece, mais uma esperança perdida!

 

 
GABRIEL NOVIS NEVES, reitor fundador da UFMT, é médico em Cuiabá

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.175.150.102 - Responder

    Essa grande e importante obra projetada e iniciada na admistraçao competente e honrada do então Governador Julio José de Campos (1983-87),quando exercia o cargo de Secretário de Saude, o honrado médico e Professor Gabriel Novis, encontra-se até hoje paralisado por falta de visão dos nossos Governadores, é claro com excessão do Jaime Campos, que quse o concluiu,e infelizmente pela vaidade e falta de visão do Governador Dante de Oliveira e seu caolho Secretário de Saude Julio Múller Neto, paralizou a obra e deixou abandonada,vitima dos ladrões ,e até hoje não foi concuida, nem pelo Blairo e muito menos pelo Silval.Esperamos e confiamos que o novo Governdor de MT,Dr.Pedro Taques, cumpra a sua promessa de campanha e inaugure esse Hospital Publico.Os Deputados Estaduais que compõem a “casa dos Horrorres e da corrupção gastaram 35 milhões para construir mais um Teatro,e com esse dinheiro concluíriam o Hospital Central.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × um =