Roberto França tem medo de ser vetado como “ficha suja”

 

Roberto França com dona Iraci, Júlio e Jaime Campos

Reportagem especial que será divulgada pela nova edição do jornal CENTRO-OESTE POPULAR, que chega às bancas nesta sexta-feira, destaca que o ex-prefeito Roberto França, vacila em lançar seu nome à Prefeitura de Cuiabá pelo DEM por causa de uma decisão do TCU que obrigou-o a devolver R$ 2,5 milhões por conta do superfaturamento em construção de canais para controle de enchentes em seu primeiro mandato à frente do Palácio Alencastro. França agora está temendo ser vetado como “ficha suja”. Na mesma matéria, o CENTRO OESTE POPULAR mostra que a eleição em Cuiabá tem muito candidato e pouca definição a 20 dias das convenções. Se anunciam como possiveis candidatos Mauro Mendes, Dorileo Leal, Lúdio Cabral, Guilherme Maluf e Francisco Vuolo; Eder Moraes, Roberto França, Kamil Fares, Carlos Brito e João Malheiros. Confira, abaixo, o inteiro teor da reportagem que estará disponível nas bancas, na sexta-feira.  Essa e outras reportagens podem ser conferidas na edição do semanário dirigido por Antonio Carlos Milas e editado por Antônio Peres, já disponível em versão flip, no site do jornal: http://www.copopular.com.br/ (EC)

Partidos se perdem com pré-candidaturas inconsistentes e eleitoralmente inviáveis

Eleições municipais – Novos nomes pipocam toda semana e cenário político eleitoral fica ainda mais embaralhado há poucos dias das convenções

DO CENTRO OESTE POPULAR

A 20 dias das convenções, evento político que oficializa candidaturas, os partidos políticos ainda não definiram quem irá representá-los na disputa a Prefeitura de Cuiabá. No entanto, a movimentação é forte nos bastidores políticos para a costura de alianças. Muitos dos que estufam o peito para posar de candidatos não andam tão fortalecidos, levando a crer que seu projeto não passará de um “sonho de verão”.

É o caso do empresário João Dorileo Leal (PMDB). O superintendente do Grupo Gazeta de Comunicação, anda confiante numa disputa polarizada com o empresário Mauro Mendes (PSB), ou, na pior das hipóteses, existir uma terceira candidatura representada pelo cambaleante PSDB, com o deputado estadual Guilherme Maluf.

No entanto, a pulverização de votos que se vislumbra com a aparição das candidaturas de Francisco Vuolo (PR), Lúdio Cabral (PT), Carlos Brito (PSD), acrescentado aos projetos de Mendes e Maluf, tem levado Dorileo a repensar o projeto de candidatura. Somado ao fator densidade eleitoral, está o convencimento de que o governador Silval Barbosa (PMDB) não vai aplicar recursos financeiros em sua eventual campanha eleitoral. Dorileo já sinalizou que não está disposto a tirar dinheiro do próprio bolso para financiar despesas eleitorais.

Outro que anda numa situação política de incertezas é o empresário Mauro Mendes (PSB). Mesmo aparecendo em 1º lugar nas pesquisas de intenção de votos, Mendes é cortejado pela base aliada do Palácio Paiaguás para concorrer ao governo do Estado em 2014.

O governador Silval Barbosa dispõe de uma carência de nomes para lançar um candidato que possa bem representá-lo na disputa ao Palácio Paiaguás. Influenciado pelo senador Blairo Maggi (PR), Silval não vê impeditivo em apoiar Mendes, embora o mesmo tenha feito ferrenha oposição na disputa eleitoral de 2010.

A estratégia de Maggi e Silval é incluir Mendes em seus grupos políticos para fragilizar uma eventual candidatura do senador Pedro Taques (PDT) ao governo do Estado em 2014. Embora negue publicamente, Taques é estimulado pela cúpula do PDT nacional a encarar este projeto e observa na eleição de Mendes para prefeito de Cuiabá como principal trunfo para viabilizar- se eleitoralmente.

Na dúvida, Mauro Mendes sabe que uma terceira derrota consecutiva em um pleito eleitoral pode levá-lo a morte política. Por isso, busca apoio de alguma legenda que lhe dê tempo considerável de propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV. O empresário tem mantido conversas sigilosas com PMDB, PR e DEM, porém, suas articulações desagradam os partidos que compõem o movimento Cuiabá de Verdade (PDT-PV- PPS), que o apoiam desde 2010 e agora ameaçam debandar para outras candidaturas.

Sem candidatura própria desde 2004, quando saiu derrotado em um duro embate de segundo turno com Wilson Santos (PSDB), o PT vai lançar a candidatura do vereador Lúdio Cabral. O projeto para concorrer a Prefeitura de Cuiabá uniu grupos políticos que até pouco tempo travaram uma verdadeira guerra interna na legenda.

O ex-deputado federal Carlos Abicalil e a ex-senadora Serys Slhessarenko estão convencidos de que Lúdio Cabral é a melhor opção para defender as bandeiras do partido e assim chegar com um discurso mais forte em 2014. Os petistas não escondem o sonho da candidatura ao governo do Estado, sendo representado pelo juiz federal Julier Sebastião da Silva.

Do lado do PR, uma disputa inusitada: Francisco Vuolo e João Malheiros pediram demissão dos cargos de secretário de Estado para trabalhar suas pré-candidaturas. Na quarta-feira, 6, o clima azedou de vez nas hostes republicanas com a entrada em cena do eclético Éder Moraes. O executivo do Grupo Beccari/Cidade Verde e ex-todo poderoso multi-secretário de estado, lançou-se por conta própria sua pré-candidatura à prefeito da capital como “terceira via” do PR. No entanto, nem mesmo a militância republicana está convencida de que algum destes três sairá, de fato, candidato a prefeito de Cuiabá.

Embora tenha ressaltado diversas vezes que busca fortalecer sua candidatura ao Palácio Alencastro, e mantido conversas com partidos nanicos, a ambição de Vuolo, conforme apurado nos bastidores, é ser indicado a vice-prefeito do empresário Mauro Mendes (PSB) ou de João Dorileo Leal (PMDB).

Com a mesma pretensão, Malheiros se desligou da secretaria de Cultura afirmando que não considera viável uma candidatura própria do partido. “Não houve tempo hábil para viabilizar um projeto próprio do PR. Tem que ser humilde e não menosprezar uma aliança com outro partido”, declara.

A tese de o PR indicar o vice-prefeito em alguma chapa é apoiada pelos pré-candidatos a vereador que estão insatisfeitos com o baixo desempenho de Vuolo nas pesquisas de intenção de voto e temem prejuízos por conta disso.

Candidato de última hora, Carlos Brito, que oficializou a saída da secretaria de Comunicação de Cuiabá, é o nome que começa a aparecer bem no cenário eleitoral. A cúpula do PSD acredita que seu perfil de líder comunitário, ex-presidente do bairro Parque Cuiabá, e sua larga experiência política, que incluiu mandato de vereador, presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, deputado estadual, prefeito de Cuiabá por 45 dias e secretário de Estado, é capaz de fazer frente ao discurso empresarial de Mauro Mendes e Dorileo Leal, sendo melhor aceito pela maioria da população.

A aparição de Brito dividiu até mesmo o PTB do prefeito Chico Galindo. Antes convencidos de que a melhor opção seria marchar com o PSDB, diante da recusa de Galindo em concorrer a reeleição devido a uma avaliação negativa superior a 60%, já avaliam a possibilidade marchar com o PSD.

Sem rumo e enfraquecida de discurso caminha a candidatura do PSDB com o deputado Guilherme Maluf. O parlamentar aposta no apoio da máquina pública municipal (leia-se Chico Galindo), para crescer nas pesquisas de intenção de voto e assim chegar, ao menos, em uma disputa de segundo turno. O tucano tem assegurado o apoio do PTdoB que é liderado pelo suplente de vereador Sérgio Cintra. Também busca alianças com DEM e PSD.

Pelo lado do DEM, o exprefeito de Cuiabá, Roberto França, é considerado uma carta fora do baralho. Embora não seja admitida publicamente, França teme ter o seu registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral diante de uma condenação do Tribunal de Contas da União (TCU). A decisão colegiada obrigou-o a devolver R$ 2,5 milhões por conta do superfaturamento em construção de canais para controle de enchentes em seu primeiro mandato à frente do Palácio Alencastro. O valor se refere a recursos repassados pelo Ministério do Meio Ambiente para canalização de parte dos córregos Sol Nascente, Canjica, Carumbé, Sargento e Gambá.

França teme que o rótulo de “ficha suja”, prejudique ainda mais sua já desgastada imagem perante à população cuiabana. Por isso, prefere se resguardar para futuras disputas eleitorais, em especial, concorrera uma vaga na Assembleia Legislativa em 2014.

 

 

 

Categorias:Jogo do Poder

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.75.75.151 - Responder

    PARANATINGA URGENTE. ESTA ACONTECENDO UM FATO EXTREMAMENTE GRAVE NA CIDADE E NINGUEM TA NOTICIANDO NADA. O CARTORARIO REGISTRADOR ANTONIO FRANCISCO DE CARVALHO E SEU FILHO ANDRE CARVALHO FORAM AFASTADOS PELA CORREGEDORIA DO ESTADO EM FUNCAO DE DUAS ACOES, UMA MOVIDA PELO MINISTERIO PUBLICO, ONDE AMBOS FORAM CONDENADOS POR FALSIFICACAO DE DOCUMENTOS QUANDO AINDA RESPONDIAM PELO TABELIONATO DE SANTO AFONSO, COMARCA DE ARENAPOLIS. O JUIZ DE PARANATINGA HUGO JOSE DE FREITAS JA NOMEOU UM INTERVENTOR E EXISTEM AINDA FORTES INDICIOS DE QUE EXISTEM VARIOS ATOS ILICITOS COMETIDOS POR ANTONIO TAMBEM EM PARANATINGA. PORQUE A MIDIA NAO NOTICIA NADA? O QUE ESTA OCORRENDO??

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dez + 2 =