FISCALIZANDO O FISCAL: Grupo formado pelos promotores Célio Fúrio, Mauro Zaque, Roberto Turin e Sérgio Silva da Costa vai apurar, em nome do Ministério Público de Mato Grosso, a conduta do procurador Paulo Prado e do promotor Marcos Regenold, acusados pelo MPF de interceder em favor de Éder Moraes, ex-secretário de Maggi e Silval que participaria de esquema de lavagem de dinheiro em Mato Grosso

Os promotores Sérgio Silva da Costa e Mauro Zaque compõem a comissão encarregada pelo Ministério Público de Mato Grosso de avaliarem a conduta de Paulo Prado e Marcos Renegold, que são alvos de investigação pelo Ministério Público Federal, sob suspeita de atuarem em favor de Éder Moraes, atualmente preso na Papuda, em Brasilia, e acusado de comandar esquema de lavagem de dinheiro à sombra das administrações de Blairo Maggi e Silval Barbosa

Os promotores Sérgio Silva da Costa e Mauro Zaque compõem a comissão encarregada pelo Ministério Público de Mato Grosso de avaliarem a conduta de Paulo Prado e Marcos Renegold, que são alvos de investigação pelo Ministério Público Federal, sob suspeita de atuarem em favor de Éder Moraes, atualmente preso na Papuda, em Brasilia, e acusado de comandar esquema de lavagem de dinheiro à sombra das administrações de Blairo Maggi e Silval Barbosa

Ministério Público vai apurar conduta de Prado e Regenold

Membros do MPE/MT são investigados na Operação Ararath, da Polícia Federal

MidiaNews

Clique para ampliar 

Chefe do MPE, o procurador Paulo Prado é citado na operação da PF, que investiga lavagem de dinheiro

DO MIDIAJUR

Promotores e procuradores do Ministério Público Estadual (MPE) estão organizando a formação de uma comissão para acompanhar tudo o que se refere à Operação Ararath, da Polícia Federal, e à própria instituição.

Segundo um dos procuradores ouvidos pela reportagem, o MPE atravessa uma grave crise de imagem, que pode comprometer a sua credibilidade perante a população.

A comissão irá atuar em relação ao inquérito da PF que cita e investiga o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, e o promotor Marcos Regenold, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

“Iremos atuar com total liberdade, principalmente ao analisar se houve, de fato, a prática de improbidade administrativa”, afirmou o procurador ao MidiaJur.

Prado e Regenold são acusados pelo Ministério Público Federal (MPF) de interceder em favor do ex-secretário de Fazenda do Estado, Eder Moraes, atualmente detido no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

MidiaNews
Promotor Regenold, que foi flagrado em uma interceptação da PF conversando com Eder Moraes

Regenold, que foi flagrado em uma interceptação telefonia conversando com Eder, durante busca e apreensão da PF em sua residência, teria feito manobras para prejudicar as investigações, segundo o MPF.

De acordo com a fonte do MPE ouvida pela reportagem, se for necessário, a comissão irá propor ação por ato de improbidade contra Regenold e Prado.

“Há um cenário que indica a probabilidade de terem ocorrido excessos por parte desses dois membros da instituição. Se, de fato, isso tiver acontecido, não hesitaremos em tomar as medidas necessárias”, disse a fonte.

Investigados

Juntamente com o promotor Marcos Regenold, que pediu afastamento para não atrapalhar as investigações, Paulo Prado é citado no inquérito da Ararath, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro.

De acordo com os autos, o procurador teria sido conivente com as manobras do ex-secretário de Estado Éder Moraes – um dos principais articuladores do suposto esquema – para “direcionar” o foco das investigações.

Para isso, Éder teria utilizado Regenold, que atua no Gaeco, com o objetivo de conseguir contato com autoridades da Polícia Federal.

Outro lado

Por meio da assessoria, o MPE inforou que foi criado um grupo de trabalho interno para atuar em processos relacionados à Operação Ararath.

O grupo é formado pelos promotores Célio Joubert Fúrio, Mauro Zaque de Jesus, Roberto Aparecido Turin e Sérgio Silva da Costa.

 

Promotor Roberto Turin

Promotor Roberto Turin

 

Promotor Célio Fúrio

Promotor Célio Fúrio

 

 

 

14 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.88.214.92 - Responder

    Mauro Zaque??? Sergio Silva??? Que brincadeira e’ essa??? Esses dois são carne e unha com os investigados!!! Cheiro de pizza no ar, galera!!! Pra começar, o Paulo Prado já deveria ter sido afastado do cargo de Procurador Geral de Justica e nao foi!!! A única nossa esperança e’ que o MPF e’ que vai coordenar as investigações, senão…

    • - IP 201.57.233.221 - Responder

      Pois é…não entendi também essa palhaçada. O Mauro Zaque, memebro e defensor ferrenho do Gaeco, que durante todo o bombardeio sofrido pelo MP< vem, agora com a poeira baixando, ser escolhido para investigar o próprio paulo prado??? É querer chamar a gente de BESTAS, né??

  2. - IP 189.87.159.24 - Responder

    Louvável a atitude do Procurador Geral em apurar as denúncias, contudo, tenho comigo que os Promotores que se encontram na lista dos 47 não podem fazer parte desta comissão, pois, eles também são amigo do rei, foram beneficiados. Portanto, se quizerem fazer algo com lisura, deve a comissão ser composta por quem não foram beneficiados, sob pena da sociedade indagar que colocaram as raposas para tomar conta do galinheiro.

  3. - IP 189.59.38.211 - Responder

    Os vampiros vão investigar o banco de sangue.Adivinhem qual será o resultado?No máximo,advertências!

  4. - IP 189.59.45.101 - Responder

    AFINAL SER INVESTIGADO PELOS PROPRIOS SUBORDINADOS. ESSAS COISAS ACONTECEM SOMENTE NO BRASIL. O MINISTERIO PUBLICO FEDERAL TERIA QUE APROFUNDAR NESTA INVESTIGACAO PARA DEIXAR CLARO PARA A POPULACAO QUE JA NAO AGUENTA MAIS ESCANDALOS POR PARTE DE TODOS OS ORGAOS INVESTIGATIVOS. PRECISAMOS URGENTEMENTE RENOVAR O COMANDO DESTES ORGAOS COM PESSOAS NOVAS E EXTIRPAR DE UMA VEZ ESTES MANIPULADORES, CORRUPTOS QUE COMANDAM HA MUITOS ANOS VARIOS SETORES EM MATO GROSSO( JUDICIARIO, MINISTERIO PUBLICO, ETC..).

  5. - IP 187.7.212.2 - Responder

    Ao que consta o MPE vai investigar os fatos levantados pela ARARATH e que tem repercussão Estadual ou, seja com ênfase para os fatos de competência da Justiça local, e que possam eventualmente configurar improbidade e danos ao erário. Todos os fatos e não só eventual improbidade na conduta de Regenold e Paulo Prado.

  6. - IP 177.64.230.181 - Responder

    acho que a melhor fiscalização deve ser a do mpf

  7. - IP 187.7.212.2 - Responder

    De onde vem a legitimidade desse grupo? Outra… Sérgio Silva da Costa? Ahhh… dá licença… todo mundo sabe que esse cara é pau mandado do Paulo Prado! MPE perdeu o respeito há muito tempo!

  8. - IP 177.41.92.25 - Responder

    Mauro Zaque que o Reginold ficou de apresentar pro Eder segundo gravaçoes? o famoso”parceirao”?

  9. - IP 201.88.214.92 - Responder

    Gente, o Sergio Silva e o Celio Furio estiveram lá no MPE para dar apoio ao Paulo Prado quando a ONG Moral protocolou o pedido de afastamento dele. Como é que pode??? Isso é pura PALHAÇADA!!!! Falta de VERGONHA na cara!!!

  10. - IP 201.88.214.92 - Responder

    Hummmmmmm!… A comissão foi convocada e escolhida pelo próprio Paulo Prado?… Já vi tudo!… Tenho certeza que os membros mais sérios do MPE devem estar indignados.

  11. - IP 200.103.94.110 - Responder

    É esse Sérgio que coordena o centro de apoio do ministério público? Se for, é função de confiança do Paulo Prado. Como quem exerce função de confiança investiga quem o nomeou? Só resta esperar que o MPF investigue. Esse grupo não sei não.

  12. - IP 179.217.118.123 - Responder

    AH.AH.AH.AH.AH.AH.AH.AH; O CELIO FURIO E O SERGIO. CARAs SÉRIOs, ESTÃO DE BRINCADEIRA. ah.ah.ah.ah, eles são da mesma corja do prado e do marcos
    . ah.ah. só rindo. ha.ah.ah. o célio furio é um cara sério. é só rindo, ah.ah.ah.ah.ah. E o mauro ah.ah.ah.ah, é só rindo. Eles são sério para pegar ladrão de galinhas. ah.ah.ah

  13. - IP 177.172.30.175 - Responder

    Eder Moraes se colocou à disposição para ser o delator do esquema, ou colaborar com qualquer investigação. Ele desafiou os parlamentares a criar uma CPI para investigar o caso. “Eu espero que a Assembleia tenha independência para abrir uma CPI. Será que um parlamento não tem 14 pessoas que queiram saber a verdade?”, perguntou.

    O presidente da CPI, deputado Oscar Bezerra, orientou os assessores que excluissem das notas taquigráficas as manifestações sobre o MPE, já que não fazem parte do objeto da CPI.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 2 =