Faiad diz que vai processor major Wanderson Nunes, que o acusou de montar “indústria de honorários” à sombra da SAD. Já o major anuncia representação ao MP contra Faiad.

Disputa entre o major Wanderson Nunes, presidente da Associação dos Oficiais da PM e do Corpo de Bombeiros e o secretário de Administração Francisco Faiad, está se transformando em confronto judicial.

Disputa entre o major Wanderson Nunes, presidente da Associação dos Oficiais da PM e do Corpo de Bombeiros e o secretário de Administração Francisco Faiad, está se transformando em confronto judicial.

Enquanto Faiad anuncia processo contra o major Wanderson, o major Wanderson anuncia representação ao Ministério Público contra Faiad. Daqui a pouco, as 14, na sede da Assoaf, Wanderson concederá entrevista coletiva.  Confira o noticiário. (EC)
Faiad diz que vai processar major da PM que o acusou
Secretário nega interesse em ações judiciais de militares

do MIDIANEWS

O secretário de Estado de Administração, Francisco Faiad (PMDB), anunciou nesta quinta-feira (27), que ingressará com ação criminal contra o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar de Mato Grosso (Assof), major Wanderson Nunes de Siqueira.

“Contrariando aquilo que deve ser um policial, esse dirigente se mostrou irresponsável e busca aparecer perante sua classe para justificar acordos mal feitos”
Segundo o secretário, ao reclamar suas reivindicações, o dirigente ultrapassou o limite do respeito.

“Contrariando aquilo que deve ser um policial, esse dirigente se mostrou irresponsável e busca aparecer perante sua classe para justificar acordos mal feitos, mas que foram cumpridos pelo Estado. Por isso, ele vai responder pelo que disse campo judicial. Vou acioná-lo criminalmente”, disse.

Wanderson acusou o secretario de “travar” a concessão de reajustes salariais às categorias , e disse que Faiad estaria criando uma “indústria de honorários” ao forçar os servidores a entrar na Justiça para receber o aumento, de modo que os advogados contratados receberiam parte do montante, com honorários que podem chegar a 30% do valor da causa.

“Em 2011, a categoria firmou um acordo equivocado, falho, com o Governo. E o acordo foi cumprido. Como agora viu que saiu perdendo, esse cidadão está tentando remediar a situação. Mas não para cima de mim. Ele precisa me respeitar como sempre o respeitei todas as vezes que me procurou para discutir as causas da classe. As suas acusações são intoleráveis e irresponsáveis”, disse Faiad.

“Cunho eleitoral”

Mary Juruna/MidiaNews

Major PM Wanderson, que criticou Faiad
O secretário de Administração afirmou que o acordo foi feito com números fixo, e não com base na inflação. Faiad disse que o pedido não pode ser atendido de forma administrativa. Para ele, a denuncia mostra com clareza o cunho político-eleitoral.

“Temos pareceres jurídicos que nos dão essa garantia. Não estou aqui para prejudicar qualquer classe, mas agir com responsabilidade. Não sou eu quem vou responder perante o Tribunal de Contas porque eles fizeram acordos mal feitos”, afirmou.

O secretário afirmou que, em sua gestão na SAD, iniciada em fevereiro deste ano, sempre esteve aberta ao diálogo com todas as classes sindicais.

“Se ele recebeu uma denúncia, deveria ter checado, se informado, e não feito acusações desniveladas e irresponsáveis”, disse.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.22.172.173 - Responder

    Pede pra sair, Faiad.
    Fica mais bonito sair pela porta da frente
    Já tem até vídeo comprovando o “eu garanto”…

  2. - IP 189.59.54.38 - Responder

    eu acredito que se o servidor tiver direito, tem que ser dado a ele, e não somente aos apadrinhados políticos, e quem não tem padrinho, morre e não recebe seu direito líquido e certo, a justiça que vai determinar esse direito??? até quando vamos viver isso??

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 2 =